Seguidores

TRADUTOR

terça-feira, 4 de outubro de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SANTA BRÍGIDA DA SUÉCIA

(23 de JULHO)

VIDA DE SANTA BRÍGIDA DA SUÉCIA

Brígida, ou Brigite, nasceu princesa, em 1303, no castelo de Finstad, na Suécia. Descendia de uma casa real muito devotada, que forneceu à Igreja muitos santos e que se dedicava a construir mosteiros, igrejas e hospitais com a própria fortuna. Além de manter muitas obras de caridade para a população pobre, Brígida, desde a infância, tinha o dom das revelações divinas, todas anotadas por ela no seu idioma sueco. Depois, as descrições foram traduzidas para o latim e somaram oito grandes volumes, que ainda hoje são fonte de consulta para historiadores, teólogos e fiéis cristãos.

Aos dezoito anos, ela se casou com o nobre chamado Ulf Gudmarsson, um homem cristão e muito piedoso. O casal teve oito filhos, dentre os quais a filha venerada como santa Catarina da Suécia. Era com rigor que eles cuidavam da educação religiosa e acadêmica dos filhos, sempre no caminho para a santificação em Cristo. Durante um longo período, Brígida foi dama de companhia da rainha Bianca, de Namur, por isso frequentava sempre as cortes luxuosas. Mas não se corrompeu neste ambiente de riquezas frívolas, ao contrário, manteve-se fiel aos ensinamentos cristãos, perseverando seu espírito na dignidade e na caridade da fé.

Após a morte de um dos seus filhos, o casal resolveu fazer uma peregrinação ao santuário de Santiago de Compostela, na Espanha. No retorno, Ulf caiu gravemente enfermo, e nessa ocasião Brígida, em sonho, teve uma revelação de são Dionísio, que lhe disse que o marido não morreria. De fato ele ficou curado, mas logo em seguida ingressou no mosteiro de Alvastra, onde vivia um dos seus filhos, e lá morreu, em 1344.

Viúva, Brígida decidiu retirar-se definitivamente para a vida monástica, para realizar um velho projeto, a fundação de um mosteiro duplo, de homens e mulheres, que deu origem à Ordem do Santo Salvador, sob as Regras de são Agostinho, passando, então, a viver nele. Quando obteve aprovação canônica, a fundadora transferiu-se para Roma.

Ali viveu por vinte e quatro anos, trabalhando pela reforma dos costumes e a volta do papa de Avignon. Com o apoio do rei da Suécia, construiu e instaurou setenta e oito mosteiros por toda a Europa. Ela morreu em 23 de julho de 1373, durante uma romaria à Terra Santa.

Desde então, a Ordem fundada por ela passou a ser dirigida por sua filha, Catarina da Suécia, alcançando notoriedade pelos anos futuros. Canonizada em 1391, apenas dezoito anos após sua morte, santa Brígida já tinha um culto muito vigoroso em todo o mundo cristão da Europa, sendo celebrada no dia de sua morte. O local onde residia em Roma foi transformado em um belíssima igreja dedicada a ela, na praça Farnese.

Fonte: Site Quiosque Azul.



AS QUINZE ORAÇÕES DE SANTA BRIGIDA


Foram ensinadas a ela por Jesus que lhe disse:

"Eu recebi 5.480 ferimentos em Meu Corpo durante a Paixão. Se você deseja honrar cada um deles diga as seguintes orações a cada dia do ano. Quando as orações estiverem terminadas você terá honrado cada uma das Minhas Feridas.”

Primeira Oração:

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração nós contemplamos  que Vós provastes que não tinha maior desejo que estar entre os homens, mesmo assumindo a natureza humana, com um grande amor para com o homem. Eu lembro de todos os sofrimentos de Vossa vida, especialmente Vossa Paixão. Eu lembro Oh Senhor que durante a última ceia com Vossos discípulos Vós lavastes seus pés e destes Vosso Precioso Sangue e Vosso Precioso Corpo, e enquanto os consolava predissestes Vossa Paixão. Recordamos a tristeza e a amargura que experimentastes em Vosso Espírito quando dissestes:
"Meu espirito está triste até morte". Eu lembro o medo, a angústia e a dor que sentistes em Vosso Corpo ante o tormento da crucificação e quando tendo orado três vezes e banhado em sangue Vós fostes traído por Judas e preso por um povo de uma nação que havias escolhido e fostes acusado por falsas testemunhas e injustamente julgado por três juízes.
Nós recordamos nesta oração, que Vós fostes despojado de Vossas roupas e Vossa Face e Olhos cobertos com a coroa de espinhos e que fostes açoitado e uma cana colocada em vossas mãos e que fostes coberto de socos, pancadas, insultos e ofensas. Em memória desses sofrimentos e dores que sofrestes durante Vossa Paixão na Cruz me conceda antes de minha morte uma verdadeira e sincera contrição e a remissão dos meus pecados.
Que Assim Seja.

Segunda Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos o horror e a tristeza que Vós suportastes quando Vossos inimigos o cercaram com milhares de insultos, socos, cuspadelas, pancadas, lacerações e outras crueldades e tormentos. Em consideração a esses tormentos e palavras insultuosas eu Vos peço que nos livre de todos os inimigos visíveis e invisíveis e me leve para Vós, debaixo de Vossa Proteção para a eterna salvação e perfeição.
Que Assim Seja.

Terceira Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos cada amarga dor que sofrestes quando os carrascos pregaram Vossas sagradas mãos e Vossos sagrados pés com os grandes pregos e não encontrando-Vos com tristeza suficiente, eles ainda aumentaram Vossas Chagas com lanças e com dor e sofrimento esticaram Vosso Corpo na Cruz e deslocaram Vossos Ossos puxando-os para todos os lados. Eu imploro a Vós em memória deste mais sagrado sofrimento na Cruz que me conceda a graça de amá-lo para sempre.
Que Assim Seja.

Quarta Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos as pancadas e hematomas na Vossa pele que Vós sofrestes na fraqueza de Vosso Corpo o qual foi distendido de tal modo que nunca houve dor como a Vossa. Da coroa em Vossa cabeça a sola dos Vossos Pés não havia um só local onde não fostes supliciado. E ainda sofrendo todos esses sofrimentos Vós ainda pedistes ao Pai pelos Vossos inimigos dizendo "Pai perdoai porque eles não sabem o que fazem.”.
Por esta grande misericórdia e em memória dos Vossos sofrimentos me conceda a graça de que a lembrança de Vossa Paixão possa efetuar em nós uma perfeita contrição e a remissão de todos os nossos pecados. Que Assim Seja.

Quinta Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos a tristeza que Vós experimentastes ao antever aqueles que seriam condenados pelos seus pecados e sofrestes amargamente por estes desesperançados, perdidos e infelizes pecadores.
Através desse abismo de compaixão e piedade e especialmente através da bondade a qual mostrastes para o Bom Ladrão quando lhe diz: “Ainda hoje estarás Comigo no Paraíso”
Eu peço que na hora de minha morte me mostre Vossa misericórdia.
Que Assim Seja.

Sexta Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos a aflição que sofrestes quando, como um criminoso comum fostes levado e pregado na Cruz, com todos os parentes e amigos vos abandonando, exceto Vossa amada Mãe, a qual permaneceu junto de Vós durante toda a agonia e para qual entregastes ao Vosso discípulo fiel dizendo: "Mulher cuide de seu filho. Filho cuide de sua mãe.”.
Eu imploro que pela espada da agonia com a qual cortaram a alma de Vossa Santa Mãe, tenha compaixão de mim em todas as minhas aflições e tribulações, em espírito e corpo e me assista em todas as provações, em especial a da hora da minha morte.
Que Assim Seja.

Sétima Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos o Vosso gesto de profundo amor na cruz quando disse "tenho sede" e Vós sofrestes sede pela salvação da raça humana! Eu peço que inflame os nossos corações de desejo de buscar a perfeição de nossas ações e extinguir em nós os desejos mundanos.
Que Assim Seja.

Oitava Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos o amargo do fel e do vinagre que provastes na Cruz por nos amar. Nos dê a graça de receber Vosso Precioso Corpo e Sangue durante nossa vida e na hora de nossa morte possa ser um remédio de consolação para nossas almas.
Que Assim Seja.

Nona Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos a dor que suportastes quando imerso em um oceano de amargura com a aproximação de Vossa morte, insultado pelo povo gritastes alto que estava abandonado pelo Vosso Pai dizendo: "Oh Meu Deus, Meu Deus porque me abandonastes?”.
Através desta angústia eu vos imploro que não me abandones no terror e nas dores da minha agonia.
Que Assim Seja.

Décima Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos que para nos salvar, fostes imerso no abismo do sofrimento. Em consideração a enormidade das Suas Chagas, me ensine, através do amor puro, Vossos Mandamentos, os quais são uma estrada larga e fácil para aqueles que o amam.
Que Assim Seja.

Décima Primeira Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos que Vossas Chagas penetraram até a medula de Vossos Ossos e as profundezas de Vosso Ser. Leve-me para longe dos pecados e me esconda em Vossas Chagas. Que Assim Seja.

Décima Segunda Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos a multitude das feridas que afligiram desde Vossa Cabeça até os Vossos Pés, torcidos e rasgados para o derramamento de Vosso Precioso Sangue. Ó grande e universal dor que sofrestes em Vossa carne por amor a nós! Que poderia fazer para nós que não O fizestes? Possa o fruto de Vosso sofrimento ser renascido em nossa alma pela lembrança de Vossa Paixão e possa Vosso amor aumentar em meu coração cada dia, até que eu O veja na eternidade. Vós que sois o tesouro real da bondade e da alegria, eu Vos peço que me conceda a graça do paraíso eterno.
Que Assim Seja.

Décima Terceira Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos a dor que sofreu com toda sua fortaleza moral e física e estando completamente exausto, deixou cair Vossa cabeça dizendo: “Está tudo consumado".
Através desta angústia e aflição eu suplico que tenhais piedade de mim, na hora de minha morte quando minha mente estará em grande aflição e minha alma angustiada.
Que Assim Seja.

Décima Quarta Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.

Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos  a simples e humilde recomendação que fizestes de Vossa Alma ao Pai Eterno dizendo: "Pai, Em Suas Mãos recomendo Meu Espirito" e quando Vosso Corpo todo alquebrado e Vosso Coração não mais resistiu, expirastes. Por esta preciosa Morte eu suplico que me fortificai e me ajudai a resistir ao demônio, às tentações da carne e aos desejos mundanos. Que eu possa viver por Vós e somente para Vós, eu peço que me receba na hora de minha morte.
Que Assim Seja.

Décima Quinta Oração

Recite um Pai Nosso e uma Ave Maria.
Ó Jesus! Nesta oração, nós contemplamos o abundante derramamento de Sangue que vertestes da ferida de Vosso Lado perfurado pela lança do soldado. Água e Sangue derramaram-se até não existir mais uma só gota e finalmente a Substância de Vosso Corpo e Ossos secaram.
Através desta terrível Paixão e através do derramamento de Vosso Precioso Sangue eu vos imploro que perfure meu coração de modo que minhas lágrimas de pena e de amor sejam meu alimento de dia e de noite e que eu possa me converter completamente para Vós, possa meu coração ser vosso perpétuo local de repouso, possa minha conversão Vos dar prazer, possa o final de minha vida ser tão preciosa que eu mereça alcançar o Paraíso e junto com os Santos e Anjos possa louvá-Lo para sempre.
Que Assim Seja.

Fonte: Site Cadê Meu Santo.

Um comentário:

  1. Há tantos santos e santas antigos, mas como é difícil isso acontecer hoje em dia.
    Será que o ser humano se perdeu nesse caminho?
    Beijocas, minha amada!

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO