Seguidores

TRADUTOR

domingo, 1 de abril de 2012

HISTÓRIA E ORAÇÃO A NOSSA SENHORA CONSOLATA


NOSSA SENHORA CONSOLATA

(20 de JUNHO)

NOSSA SENHORA CONSOLATA

Também conhecida como Nossa Senhora da Consolação ou Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos.

Cada vez mais se confirma que a Virgem Maria é a mãe de todos os povos, são unânimes em proclamar o grandioso auxílio da Virgem Maria, que por isso é invocada pelos cristãos com o título de Consoladora dos Aflitos.

A devoção para com Nossa Senhora Consolata ou Consoladora dos Aflitos surgiu em Turim, Itália, na metade do século V, por iniciativa do bispo São Máximo.

Segundo a tradição, Santo Eusébio, bispo de Vercelli, trouxe o quadro de Nossa Senhora Consolata da Palestina para a Itália no século IV e o entregou a São Máximo, bispo de Turim. São Máximo, por sua vez, no ano 440, expôs o quadro à veneração dos fiéis, num pequeno altar erguido no interior da igreja do Apóstolo Santo André. A convite do Bispo, o povo, começou a venerar a Virgem daquele quadro com grande fé e devoção. Maria respondia com muitas graças, e fatos extraordinários, sobretudo em favor das pessoas doentes e sofredoras. Sensibilizados com o amor misericordioso da Virgem Maria, São Máximo e o povo começaram a invocá-la com muitos títulos: Nossa Senhora Mãe das Consolações, Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos, Nossa Senhora Consolata.

O quadro de Nossa Senhora Consolata permaneceu exposto à veneração dos fiéis, durante quatro séculos consecutivos. Por volta do ano 820 entrou em Turim a heresia dos iconoclastas (pessoas que destruíam toda e qualquer imagem ou quadro religioso exposto ao culto). Em tal circunstância, temendo que o quadro da Consolata fosse destruído, os religiosos que tomavam conta da igreja de Santo André resolveram tirá-lo do altar e escondê-lo nos subterrâneos da igreja. Mas a perseguição se prolongou por muitos anos. Assim, o quadro ficou desaparecido pelo espaço de um século. Este fato fez com que os fiéis deixassem de frequentar a capela e perdessem a lembrança da Virgem Consolata.

No ano 1014, Nossa Senhora apareceu a Arduíno, Marquês de Ivréia, gravemente enfermo, e lhe pediu que construísse uma capela em sua honra em Turim, junto às ruínas da antiga igreja de Santo André. O Marquês Arduíno milagrosamente curado por Nossa Senhora, e tocado profundamente pelos favores da Virgem Maria, empreendeu a construção da capela.

Ao fazerem as escavações para os alicerces da capela de Turim, os operários encontraram no meio dos escombros o quadro de Nossa Senhora Consolata, ainda intato, apesar de ser uma pintura em tela. O fato encheu de alegria a população da cidade e a devoção à Mãe das Consolações renasceu.

No século seguinte, uma terrível guerra civil quase destruiu completamente a cidade de Turim, fez com que muitos habitantes de Turim abandonassem a cidade. Com tal situação, a igreja de Santo André e a capela de Nossa Senhora Consolata foram desmoronando aos poucos e tudo acabou novamente num monte de escombros. E o quadro da Consolata, mais uma vez, ficou mergulhado nas ruínas por muitos anos.

Maria, porém, interveio de novo, e de forma extraordinária. Em 1104, segundo a tradição, chegou a Turim, John Ravais, um homem cego de Briançon, França, que afirmava ter tido uma visão: enterrada sob as ruínas de uma velha igreja, vira uma pintura de Nossa Senhora. A Virgem revelou-lhe ainda que aquela capela localizava-se em Turim, na Itália. E a Virgem Maria prometeu devolver-lhe a visão se fosse a Turim visitar a sua capela que jazia em ruínas. Lutando contra muitas dificuldades o cego chegou a Turim. Com o apoio do bispo, deram início aos trabalhos da escavação no local indicado pelo cego conforme orientação de Nossa Senhora.

No dia 20 de Junho de 1104, o quadro da Consolata, ainda intacto, foi reencontrado sob as ruínas. O cego, conduzido à presença do quadro, recuperou instantaneamente a visão. Este episódio consolidou na alma do povo de Turim a devoção para com Nossa Senhora Consolata. A partir destes fatos a devoção se espalhou pelo mundo e o Santuário de Turim se tornou um grande centro de peregrinação.

Pe. José Allamano, encarregou-se de espalhar a devoção a Nossa Senhora Consolata no mundo inteiro. Foi reitor do Santuário em Turim, por 46 anos e o transformou num centro de Espiritualidade Mariana e de irradiação missionária. Fundou duas congregações religiosas, a dos padres Missionários da Consolata e das irmãs Missionárias da Consolata.

Consolata quer dizer Consoladora. A missão destes religiosos é anunciar ao mundo todo, a Verdadeira Consolação: Jesus Cristo.


ORAÇÃO A NOSSA SENHORA CONSOLATA

Ó Mãe Consolata!

Vós sois no céu a Rainha dos Anjos e dos Santos, mas aqui na terra é a Mãe das consolações.

Vós sois a Consolata e eu, vosso (a) filho (a), vos peço, portanto, consolação e a graça... (pedir a graça).

Mãe querida, vós sabeis o modo, conheceis o caminho para ouvir-me, por isso confio em vós!

Dizei uma palavra a Jesus que trazes em vossos braços  com tanto amor e carinho, e será o suficiente para que eu prove a alegria do conforto.

Consolado (a) por vós e pelo vosso Filho, serei capaz de consolar os meus irmãos que mais sofrem.

Saberei também enfrentar com serenidade as dificuldades, encontrando em vós auxilio e proteção.

Que Assim Seja.

Um comentário:

  1. Vim te conhecer e achei um encantamento de lugar, transmitindo paz e tranquilidade.

    Seja bem vinda.
    Beijinhos de borboleta.
    Lua.

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO