Seguidores

TRADUTOR

quinta-feira, 5 de julho de 2012

HISTÓRIA DE NOSSA SENHORA MENINA





A imagem de Nossa Senhora Menina foi modelada em cera em 1735 pela Irmã Isabella Chiara Fornari (1697-1744), em Todi, Itália. Em 1738 essa imagem foi comprada pelo Bispo de Milão, Alberico Simonetta.
Mais ou menos um ano após a sua morte, a imagem foi para as irmãs capuchinhas do Monastério de Santa Maria dos Anjos. As freiras desse convento passaram então a venerar Nossa Senhora Menina porque elas se dedicavam à educação de jovens. Logo essas irmãs tornaram-se devotas fervorosas do mistério da Natividade de Maria. Durante a supressão das congregações religiosas (nos anos 1800), a imagem de Maria Menina ficou sob a custódia da irmã Bárbara Viazzoli, que foi a última freira capuchinha a guardar essa imagem.

 Logo depois de sua morte, a imagem foi dada ao pároco da Igreja de São Marcos, Frei Luigi Bosisio,  que, por sua vez, confiou a imagem à Madre Superiora Teresa Bosio das Irmãs de Caridade do Hospital Ciceri, em 1842.

Em 24 de abril de 1876, a imagem de cera foi trazida para o lugar onde está até hoje, na Maternidade das Irmãs de Caridade, em Milão. Durante todo esse tempo a devoção a Nossa Senhora Menina ficou limitada às freiras e noviças daquela comunidade.

A imagem era usualmente exposta no Noviciado e somente ia para a capela no dia da Natividade de Maria, dia 8 de Setembro e também durante as Oitavas (um período de oito dias que incluía o dia da festa seguido de mais sete dias).

No entanto, o tempo e as festas deixaram marcas na imagem de cera. A face se tornou descolorida e amarelada, sem vida. A imagem foi então removida do Noviciado e passou a ser guardada numa grande cômoda.

Todo ano alguém a retirava dali e a levava até a capela, mas somente no dia da Natividade de Maria e nas Oitavas. A partir de 9 de setembro de 1884 Nossa Senhora Menina começou a recompensar seus devotos.

A Irmã Giuseppa Woinovich ficou entrevada e sentia dores terríveis devido à paralisia de seus braços e pernas. Em 8 de setembro ela implorou à Madre Superiora que trouxesse a imagem de Nossa Senhora Menina para a enfermaria para que ela pudesse passar a noite. Na manhã seguinte, a Madre Superiora teve a ideia de levar a todas as outras doentes da enfermaria aquela velha e maltratada imagem para que todas pudessem venerá-la.

Naquela enfermaria havia uma noviça muito devota chamada Giulia Macario, que não podia andar devido a uma grave doença. Fervorosamente ela tomou a imagem em seus braços e pediu a Maria Menina a graça de ter sua saúde de volta. Imediatamente ela foi curada.

Após esse milagre a imagem foi guardada no quarto da Madre Superiora. Em 18 de outubro de 1884 vestiram a imagem de Maria Menina e a colocaram num lindo berço. Ela foi solenemente carregada e colocada entre dois candelabros, num quarto que ficou sendo sua capela provisória. Ali as Irmãs podiam parar para rezar assentadas no único banco que havia no aposento.

Nos meses seguintes outras duas Irmãs foram miraculosamente curadas pela intercessão de Nossa Senhora Menina. Muitas graças e milagres aconteceram pela devoção de Maria Menina.

Em 16 de janeiro de 1885, as Irmãs começaram a testemunhar uma incrível transformação. Daquela imagem de cera amarelada, cinzenta e sem vida começou a surgir cor e vivacidade e a imagem passou a ser tão linda quanto o rosto de um bebê.

Em 8 de setembro de 1888, a Madre Superiora Clementina Lachman levou Maria Menina para sua nova capela. Em 31 de Maio de 1904, a imagem foi solenemente coroada pelo Cardeal Ferrari e em setembro de 1909 o Papa Pio X concedeu indulgência plenária para visitas às capelas das Irmãs de Caridade a todo dia 8 de setembro. Nos anos subsequentes uma corrente de fraternidade em honra a Maria Menina e a “Liga da Inocência” foram criadas.

Passou a ser costume dar de presente uma pequena imagem de Nossa Senhora Menina aos casais recém-casados. A devoção a Maria Menina se espalhou a partir de Milão para toda a Itália. Durante a segunda guerra mundial, em 24 de outubro de 1942 o convento foi atingido por bombas.

Em fevereiro de 1942, levaram a imagem para um lugar seguro, na Via Maggianico. Durante os dias 15 e 16 de agosto de 1943, devido aos constantes bombardeios, o santuário e o convento ficaram em ruínas. No entanto, a destruição do santuário não deteve as freiras e as pessoas em Milão e foi feita a celebração da festa da Natividade de Nossa Senhora.

Em 4 de setembro de 1945, Nossa Senhora Menina retornou a Milão. Depois do terceiro dia de celebração em sua honra ela foi provisoriamente instalada em uma capela próxima ao convento.

Em 18 de novembro de 1953, ela foi levada ao novo santuário e, no dia 21, o novo santuário foi consagrado pelo Cardeal Schuster.

A cada ano na festa da Natividade de Nossa Senhora as Irmãs tocam pequenos chumaços de algodão na imagem de Nossa Senhora Menina. Esses chumaços são entre os devotos como relíquias. Doce Ventre de Ana que guardou o Coração da Mãe de Deus.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA MENINA


PRIMEIRA ORAÇÃO

Maria, beleza Infantil, Coração de Criança,
Alma Delicada que todos os anjos veneram.
Sede a minha inspiração, Menina Pura de Deus
Sede a minha força, Encanto do Espírito Santo
Sede para mim a Luz que me leva ao céu
Maria, menina, ensina-me a amar a Deus como tu o amaste
Desde a mais tenra idade
Orgulho do Filho de Deus,
Rogai por mim e obtenha de Deus a pureza de criança para a minha alma.
Amém.

SEGUNDA ORAÇÃO

Dulcíssima Menina Maria, que destinada a ser Mãe de Deus, passaste a ser também nossa augusta soberana e Mãe amadíssima, pelas graças prodigiosas que realizastes no meio de nós, ouvi, piedosa, as nossas humildes súplicas.
Nas necessidades que de todos os lados nos oprimem, e especialmente nesta presente tribulação, nós nos confiamos de todo a Vós.

Ó Santa Menina, em virtude dos privilégios concedidos unicamente a Vós e pelos méritos que adquiristes, mostrai-Vos ainda hoje piedosa para conosco.

 Mostrai que a fonte dos tesouros espirituais e dos contínuos bens que dispensais é inesgotável, porque limitado é também o poder que exerceis junto do Coração paternal de Deus.

Pela imensa profusão de graças com que o Altíssimo Vos enriqueceu, desde o primeiro momento da vossa Conceição Imaculada, dignai-Vos conceder-nos, ó Celestial Menina, a nossa petição, e louvaremos eternamente a bondade do vosso Imaculado Coração. Amém.

Fonte: Luzeiro

3 comentários:

  1. Olá querida Luconi, obrigada pela carinho e sua visita aos meus blogs. Meu pêsames, ainda bem que acreditamos no mesmo Deus, aquele que nos confortam e nos levantam das quedas da vida.Que bom que voltou, tenha uma ótima semana.Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, amiga. Lindo esse outro espaço. Obrigada pela bela partilha! Adorei conhecer nossa senhora menina. Bela história de amor e fé! Deixo um beijo carinhoso e paz pra vc.

    ResponderExcluir
  3. Estou com minha mãe enferma e preciso da AJUDA do UNIVERSO para que possamos nos libertar da dor e ter FÉ para dias melhores para a humanidade. Paz para todos

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO