Seguidores

TRADUTOR

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

VIDA E ORAÇÃO A SANTA FILOMENA

(10 DE AGOSTO)

ORAÇÃO A SANTA FILOMENA (1)

Ò Gloriosa santa Filomena, Virgem e Mártir, exemplo de fé e esperança, generosa na caridade, a vós suplico, escutai a minha prece. Do céu onde reinais, faça cair sobre mim toda proteção e auxílio de que necessito, neste momento em que minhas forças se enfraquecem.

Vós que sois tão poderosa junto a Deus, intercedei por mim e alcançai-me a graça que vos peço (a graça que deseja receber).

Ó santa Filomena, ilustre por tantos milagres, rogai por mim.

Não me abandonais, mas lançai vosso olhar como um raio de esperança sobre mim e minha família. 

Afastai as tentações, dai paz a minha alma e abençoai a minha casa.

Ò santa Filomena, pelo sangue que derramastes por amor a Jesus Cristo, alcançai-me a graça que vos peço.

Que Assim Seja.

ORAÇÃO A SANTA FILOMENA (2)

Gloriosa Virgem e Mártir Santa Filomena, que do céu, onde reinais, vos comprazeis em fazer cair sobre a terra benefícios sem conta, de todo o coração bendigo ao Senhor pelas graças que vos concedeu durante a vida e sobretudo na hora da vossa morte.

Louvo-O e bendigo-O também pela honra do poder de que Ele hoje vos coroa e, neste instante humildemente imploro que me obtenhais de Deus as graças (pedido) que lhe peço neste momento por vossa poderosa intercessão.

Que Assim Seja.

VIDA DE SANTA FILOMENA

Filomena foi uma santa muito reverenciada. Teria sido uma mártir e virgem e os seus restos foram descobertos na catacumba de Santa Priscilla na Via Salaria em 1802. A tumba estava coberta com três pedras com a inscrição “Lumena Pax Te Cum Fi”. Quando colocadas na ordem correta significavam “Paz esteja convosco Filumena”. Com base no achado, os ossos da tumba foram presumidos como sendo o de uma cristã e mártir. Assim ela foi venerada como uma santa e alguns milagres foram reportados como tendo acontecido durante o traslado das relíquias para o templo de Mugnano, na Diocese de Nola.

A Filomena foi dado um oficio próprio na Missa pelo Papa Pio IX em 1855 e graças à devoção intensa de São João de Vianney (1859), ela logo se tornou uma das santas mais populares da Igreja. Investigações arqueológicas posteriores revelaram que talvez os ossos e a inscrição não correspondessem à mesma pessoa.

A freira Maria Luiza de Nápoles teve uma serie de visões nas quais incluía a história de Santa Filomena e o dia de sua festa como sendo 10 de Agosto (que por uma incrível coincidência foi o dia do traslado de suas relíquias para Mugnano).

De acordo com esta visão Filomena era filha convertida, de um nobre Grego e foi dado o nome de Lumena, mais tarde batizada Filomena (o que a irmã Maria Luiza pensava ter o significado de filha da luz), mas que em grego Lioumene significa “amada”. Segundo as mesmas visões Dioclécio queria casar-se com ela, mas a mesma havia entregado sua virgindade a Jesus. A descrição do seu martírio é cheia de anjos que curavam as feridas, antes mesmo de outros suplícios, o que seria para alguns escolares um provável sinal de não autenticidade.

Mas São João Batista Vianney, o Cure d’Ars, construiu um santuário em sua honra e referia-se a ela como tendo curado a quase morta Pauline Jaricot, fundadora da Associação da Propagação da Fé, no tempo de Filomena. Isto espalhou seu culto por toda a Itália e o culto público acabou sendo autorizado.

O Papa Leão VII deu permissão para construção de altares e igrejas em sua honra. O Papa Gregório XVI autorizou a sua veneração pública e a indicou padroeira do Rosário Vivo. A cura de do Papa Pio IX, quando ele era ainda o Arcebispo de Imola foi atribuída a Filomena e em 1849 ele a nomeou padroeira das Filhas de Maria.

Entretanto bem mais tarde os Beneditinos descobriram que o arranjo das pedras era um costume saxônico da época e que se usavam pedras já gravadas no 4° século. Adicionalmente, os ossos não eram tão velhos e os ossos originalmente enterrados na tumba teriam sido removidos mais cedo. Assim em 1961 seu culto foi abolido pelo Papa João XXIII, e seu santuário demolido.

Mas suas relíquias são preservadas em Mugnano, Itália.

Cumpre observar que mesmo que seu nome não seja Filomena, os milagres permanecem e nada impede que seus devotos continuem chamando-a Santa, pois se sabe que foi uma mártir, e vários milagres foram creditados a sua intercessão.

Aqueles que ficaram sem padroeira ficaram muito zangados, mas a Igreja apontou para Santa Filomena de São Severino. É que esta segunda Santa tem uma semelhança incrível com a primeira. Quando se desmantelou o antigo altar de São Severino (perto de Ancona), os pedreiros encontraram um corpo perfeitamente conservado e exalando perfume. Um pergaminho amarrado em seu pescoço identifica o corpo como sendo o de Santa Filomena, filha Clafellorum trasladado para São Severino no tempo dos Goaths.

Na arte da liturgia da Igreja Santa Filomena (de São Severino) é mostrada como uma moça com um lírio ou uma ancora e três flechas. Ela às vezes é mostrada segurando uma palma e um açoite.

Sua festa é celebrada no dia 10 de agosto.

Em tempo: Santa Filomena não foi de - canonizada. Apenas a sua festa litúrgica foi retirada do calendário litúrgico romano. Mas, devido aos seus milagres terem continuado, existe um movimento mundial para a re instalação da festa de Santa Filomena. Quem, por alguma razão, tenha sido agraciado com um milagre por esta santa, favor levar a sua contribuição a este movimento no site: (é necessária sua identificação e o email caso o Vaticano deseje algum contato mais detalhado).

Um comentário:

  1. Minha querida Santa Filomena eu te peço muita força de viver. Ajudai-me ter força e coragem para a vida

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO