Seguidores

TRADUTOR

sábado, 9 de maio de 2015

VIDA E ORAÇÃO A SANTA JUANA DE LESTONNAC FUNDADORA DA COMPANHIA DE MARIA


                                                                                   15-05


SANTA JUANA DE LESTONNAC

FUNDADORA DA COMPANHIA DE MARIA


Juana de Lestonnac nascida em Bordeaux (França),  em 27 de dezembro de 1556, em uma família da nobreza, faleceu em 02 de fevereiro de 1640.




Ela vive guerras estreitas entre protestantes e católicos. Seu pai, Ricardo de Lestonnac, membro do Parlamento de Bordeaux e conselheiro em assuntos religiosos, foi um defensor da fé católica, conhecido por sua honestidade e retidão.



Sua mãe, Juana Eiquem de Montaigne, estava comprometida com o calvinismo, participou de reuniões clandestinas e resistiu, a seu modo, os moldes antigos. Ela era culta e , corajosa, capaz de divergir com o marido na questão religiosa.



Juana de Lestonnac participou, como era o costume, em seguida, entre os casamentos mistos, a educação nas duas confissões.

Eram tempos difíceis e, ao mesmo tempo interessantes, pois ela mudou as chaves de interpretação da história, o esforço para discutir a fé e a razão, a individualidade e socialmente estabelecida,  ela realmente inovou.




A sobrinha de Miguel de Montaigne, um erudito, famoso em seu tempo o homem, um humanista e um bom amigo humanista "como as escolhas e discernir depois" introduziu Juana  neste pensamento e também nas novas correntes da modernidade .



Muito jovem, casou-se com Gaston Montferrant, Baron Landiras e de la Motte..um bom homem, dizem. Logo ela se tornou mãe, teve oito filhos, três dos quais morreram na infância.

Após o seu casamento o marido permite que ela torne a sua casa "área de recepção" para todos, especialmente para os idosos, os sem-teto ... Juana visita as prisões ... traz conforto para as famílias carentes ... As crianças compartilham  com sua mãe a a entrega ao serviço.

Aos 41 anos ficou viúva e em breve também teve que suportar a dor da perda de seu filho mais velho. Viúva, com quatro crianças difícil era a sua situação.

No momento em que ela decidiu colocar as energias não apenas nos seus, mas também em outros, ampliar as relações para além dos laços de sangue, ganhou nova vida, tudo melhora.

Usou sua influência e aproveitou oportunidades que lhe deram chance de estar perto de quem tinha as mesmas vantagens,buscando mais dignidade para famílias pobres, acompanhava os doentes, e conseguiu libertar alguns prisioneiros. Estava se formando nesta parte de sua vida uma atitude determinada de trabalhar para os outros e com toda a sua força.




Alguns anos mais tarde, aos 46 anos, quando os filhos começam a assumir o controle de sua vida, Marta e Magdalena duas filhas que escolheram a vida religiosa, Juana  decide entrar no mosteiro cisterciense de Feullantinas de Toulouse.

O mosteiro de Feullantinas era conhecido por sua estrita observância e austeridade de vida e Juana não poderia lidar com tudo isso, começou a mostrar sinais de fraqueza na saúde. Uma tarde, o Superior do mosteiro lhe disse que ela não poderia assumir a responsabilidade de continuar lá.



A História da Ordem conta que aquela noite "Night of the cisterciense" ela era uma mulher em total perplexidade, em confusão genuína, angustiada e triste. É a partir dessa escuridão a partir do qual Juana relê sua vida e decide investir confiança em Deus e em si mesma como um buscador da verdade. Conta a história da Ordem, que, na época, encontrou conforto e luz, que ela percebeu que, longe de se paralisar deveria começar a trabalhar. Diz o texto da História da Ordem:

"Ela viu um grande número de jovens a cair no abismo e percebeu que era ela que deveria chegar"

Juana de Lestonnac vê um monte de jovens em dificuldade e compreende a importância de estender a mão para evitar a perda de pessoas. Ela sente uma missão educativa que tem pouco a ver com assistencialismo ou caridade, é uma tarefa preventiva para ajudá-los a tornar-se capaz, por si só, fora da névoa.



Um espaço para amadurecer a idéia, a ruminar sozinho, para enfrentar e procurar aconselhamento e colheitadeiras, enquanto tentava por o sonho em prática, outra  praga devastou Bordeaux e precisava dar uma mão. Sua filha Juana também estava preparando seu casamento e precisava de ajuda.

Mesmo assim procurou dois jesuítas, Padre De Bordes e Raymond P.,  que apoiaram a sua empresa, e lhe disseram :
_Você vai se juntar a um grupo de mulheres que compartilham o projeto.

Em 7 de março de 1606 Juana e suas primeiras companheiras apresentam o projeto a ser aprovado pela igreja.

Também não foi fácil aprovação, não era real até que um ano mais tarde (7 de abril de 1607) o Papa Paulo V aprova o Instituto com o Brief "Salvatoris et Domini".
Em 01 de maio de 1608 foi o primeiro tiro de hábito. Lestonnac Juana e suas companheiras são dedicadas ao Senhor, para seguir na total e empenhada entrega a ordem de acordo com o Evangelho de Jesus.

Juana de Lestonnac se atreve a identificar-se com Maria de Nazaré. Mãe, buscadora da presença de Deus em perplexidade como ela quer ser a companheira e o modelo de referência da Ordem acabada de nascer; daí o nome de colocar a Companhia de Maria.

É por isso que sabemos por que qualificar Juana de Lestonnac de
"Mulher de mente aberta, com profundo conhecimento sobre as questões de seu tempo, ela foi capaz de se envolver na busca de soluções e optou por canalizar para a educação do setor em desvantagem ao longo do tempo: as mulheres"




Seu projeto educacional fala da capacidade de resposta, capacidade para impressioná-la na diversidade, capacidade de coletar várias contribuições de seu tempo e movê-los para o campo educacional de "como as coisas para escolher mais tarde." Algumas idéias calvinistas, do humanismo Miguel de Montaigne, experiência inaciana e sistema educacional dos jesuítas, misturado com sua experiência longa e intensa vida foram a base para o projeto.




A Sociedade de Maria está presente em 26 países em quatro continentes: África: República Democrática do Congo, Camarões, Quénia, Tanzânia e Egito; Ásia: Japão, Filipinas e Líbano; América do Norte: Estados Unidos, México, Nicarágua, Cuba, Colômbia, Peru, Bolívia, Paraguai, Chile, Brasil e Argentina; Europa: França, Espanha, Bélgica, Itália, Inglaterra, Holanda e Albânia.

Foi beatificada em 23 de Setembro de 1900. A sua canonização é comemorada em 15 de maio de 1949, durante o pontificado de Pio XII.

Fonte:


ORAÇÃO A SANTA JUANA DE  LESTONNAC


Peço que Deus Pai em nome de Jesus, permita que Santa Juana de Lestonnac, ouça a minha súplica.

Santa Juana de Lestonnac me encaminhe nesta vida para que eu possa ser uma fiel seguidora dos ensinamentos de Jesus e dos exemplos da Virgem Maria, que eu seja o porto seguro de minha família e jamais deixe de abrir meu coração aos irmãos desta terra, exemplificando o verdadeiro amor fraternal que tanto Jesus nos ensinou, que assim seja, em nome da Virgem Maria, de Jesus Cristo e de Deus Pai, que assim seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO