Seguidores

TRADUTOR

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

NOSSA SENHORA DA ABADIA

NOSSA SENHORA DA ABADIA

O povo mineiro, principalmente do Triângulo Mineiro, é muito devoto de Nossa Senhora da Abadia. A festa mariana de 15 de agosto é uma das mais populares e concorridas. Em Sacramento, MG, capela de Nossa Senhora da Abadia destaca-se por sua novena e festa em honra a Mãe de Jesus.
Nossa Senhora da Abadia é a padroeira da Arquidiocese de Uberaba, em Minas Gerais, e titular da catedral dessa cidade. É também padroeira da Arquidiocese de Campo Grande, no Estado de Mato Grosso do Sul.
Abadia é o nome que vem de Abade, o qual é o superior de uma comunidade de monges, eleito por eles com total autoridade e jurisdição ordinária sobre ela. Por isso, Abadia pode significar a comunidade religiosa ou residência dos monges.

Origem da devoção

A devoção a Nossa Senhora da Abadia é originária de Portugal.
A imagem de Nossa Senhora da Abadia é bastante antiga, procedente do Mosteiro de Bouro, situado perto de Braga, em Portugal. Por isso é também chamada Santa Maria de Bouro.
O Mosteiro de Bouro já existia naquela região por volta do ano 883. Naquele tempo, Portugal e Espanha tinham sido invadidos pelos mouros, que professavam a religião muçulmana. Com receio dos mouros, os monges abandonaram o Mosteiro e, para evitar a profanação da imagem da Virgem Santíssima, esconderam-na.
Após muitos séculos, no tempo do Conde D. Henrique, o fidalgo Pelágio Amado abandonou sua vida mundana e tornou-se emérita. Ele foi viver com um velho ermitão na ermida de São Miguel, perto de Braga.
Certa noite, num vale próximo da ermida, os ermitãos viram que brilhava uma luz bastante forte. Na noite seguinte, constataram que o fato se repetiu. Quando amanheceu, foram até o local, onde encontram uma imagem mariana entre as pedras. Cheios de júbilo, eles se prostaram diante da imagem e, agradecidos, passaram a venerar nela a Virgem Maria.
Muitos devotos, os eremitas mudaram-se para aquele local e construíram ali uma simples ermida, onde colocaram a imagem.
Tendo sabido do fato, o arcebispo de Braga foi visitar a imagem naquela ermida. Sensibilizado com a pobreza dos ermitãos, o bispo ordenou que edificasse uma igreja para abrigar a imagem. A igreja foi construída de pedra lavrada.
Paulatinamente, outros religiosos foram morar com os dois ermitãos, constituindo uma abadia. Com o aumento de prodígios realizados sob a intercessão da Virgem Maria, a devoção se espalhou e ficou conhecida em todo o país. O rei D. Afonso Henriques fez sua peregrinação à igreja, onde deixou boa doação para o sustento do culto e  dos monges.

Culto mariano do Brasil

O culto a Nossa Senhora da Abadia foi traduzido ao Brasil pelos portugueses, implantando-se, sobretudo, no Triângulo Mineiro, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro, São Paulo e outros estados.
Atualmente, o grande centro de romarias no Triângulo Mineiro é o Santuário de Nossa Senhora da Abadia, em Água Suja, na Arquidiocese de Uberaba. A festa de 15 de agosto atrai um grande número de devotos que vem venerar a Virgem de Bouro.
Durante a festa de Água Suja, a procissão é interessante, pois os peregrinos cumprem suas promessas de diversas maneiras. Um romeiro carrega, vergado, uma pesada pedra. Outro transporta um aleijado nos ombros. Sem camisa, vários levam velas ou vasilhas com água na cabeça. Outros ainda açoitam-se ou fingem açoitar-se e assim por diante. Com os seus gestos simples, os devotos agradecem os benefícios conseguidos pela intercessão da Mãe de Deus.
Na cidade mineira de Uberaba a devoção é bastante forte. Há a bela e piedosa Igreja Nossa Senhora da Abadia, que foi inaugurada em 1884. Sua imagem foi trazida do Rio de Janeiro. A festa de 15 de agosto atrai os uberabenses e devotos da região, que participam das cerimônias religiosas com muita piedade.
Mesmo os uberabenses que moram fora da cidade, participam também. Do Triângulo Mineiro a devoção propagou-se para Goiás e São Paulo. Em Muquém, Goiás, na festa de 15 de agosto, milhares de devotos comparecem para expressar seu culto a Virgem Maria. Em São Paulo há uma maternidade sob a proteção da Virgem Maria.
A imagem de Nossa Senhora da Abadia é muito bonita. Representa Maria de pé, segurando com as duas mãos o menino Jesus nú, deitado sobre elas. Está coberta por um longo manto que vai da cabeça até os pés, embaixo dos quais aparece uma nuvem com três cabeças de anjos. Usa uma coroa fechada e pontiaguda.



ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA ABADIA (1)

Senhora, mãe de Deus, que no cenáculo, após a ascensão de Jesus ao céu, presidistes as orações suplicantes dos Apóstolos para a vinda do Divino Espírito Santo; agora, que estais no paraíso à frente dos coros dos anjos e santos, presidi, também, Senhora nossa rainha, toda a nossa vida, orientando-nos para a pátria celeste, onde desejamos estar convosco cantando, eternamente, as glórias de Jesus.

Que Assim Seja.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA ABADIA (2)

Ó Senhora da Abadia, aqui estão os vossos filhos que, cheios de gratidão, vieram vos agradecer: agradecer o Dom da vida; agradecer o Dom da fé; agradecer a vida divina; agradecer a vida de família e de amizades; agradecer a vida da Igreja; agradecer os cem anos de celebração desta festa.
Estes vossos filhos, Senhora e Mãe, vieram também pedir e suplicar: olhai, ó Mãe, estes vossos filhos e suas famílias; olhai, ó Mãe, esta Paróquia e seu Vigário; olhai, ó Mãe, esta diocese e seus bispos; olhai, ó Mãe, a Igreja e o Santo Padre, o papa.
Fazei, ó Mãe e Rainha, que estes vossos filhos sejam testemunhas das verdades libertadoras anunciadas no Evangelho de vosso filho Jesus realizando o seu reino também na terra. Ó Mãe, estes filhos querem gozar um dia de vossa presença na glória do céu, onde de corpo e alma estais com o Pai, reinais com vosso Filho Jesus e viveis com o Espírito Santo.

Que Assim Seja.

sábado, 8 de novembro de 2008

ORAÇÕES A IMACULADA CONCEIÇÃO (VIRGEM MARIA)


MARIA IMACULADA CONCEIÇÃO
(08 DE DEZEMBRO)

ORAÇÕES A IMACULADA CONCEIÇÃO

Dulcíssimo Coração de Maria

Ó Coração de Maria, Mãe de Deus e Mãe nossa; Coração amabilíssimo objeto de complacências da adorável Trindade e digno de toda a veneração e ternura dos anjos e dos homens; Coração o mais semelhante ao de Jesus, de quem sois a mais perfeita imagem; Coração cheio de bondade, e tão compassivo para com nossas misérias; dignai-vos derreter o gelo de nossos corações, e fazei que se voltem e se entreguem inteiramente ao divino Salvador.Infundi neles o amor de vossas virtudes, inflamai-os naquele fogo bem-aventurado em que perene ardeis.Recolhei em vós a santa Igreja, guardai-a e sede sempre seguro asilo e sua torre inexpugnável contra todas as incursões de seus inimigos.Sede o nosso caminho para chegarmos a Jesus Cristo, e o canal pelo qual recebemos todas as graças necessárias à nossa salvação.Sede o nosso socorro nas necessidades, o nosso alívio nas aflições, o nosso refúgio nas perseguições, o nosso auxílio em todos os perigos, mas especialmente nos últimos combates da vida, na hora da nossa morte, quando todo o inferno se desencadear contra nós para arrebatar nossas alas, naquele terrível momento de que depende a nossa eternidade.Assim então, ó Virgem puríssima, fazei-nos provar a doçura do vosso poder junto a Jesus, vosso filho, abrindo-nos aquela mesma fonte de misericórdia, um refúgio seguro, donde possamos chegar a bendizê-lo convosco no paraíso, por todos os séculos.

Que Assim seja.

Filial amor a Maria

Ó Rainha, que por vossa amabilidade e por vossos favores prendeis os corações de vossos servos, arrebatai também meu coração que deseja amar-vos ardentemente. Ó Mãe Santíssima, pela pureza, santidade e beleza de vossa alma moveste o próprio Deus a amar-vos e a descer do céu a vosso seio virginal; e eu deveria viver sem vos amar?Não, dir-vos-ei com são João Berchmans, vosso dileto filho: "não descansarei enquanto não tiver alcançado um amor terno e filial para com minha Mãe Maria". Não descansarei enquanto não tiver alcançado um amor, mas um amor constante e ardente para convosco, terna Mãe, que tão ternamente me amaste quando eu com ingratidão vos voltava as costas.Que seria de mim, ó Maria, se não me tivésseis amado e não tivésseis sido tão misericórdia para comigo? Já que me amaste quando eu não vos amava, quanto mais não posso esperar da vossa bondade agora que vos amo!Sim, boa mãe, amo-vos e quisera possuir um coração que vos pudesse amar por todos os infelizes que não vos amam. Quisera ter língua que vos louvasse por mil outras, para anunciar a todos os homens vossa grandeza, vossa santidade, vossa misericórdia e amor para com vossos devotos servos.Se possuísse riquezas, empregá-las-ia todas em honra vossa; se tivesse súditos, inflamá-los-ia todos em amor para convosco. Sim, quisera por vós sacrificar minha própria vida.Amo-vos pois, minha terna Mãe; mas temo não vos amar como devo, pois que ouço dizer: "o amor iguala os amantes", e tão desigual sou eu a vós! Vós tão pura e eu tão impuro! Vós tão humilde e eu tão soberbo! Vós tão santa e eu tão cheio de pecados!É por isso que me haveis de socorrer, ó Maria, deveis fazer-me semelhante a vós porque me amais. Tendes o poder de transformar os corações, tomais pois o meu e transformai-o. Fazei que o mundo veja o vosso poder para com aqueles que vos amam. Tornai-me santo e digno filho vosso.

Que Assim Seja.

Lembrai-vos (São Bernardo)

Lembrai-vos, ó piedosíssima Virgem Maria, que jamais se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido à vossa proteção implorado vosso socorro e invocado vosso auxílio, fosse por vós desamparado. Animado, pois, com igual confiança, a vós, ó Virgem entre todas singular, como minha Mãe recorro; de vós me valho e gemendo sob o peso dos meus pecados, me prosto a vossos pés. Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Filho de Deus humano, mas dignai-vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que vos rogo.

Que Assim Seja.

Mãe de Deus (São Francisco de Assis)

Salve, Ó Senhora santa, rainha santíssima, Mãe de Deus, ó Maria, que sois Virgem feita igreja, escolhido pelo Santíssimo Pai do céu, o qual vos consagrou com o seu santíssimo e dileto Filho e o Espírito Santo consolador! Em vós residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem! Salve, ó palácio do Senhor! Salve, ó Tabernáculo do Senhor! Salve, ó morada do Senhor! Salve, ó manto do Senhor! Salve, ó serva do Senhor! Salve, ó mãe do Senhor! Assim como vós, todas as santas virtudes ou pela graça e iluminação do Espírito Santo sois derramadas nos corações do fiéis, convertendo-os de pecadores em santos diante de Deus!

Memorare

Lembrai-vos, ó piíssima Virgem Maria, que jamais se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido à vossa proteção, implorando o vosso auxílio, e reclamado o vosso socorro, fosse por vós desamparado.

Animados pois, com igual confiança, a vós Virgem das virgens, como à Mãe recorro e a vós, me acolho e, gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro aos vossos pés; não desprezeis as minhas súplicas, Mãe do Filho de Deus, mas antes as atendeis e ouvi propícia.

Que Assim Seja.


Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os Santos.

Esta verdade reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos Padres e Doutores da Igreja oriental ao exaltar a grandeza de Maria, Mãe de Deus, tinham usado de expressões como: cheia de graças, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental que sempre muito amou a Santíssima Virgem tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Foi o franciscano Duns Scoto no séc. XIII, quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois era Maria destinada a ser mãe do seu Filho. Isso era possível para a Onipotência de Deus, portanto, Deus, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Graças a Deus, rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria no seio de sua mãe Sant'Ana foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina de Labouré, pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração:

"Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós". E quatro anos depois que a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma em 1854: "Maria isenta do pecado original".

A própria Virgem na sua aparição em Lourdes, confirmou a definição dogmática e fé do povo dizendo para Santa Bernadete e para todos nós: "Eu Sou a Imaculada Conceição".

Virgem Imaculada...rogai por nós!

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

ORAÇÕES A JESUS



JESUS
Ato de adoração

Ó Jesus, adoro-Vos profundamente neste diviníssimo Sacramento, em que Vos reconheço oculto debaixo das espécies sacramentais, como Deus e homem verdadeiro, meu Criador, Senhor, Redentor, sumo e único Bem.

Ato de amor 

Jesus, amo-Vos com todo o coração sobre todas as coisas, porque sois o meu eu, infinitamente amável, meu Pai, meu Redentor e meu tudo; e por amor de Vós, amo o próximo como a mim mesmo e perdôo de todo o coração os que me têm ofendido.

Jesus no Santíssimo Sacramento

Oh! Divino Jesus! que durante a noite estais solitário em tantos tabernáculos do mundo, sem que nenhuma de vossas criaturas vá visitá-Lo e adorá-Lo. Eu te ofereço meu pobre coração, desejando que todas as suas pulsações sejam de amor e adoração. Tu, Senhor, estas sempre sob as espécies Sacramentais, teu amor misericordioso nunca dorme nem se cansa de velar pelos pecadores. Oh! Jesus amado!, Oh! Jesus solitário!, fazei meu coração qual lâmpada acessa, em caridade se inflame e arda sempre em teu amor. Velai Oh! sentinela Divina!, velai pelo mísero mundo, pelos sacerdotes, pelas almas consagradas, as extraviadas, pelos pobres enfermos cujas noites intermináveis necessitam de tua fortaleza e teu consolo, pelos moribundos e por este teu humilde servo que, para melhor servir-te, descansa, mas sem deixar de pensar em Tu, em Teu Sacrário... onde vives na solidão e no silêncio da noite. Seja sempre bendito, glorificado, adorado, amado e reverenciado o Coração Sagrado de Jesus em todos os Sacrários do mundo.

Que Assim Seja.

Minuto com o Menino Jesus

Abençoe-me, Menino Jesus e rogue por mim sem cessar. Afaste de mim, hoje e sempre o pecado. Se tropeçar, estende tua mão até mim. Se cem vezes cair, cem vezes levanta-me. Se me deixares Menino Jesus, que será de mim? Nos perigos do mundo assisti-me. Quero viver e morrer sob vosso manto. Quero que minha vida te faça sorrir. Olhe-me com compaixão, não me deixe Jesus meu. Recebe-me e leva-me junto a Tu. 

Tua benção me acompanhe hoje e sempre.

Amém aleluia. 

Nosso Senhor Jesus Cristo

Querido Nosso Senhor Jesus Cristo, tu que dissestes aos apóstolos: “E Eu vós digo a vós: Peça e dar-se-vos-á; buscai e acharás; batei e abri-se-vos-á; porque aquele que pede, receberá; e quem busca achará, e a quem bate abrir-se-lhe-á”.
E tudo que pedires em Oração, crendo o receberás; então eu vos peço, do fundo do meu coração, concedei-me essa graça que vos peço; (fazer o pedido) para que minha alma se acalme, e eu possa encontrar novamente a paz, que ajuda a conservar-nos sempre unidos ao Senhor nosso Deus.

Que Assim Seja.

Precioso sangue de nosso Senhor Jesus Cristo

O sangue adorável de meu amado Jesus, preço da redenção do mundo e fonte de vida eterna que purifica nossas almas, sangue preciosíssimo, que intercede poderosamente por nós ante o trono da suprema misericórdia, eu vos adoro profundamente e quero reparar com minhas adorações e meu fervor todas as injurias e ultrajes que continuamente recebes dos homens, especialmente no Santíssimo Sacramento do altar.
Eu vos adoro, doce Jesus meu; imprime em minha alma a recordação de tua Sacratíssima Paixão. Fazei que a memória de tuas dores e sofrimentos infunda em minha alma um horror supremo ao pecado e um ardentíssimo amor por ti, para corresponder de algum modo ao sacrifício que tu mesmo fizeste na Cruz por minha salvação e resgate.

Que Assim Seja.

Sagrado Coração de Jesus (1)

Meu Jesus em vós depositei toda minha confiança. Vós sabeis de tudo. Pai é o senhor do universo, sois o Rei dos Reis. Vós que fizeste o paralítico andar, um morto voltar a viver, o leproso sarar. Vós que vedes as minhas lágrimas, bem sabe divino amigo como preciso alcançar de vós esta grande graça (Pede-se a graça com fé). A minha conversa convosco, mestre, me dá ânimo e alegria para viver. Só de vós espero com fé e confiança (Pede-se a graça com fé). Fazei Divino Jesus, que antes de terminar esta conversa que terei convosco, durante 9 dias eu alcance esta graça que peço com fé. Com gratidão publicarei esta oração para que outras pessoas que precisam de vós aprendam a ter fé e confiança na vossa misericórdia. Ilumine meus passos, assim como o sol ilumina todos os dias ao amanhecer, e testemunha a nossa conversa. Jesus eu tenho confiança em vós, cada vez aumentando mais a minha fé.

Senhor (Francisco de Assis)

Senhor dos Céus e da Terra! Abençoai nosso ideal, aqui e além, daí - nos o poder de entender a Vossa bondade, para que seja cumprida a lei. Dispensai o nosso ódio, para que haja alegria. Dispensai o medo, para que surja a coragem. Dispensai a inércia, para que nasça o trabalho. Consenti, Senhor, que o Vosso nome não fique em vão nos nossos caminhos, mas nossas atitudes e no nosso amor para Convosco e para com o próximo. Ajudai-nos a aumentar a nossa fé, para que possamos doar esperanças, fazei-nos que nossa caridade de avolume, para que possamos doar paz, ajudai-nos a multiplicar a nossa fraternidade, para que possamos doar amor. E que, ao sairmos daqui, sejamos interligados pela luz, onde brilham as estrelas, ainda que distantes umas das outras. Que se faça a Vossa vontade e não a nossa! Senhor Senhor eu te amo e necessito de ti, estás no meu coração. Abençoa a minha família, a minha casa, as minhas finanças e os meus amigos. Em nome de Jesus.

Que Assim Seja.

sábado, 27 de setembro de 2008

ORAÇÃO DO MANTO DE SÃO JORGE



(23 DE ABRIL)

ORAÇÃO DO MANTO DE SÃO JORGE

São Jorge, guerreiro vencedor do dragão, Rogue por nós.

São Jorge, militar valoroso, que com a vossa lança abatestes e vencestes o dragão feroz, vinde em meu auxílio, nas tentações do demônio, nos perigos, nas dificuldades, nas aflições.

Cobri-me com o vosso manto, ocultando-me dos meus inimigos, dos meus perseguidores. Protegido por vosso Manto, andarei por todos os caminhos, viajarei por todos os mares, de noite e de dia, e os meus inimigos não me verão, não me ouviram, não me acompanharão. Sob a vossa proteção, não cairei, não derramarei o meu sangue, não me perderei.

Assim como o Salvador esteve nove meses no seio de Nossa Senhora, assim eu estarei bem guardado e protegido, sob o vosso manto, tendo sempre São Jorge a minha frente armado de sua lança e do seu escudo.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO JORGE

Naquele tempo, sendo imperador Diocleciano e Maximiano, o governador Daciano desencadeou uma terrível perseguição contra a igreja, com tanta sanha que foram martirizados cerca de 17.000 cristãos e muitos outros foram perseguidos, e outros vencidos pelas torturas, consentindo em renegar a sua fé e a oferecer sacrifícios aos ídolos romanos.

A tradição diz que São Jorge  renunciou a carreira de militar e distribuiu seus bens entre os pobres e vestindo-se como se  vestiam na época os cristãos, foi a rua e passou a repetir frases como "Os deuses pagãos são demônios e o único autentico Deus é Cristo".

O governador ao inteirar-se do fato, chamou a Jorge e perguntou: "Com que direito chamas os nossos deuses de demônios? Que queres tu? E de onde es tu? E em nome de quem está dizendo isto”?

São Jorge respondeu: "Sou da Capadócia, pertenço a uma família de nobres e sou militar, e com a ajuda de Cristo conquistei as terras da Palestina, mas renunciei a posse de tudo que me foi dado e aos meus títulos e cargos que possuía, para sem honras e riquezas servir a Deus".

O governador tentou convencê-lo a renunciar a sua fé, mas não conseguindo ordenou os seguintes tormentos:
O ataram a um cavalo, rasgaram suas carnes com garfos de ferro e cobriram com sal todo o seu corpo chagado.

Depois de ser assim torturado durante todo um dia, ao chegar à noite, o Senhor Deus rodeado de uma vivíssima claridade, o consolou com doces palavras e o deixou tão confortável que São Jorge parecia que não tinha sido torturado.

Em vista de que com ameaças e torturas não conseguia nada, o governador Daciano mudou de tática e o tentou com fortunas e promessas de recompensas.

Jorge sorrindo respondeu: "Porque em vez de me torturar não me disseste estas coisas no inicio? Aqui me tens disposto a fazer o que me propõe”!

Daciano não se deu conta da tática de São Jorge, e mandou publicar um pregão, convocando o público a assistir aos sacrifícios que São Jorge por fim, iria oferecer aos ídolos romanos. Mandou o governador que a cidade fosse enfeitada. No dia previsto para o grande acontecimento, a multidão curiosa e com grande expectativa, lotou o templo no qual São Jorge iria adorar publicamente os deuses romanos.

Na hora marcada, São Jorge entrou no recinto, ajoelhou e pediu ao Senhor Deus para converter o povo dentro do templo, e pediu que o Senhor se dignasse destruir as estátuas dos ídolos e o templo, de maneira a não ficar nenhum vestígio delas. Acabando sua oração desceu dos céus uma rajada de fogo que reduziu a cinzas, todas as imagens do templo e os sacerdotes pagãos que promoviam as idolatrias. Logo que o público presente correu para fora, São Jorge saiu mansamente e de novo fez suas preces. Depois de alguns segundos a terra se abriu, e engoliu todo o templo e se fechou de novo, não ficando o menor vestígio de sua existência.

Daciano, inteirado do ocorrido, fez comparecer São Jorge e disse: "És o mais abominável dos homens. Como é possível tamanha malícia a ponto de cometeres um crime tão horrível”?

Ao que São Jorge respondeu calmamente: "Meu rei, não me julgues apressadamente e severamente, venha comigo e verás como oferecerei os sacrifícios"!

Daciano respondeu: “Não me enganarás de novo. Você quer que a terra me trague e também as imagens dos meus deuses".

São Jorge então disse: “Imbecil miserável! Como pode adorar a esses deuses que não podem nem ajudar a eles mesmos”?

A esse diálogo assistia Alexandra, a esposa de Daciano presa de indignação disse que São Jorge tinha razão e que queria também ser cristã.

Daciano furioso mandou que a pendurassem pelos cabelos em uma viga e que a açoitassem sem piedade, até a morte.

E Alexandra perguntou a São Jorge: "Vou morrer e não sou batizada".

São Jorge respondeu batizando-a e usando para isto o sangue dela derramado em vez de água e disse ainda: "O sangue que está derramando, está te batizando e vale uma coroa de gloria e com o Senhor Jesus Cristo terás tudo”. Em seguida Alexandra expirou santamente.

Daciano enfurecido mandou que arrastassem a São Jorge pela cidade até o local onde seria decapitado.
O santo antes de morrer, rogou ainda ao Senhor que atendesse aos rogos de todos que pedissem por sua intercessão e mediação.

Apesar da popularidade de São Jorge, se conhecem poucos fatos de sua vida e as noticias que se tem se baseiam em lendas e tradições que se passaram de boca em boca através dos anos. Não obstante todos os escritores e historiadores concordam que foi um soldado romano, nasceu na Capadócia (Turquia) e morreu em princípios do século IV, provavelmente na cidade de Lydda, atualmente Lod em Israel.


A Lenda do dragão.

A lenda do Dragão, a mais difundia e na qual o santo está a cavalo e luta contra um monstruoso animal que vivia em um lago, a aterrorizar a toda a população de Lydda. Do dito animal saia um odor forte que contaminava a todos e o monstro exigia o sacrifício de uma pessoa viva para não se aproximar da cidade. Mas um dia quando o dragão estava para comer a filha do rei, apareceu Jorge e com a ajuda de Cristo matou o monstro que seria na verdade o demônio. Assim ele é considerado o santo padroeiro dos namorados (hoje nos países de língua inglesa é São Valentino e no Brasil é Santo Antônio de Pádua, mas nos outros países latinos da Europa o padroeiro dos enamorados ainda é São Jorge).

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Compadeceu-se do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

Sua festa é celebrada no dia 23 de abril.

ORAÇÃO PODEROSA DA CHAVE DE SÃO JORGE


(23 DE ABRIL)

ORAÇÃO PODEROSA DA CHAVE DE SÃO JORGE

Com esta chave abençoada eu peço a Deus pela intercessão de São Jorge, que me conceda a graça de abrir: meu coração para o bem; meus caminhos para os bons negócios; as portas da prosperidade, da caridade, da humildade e da paz para eu viver sempre feliz.

Com esta chave, em nome de Deus, eu fecho: o meu corpo contra as maldades deste mundo; contra as perseguições e espíritos malignos. Que meu anjo da guarda sempre me ilumine e me guarde.

Com o poder da fé, misericórdia de Deus e a ajuda de São Jorge.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO JORGE

Naquele tempo, sendo imperador Diocleciano e Maximiano, o governador Daciano desencadeou uma terrível perseguição contra a igreja, com tanta sanha que foram martirizados cerca de 17.000 cristãos e muitos outros foram perseguidos, e outros vencidos pelas torturas, consentindo em renegar a sua fé e a oferecer sacrifícios aos ídolos romanos.

A tradição diz que São Jorge  renunciou a carreira de militar e distribuiu seus bens entre os pobres e vestindo-se como se  vestiam na época os cristãos, foi a rua e passou a repetir frases como "Os deuses pagãos são demônios e o único autentico Deus é Cristo".

O governador ao inteirar-se do fato, chamou a Jorge e perguntou: "Com que direito chamas os nossos deuses de demônios? Que queres tu? E de onde es tu? E em nome de quem está dizendo isto”?

São Jorge respondeu: "Sou da Capadócia, pertenço a uma família de nobres e sou militar, e com a ajuda de Cristo conquistei as terras da Palestina, mas renunciei a posse de tudo que me foi dado e aos meus títulos e cargos que possuía, para sem honras e riquezas servir a Deus".

O governador tentou convencê-lo a renunciar a sua fé, mas não conseguindo ordenou os seguintes tormentos:
O ataram a um cavalo, rasgaram suas carnes com garfos de ferro e cobriram com sal todo o seu corpo chagado.

Depois de ser assim torturado durante todo um dia, ao chegar à noite, o Senhor Deus rodeado de uma vivíssima claridade, o consolou com doces palavras e o deixou tão confortável que São Jorge parecia que não tinha sido torturado.

Em vista de que com ameaças e torturas não conseguia nada, o governador Daciano mudou de tática e o tentou com fortunas e promessas de recompensas.

Jorge sorrindo respondeu: "Porque em vez de me torturar não me disseste estas coisas no inicio? Aqui me tens disposto a fazer o que me propõe”!

Daciano não se deu conta da tática de São Jorge, e mandou publicar um pregão, convocando o público a assistir aos sacrifícios que São Jorge por fim, iria oferecer aos ídolos romanos. Mandou o governador que a cidade fosse enfeitada. No dia previsto para o grande acontecimento, a multidão curiosa e com grande expectativa, lotou o templo no qual São Jorge iria adorar publicamente os deuses romanos.

Na hora marcada, São Jorge entrou no recinto, ajoelhou e pediu ao Senhor Deus para converter o povo dentro do templo, e pediu que o Senhor se dignasse destruir as estátuas dos ídolos e o templo, de maneira a não ficar nenhum vestígio delas. Acabando sua oração desceu dos céus uma rajada de fogo que reduziu a cinzas, todas as imagens do templo e os sacerdotes pagãos que promoviam as idolatrias. Logo que o público presente correu para fora, São Jorge saiu mansamente e de novo fez suas preces. Depois de alguns segundos a terra se abriu, e engoliu todo o templo e se fechou de novo, não ficando o menor vestígio de sua existência.

Daciano, inteirado do ocorrido, fez comparecer São Jorge e disse: "És o mais abominável dos homens. Como é possível tamanha malícia a ponto de cometeres um crime tão horrível”?

Ao que São Jorge respondeu calmamente: "Meu rei, não me julgues apressadamente e severamente, venha comigo e verás como oferecerei os sacrifícios"!

Daciano respondeu: “Não me enganarás de novo. Você quer que a terra me trague e também as imagens dos meus deuses".

São Jorge então disse: “Imbecil miserável! Como pode adorar a esses deuses que não podem nem ajudar a eles mesmos”?

A esse diálogo assistia Alexandra, a esposa de Daciano presa de indignação disse que São Jorge tinha razão e que queria também ser cristã.

Daciano furioso mandou que a pendurassem pelos cabelos em uma viga e que a açoitassem sem piedade, até a morte.

E Alexandra perguntou a São Jorge: "Vou morrer e não sou batizada".

São Jorge respondeu batizando-a e usando para isto o sangue dela derramado em vez de água e disse ainda: "O sangue que está derramando, está te batizando e vale uma coroa de gloria e com o Senhor Jesus Cristo terás tudo”. Em seguida Alexandra expirou santamente.

Daciano enfurecido mandou que arrastassem a São Jorge pela cidade até o local onde seria decapitado.
O santo antes de morrer, rogou ainda ao Senhor que atendesse aos rogos de todos que pedissem por sua intercessão e mediação.

Apesar da popularidade de São Jorge, se conhecem poucos fatos de sua vida e as noticias que se tem se baseiam em lendas e tradições que se passaram de boca em boca através dos anos. Não obstante todos os escritores e historiadores concordam que foi um soldado romano, nasceu na Capadócia (Turquia) e morreu em princípios do século IV, provavelmente na cidade de Lydda, atualmente Lod em Israel.


A Lenda do dragão.

A lenda do Dragão, a mais difundia e na qual o santo está a cavalo e luta contra um monstruoso animal que vivia em um lago, a aterrorizar a toda a população de Lydda. Do dito animal saia um odor forte que contaminava a todos e o monstro exigia o sacrifício de uma pessoa viva para não se aproximar da cidade. Mas um dia quando o dragão estava para comer a filha do rei, apareceu Jorge e com a ajuda de Cristo matou o monstro que seria na verdade o demônio. Assim ele é considerado o santo padroeiro dos namorados (hoje nos países de língua inglesa é São Valentino e no Brasil é Santo Antônio de Pádua, mas nos outros países latinos da Europa o padroeiro dos enamorados ainda é São Jorge).

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Compadeceu-se do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

Sua festa é celebrada no dia 23 de abril.

ORAÇÃO A VELA DE SÃO JORGE



(23 DE ABRIL)

ORAÇÃO A VELA DE SÃO JORGE

Glorioso São Jorge, pelos vossos merecimentos, pelas vossas virtudes, pela grandiosa Fé em nosso Senhor Jesus Cristo, por Deus, fostes constituído, em protetor de todos, que a Ti recorrem, necessitando de vossa proteção, vinde em meu auxilio e levai à presença de Deus o apelo que agora te faço. (Fazei aqui o pedido)

São Jorge,ofereço esta vela e te peço, Protegei-me, Guardai-me e Guiai-me por todos os Meus caminhos, com felicidade, Paz e Salvamento, para que eu consiga rapidamente através de vossa proteção a graça que estou suplicando.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO JORGE

Naquele tempo, sendo imperador Diocleciano e Maximiano, o governador Daciano desencadeou uma terrível perseguição contra a igreja, com tanta sanha que foram martirizados cerca de 17.000 cristãos e muitos outros foram perseguidos, e outros vencidos pelas torturas, consentindo em renegar a sua fé e a oferecer sacrifícios aos ídolos romanos.

A tradição diz que São Jorge  renunciou a carreira de militar e distribuiu seus bens entre os pobres e vestindo-se como se  vestiam na época os cristãos, foi a rua e passou a repetir frases como "Os deuses pagãos são demônios e o único autentico Deus é Cristo".

O governador ao inteirar-se do fato, chamou a Jorge e perguntou: "Com que direito chamas os nossos deuses de demônios? Que queres tu? E de onde es tu? E em nome de quem está dizendo isto”?

São Jorge respondeu: "Sou da Capadócia, pertenço a uma família de nobres e sou militar, e com a ajuda de Cristo conquistei as terras da Palestina, mas renunciei a posse de tudo que me foi dado e aos meus títulos e cargos que possuía, para sem honras e riquezas servir a Deus".

O governador tentou convencê-lo a renunciar a sua fé, mas não conseguindo ordenou os seguintes tormentos:
O ataram a um cavalo, rasgaram suas carnes com garfos de ferro e cobriram com sal todo o seu corpo chagado.

Depois de ser assim torturado durante todo um dia, ao chegar à noite, o Senhor Deus rodeado de uma vivíssima claridade, o consolou com doces palavras e o deixou tão confortável que São Jorge parecia que não tinha sido torturado.

Em vista de que com ameaças e torturas não conseguia nada, o governador Daciano mudou de tática e o tentou com fortunas e promessas de recompensas.

Jorge sorrindo respondeu: "Porque em vez de me torturar não me disseste estas coisas no inicio? Aqui me tens disposto a fazer o que me propõe”!

Daciano não se deu conta da tática de São Jorge, e mandou publicar um pregão, convocando o público a assistir aos sacrifícios que São Jorge por fim, iria oferecer aos ídolos romanos. Mandou o governador que a cidade fosse enfeitada. No dia previsto para o grande acontecimento, a multidão curiosa e com grande expectativa, lotou o templo no qual São Jorge iria adorar publicamente os deuses romanos.

Na hora marcada, São Jorge entrou no recinto, ajoelhou e pediu ao Senhor Deus para converter o povo dentro do templo, e pediu que o Senhor se dignasse destruir as estátuas dos ídolos e o templo, de maneira a não ficar nenhum vestígio delas. Acabando sua oração desceu dos céus uma rajada de fogo que reduziu a cinzas, todas as imagens do templo e os sacerdotes pagãos que promoviam as idolatrias. Logo que o público presente correu para fora, São Jorge saiu mansamente e de novo fez suas preces. Depois de alguns segundos a terra se abriu, e engoliu todo o templo e se fechou de novo, não ficando o menor vestígio de sua existência.

Daciano, inteirado do ocorrido, fez comparecer São Jorge e disse: "És o mais abominável dos homens. Como é possível tamanha malícia a ponto de cometeres um crime tão horrível”?

Ao que São Jorge respondeu calmamente: "Meu rei, não me julgues apressadamente e severamente, venha comigo e verás como oferecerei os sacrifícios"!

Daciano respondeu: “Não me enganarás de novo. Você quer que a terra me trague e também as imagens dos meus deuses".

São Jorge então disse: “Imbecil miserável! Como pode adorar a esses deuses que não podem nem ajudar a eles mesmos”?

A esse diálogo assistia Alexandra, a esposa de Daciano presa de indignação disse que São Jorge tinha razão e que queria também ser cristã.

Daciano furioso mandou que a pendurassem pelos cabelos em uma viga e que a açoitassem sem piedade, até a morte.

E Alexandra perguntou a São Jorge: "Vou morrer e não sou batizada".

São Jorge respondeu batizando-a e usando para isto o sangue dela derramado em vez de água e disse ainda: "O sangue que está derramando, está te batizando e vale uma coroa de gloria e com o Senhor Jesus Cristo terás tudo”. Em seguida Alexandra expirou santamente.

Daciano enfurecido mandou que arrastassem a São Jorge pela cidade até o local onde seria decapitado.
O santo antes de morrer, rogou ainda ao Senhor que atendesse aos rogos de todos que pedissem por sua intercessão e mediação.

Apesar da popularidade de São Jorge, se conhecem poucos fatos de sua vida e as noticias que se tem se baseiam em lendas e tradições que se passaram de boca em boca através dos anos. Não obstante todos os escritores e historiadores concordam que foi um soldado romano, nasceu na Capadócia (Turquia) e morreu em princípios do século IV, provavelmente na cidade de Lydda, atualmente Lod em Israel.


A Lenda do dragão.

A lenda do Dragão, a mais difundia e na qual o santo está a cavalo e luta contra um monstruoso animal que vivia em um lago, a aterrorizar a toda a população de Lydda. Do dito animal saia um odor forte que contaminava a todos e o monstro exigia o sacrifício de uma pessoa viva para não se aproximar da cidade. Mas um dia quando o dragão estava para comer a filha do rei, apareceu Jorge e com a ajuda de Cristo matou o monstro que seria na verdade o demônio. Assim ele é considerado o santo padroeiro dos namorados (hoje nos países de língua inglesa é São Valentino e no Brasil é Santo Antônio de Pádua, mas nos outros países latinos da Europa o padroeiro dos enamorados ainda é São Jorge).

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Compadeceu-se do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

Sua festa é celebrada no dia 23 de abril.


ORAÇÃO A SÃO JORGE PARA EMPREGO




(23 DE ABRIL)

ORAÇÃO A SÃO JORGE PARA EMPREGO

Ó São Jorge, Cavaleiro corajoso, intrépido e vencedor.

Abre os meus caminhos, ajuda-me a conseguir um bom emprego, faze com que eu seja bem visto por todos superiores, colegas e subordinados.

Que a paz, o amor e a harmonia estejam sempre presentes no meu coração, no meu lar e no serviço.

Vela por mim e pelos meus, protegendo-nos sempre, abrindo e iluminando os nossos caminhos.

Ajudando-nos também a transmitirmos paz, amor e Harmonia a todos que nos cercam.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO JORGE

Naquele tempo, sendo imperador Diocleciano e Maximiano, o governador Daciano desencadeou uma terrível perseguição contra a igreja, com tanta sanha que foram martirizados cerca de 17.000 cristãos e muitos outros foram perseguidos, e outros vencidos pelas torturas, consentindo em renegar a sua fé e a oferecer sacrifícios aos ídolos romanos.

A tradição diz que São Jorge  renunciou a carreira de militar e distribuiu seus bens entre os pobres e vestindo-se como se  vestiam na época os cristãos, foi a rua e passou a repetir frases como "Os deuses pagãos são demônios e o único autentico Deus é Cristo".

O governador ao inteirar-se do fato, chamou a Jorge e perguntou: "Com que direito chamas os nossos deuses de demônios? Que queres tu? E de onde es tu? E em nome de quem está dizendo isto”?

São Jorge respondeu: "Sou da Capadócia, pertenço a uma família de nobres e sou militar, e com a ajuda de Cristo conquistei as terras da Palestina, mas renunciei a posse de tudo que me foi dado e aos meus títulos e cargos que possuía, para sem honras e riquezas servir a Deus".

O governador tentou convencê-lo a renunciar a sua fé, mas não conseguindo ordenou os seguintes tormentos:
O ataram a um cavalo, rasgaram suas carnes com garfos de ferro e cobriram com sal todo o seu corpo chagado.

Depois de ser assim torturado durante todo um dia, ao chegar à noite, o Senhor Deus rodeado de uma vivíssima claridade, o consolou com doces palavras e o deixou tão confortável que São Jorge parecia que não tinha sido torturado.

Em vista de que com ameaças e torturas não conseguia nada, o governador Daciano mudou de tática e o tentou com fortunas e promessas de recompensas.

Jorge sorrindo respondeu: "Porque em vez de me torturar não me disseste estas coisas no inicio? Aqui me tens disposto a fazer o que me propõe”!

Daciano não se deu conta da tática de São Jorge, e mandou publicar um pregão, convocando o público a assistir aos sacrifícios que São Jorge por fim, iria oferecer aos ídolos romanos. Mandou o governador que a cidade fosse enfeitada. No dia previsto para o grande acontecimento, a multidão curiosa e com grande expectativa, lotou o templo no qual São Jorge iria adorar publicamente os deuses romanos.

Na hora marcada, São Jorge entrou no recinto, ajoelhou e pediu ao Senhor Deus para converter o povo dentro do templo, e pediu que o Senhor se dignasse destruir as estátuas dos ídolos e o templo, de maneira a não ficar nenhum vestígio delas. Acabando sua oração desceu dos céus uma rajada de fogo que reduziu a cinzas, todas as imagens do templo e os sacerdotes pagãos que promoviam as idolatrias. Logo que o público presente correu para fora, São Jorge saiu mansamente e de novo fez suas preces. Depois de alguns segundos a terra se abriu, e engoliu todo o templo e se fechou de novo, não ficando o menor vestígio de sua existência.

Daciano, inteirado do ocorrido, fez comparecer São Jorge e disse: "És o mais abominável dos homens. Como é possível tamanha malícia a ponto de cometeres um crime tão horrível”?

Ao que São Jorge respondeu calmamente: "Meu rei, não me julgues apressadamente e severamente, venha comigo e verás como oferecerei os sacrifícios"!

Daciano respondeu: “Não me enganarás de novo. Você quer que a terra me trague e também as imagens dos meus deuses".

São Jorge então disse: “Imbecil miserável! Como pode adorar a esses deuses que não podem nem ajudar a eles mesmos”?

A esse diálogo assistia Alexandra, a esposa de Daciano presa de indignação disse que São Jorge tinha razão e que queria também ser cristã.

Daciano furioso mandou que a pendurassem pelos cabelos em uma viga e que a açoitassem sem piedade, até a morte.

E Alexandra perguntou a São Jorge: "Vou morrer e não sou batizada".

São Jorge respondeu batizando-a e usando para isto o sangue dela derramado em vez de água e disse ainda: "O sangue que está derramando, está te batizando e vale uma coroa de gloria e com o Senhor Jesus Cristo terás tudo”. Em seguida Alexandra expirou santamente.

Daciano enfurecido mandou que arrastassem a São Jorge pela cidade até o local onde seria decapitado.
O santo antes de morrer, rogou ainda ao Senhor que atendesse aos rogos de todos que pedissem por sua intercessão e mediação.

Apesar da popularidade de São Jorge, se conhecem poucos fatos de sua vida e as noticias que se tem se baseiam em lendas e tradições que se passaram de boca em boca através dos anos. Não obstante todos os escritores e historiadores concordam que foi um soldado romano, nasceu na Capadócia (Turquia) e morreu em princípios do século IV, provavelmente na cidade de Lydda, atualmente Lod em Israel.


A Lenda do dragão.

A lenda do Dragão, a mais difundia e na qual o santo está a cavalo e luta contra um monstruoso animal que vivia em um lago, a aterrorizar a toda a população de Lydda. Do dito animal saia um odor forte que contaminava a todos e o monstro exigia o sacrifício de uma pessoa viva para não se aproximar da cidade. Mas um dia quando o dragão estava para comer a filha do rei, apareceu Jorge e com a ajuda de Cristo matou o monstro que seria na verdade o demônio. Assim ele é considerado o santo padroeiro dos namorados (hoje nos países de língua inglesa é São Valentino e no Brasil é Santo Antônio de Pádua, mas nos outros países latinos da Europa o padroeiro dos enamorados ainda é São Jorge).

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Compadeceu-se do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

Sua festa é celebrada no dia 23 de abril.