Seguidores

TRADUTOR

domingo, 17 de abril de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SÃO SEBASTIÃO

SÃO SEBASTIÃO

(20 DE JANEIRO)


ORAÇÃO A SÃO SEBASTIÃO (1)
PARA OS MOMENTOS DE DÚVIDA E DESESPERO!

(Diante de uma imagem de São Sebastião, faça alguns momentos de silêncio, pedindo interiormente as luzes do Espírito Santo).

São Sebastião, tu que foste um jovem e valente militar romano, e que por tua fé em Cristo Jesus, sofreste as mais cruéis humilhações, perseguições, injúrias, abandono, e foste duplamente sacrificado, chegando ao ápice do amor em entregar sua própria vida e derramar seu precioso sangue em honra do Deus.

Implorai ao bom Deus por mim para que eu seja capaz de me recuperar e dominar este estado de tristeza e desespero em que me encontro.
Arrancai esta treva absurda que tomou conta do meu coração e ilumine, ó mártir glorioso, minha inteligência, para que eu descubra que só Deus me basta! E que eu devo, assim como tu em tudo e por tudo, realizar a vontade dele pra minha vida.

Que o fogo do amor que te consumiu de zelo pela causa do bem, inflame também meu coração e me faça mergulhar na bondade deste Deus misericordioso que me carrega no colo mesmo quando me sinto abandonado e desorientado.

Ajuda-me a crer, cheio de esperança, que todo sofrimento tem seu fim, pois o amor do coração de Jesus liberta os corações das correntes do medo e da angústia.

Daí-me um pouco de tua luz ó São Sebastião e providencie para mim, teu devoto, o dom da alegria! Que esse dom me cure e me liberte, me faça ver as novas luzes que se acendem, pois o amor do Pai começa a brilhar para mim, sua misericórdia começa a me envolver e eu me abro inteiramente à Vida Nova que o Espírito Santo de Deus me traz.

O mesmo Espírito que ungiu tua vida, tornando-o um soldado valente, guerreiro e destemido, dá-me a força que urgentemente necessito para poder louvar o Pai e o Filho, sem nada me pesar no coração.

Creio firmemente que serei atendido, que meu brado de súplica será ouvido no céu e assim, me comprometo a espalhar a vossa devoção.

Glórias sejam dadas à Trindade Santa para sempre! Amém.

São Sebastião, nosso advogado junto a Deus, socorra-nos, defendei-nos e amparai-nos! (Rezar 1 Pai nosso, 1 Ave Maria e 1 Glória ao Pai em honra de São Sebastião).

Que assim seja.

ORAÇÃO A SÃO SEBASTIÃO (2)

Glorioso mártir são Sebastião, vós que derramastes vosso sangue e destes vossa vida em testemunho da fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, alcançai-nos do mesmo Senhor, a graça de sermos vencedores dos nossos verdadeiros inimigos: o ter, o poder e o prazer, que fazem viver sem fé, sem esperança e sem caridade.

Protegei, com a vossa poderosa intercessão, os filhos desta terra.

Livrai-nos de toda epidemia corporal, moral e espiritual.

Fazei que se convertam aqueles que, por querer ou sem querer, são instrumentos de infelicidade para os outros.

E que o justo persevere na sua fé e propague o amor de Deus, até o triunfo final.

São Sebastião, advogado contra a epidemia, a fome e a guerra, rogai por nós.

Que assim seja.

VIDA DE SÃO SEBASTIÃO

São Sebastião foi um dos muitos soldados romanos que por sua fé em Jesus foi martirizado. É uma pena que só se pode saber de sua história através das atas de seu martírio que foram escritas dois séculos mais tarde. Em quase todas as atas de martírios de santos e santas, os escribas tinham ordens de colocarem muitos detalhes do martírio e dar pouca ênfase ao martirizado, (isto era para assustar os futuros cristãos, visto que as atas eram colocadas na cidade onde ocorria o martírio, e na biblioteca de Roma).

Um soldado do exército, nosso santo nasceu em Narbona, França, no final do século III e desde muito pequeno seus pais mudaram para a Milão onde cresceu e foi educado. Seu pai era militar e nobre, ele quis seguir a carreira do pai, chegando a ser capitão da primeira corte de guarda pretoriana, um cargo que só se dava a pessoas ilustres e corretas.

Sua dedicação a sua carreira valeu elogios de seus companheiros e principalmente do imperador Maximiano. Cumpre recordar que o império romano na época era governado no oriente por Diocleciano e no ocidente por Maximiano.

Maximiano ignorava que Sebastião era um cristão de coração e ainda que mesmo cumprindo as suas tarefas militares, não tomava parte nos sacrifícios nem nos atos de idolatria. Sempre que podia, visitava os cristãos encarcerados e ajudava aos mais fracos, doentes e necessitados.

Podia se dizer que era um soldado dos dois exércitos: o de Cristo e o de Roma.

Maximiano empreendeu uma depuração de elementos cristãos nas forças armadas expulsando todos os cristãos de seus exércitos. Cabe dizer que o soldado do exercito romano era voluntário. Só era obrigatório servir, os filhos de militares, como era o caso do nosso Sebastião. Quando um soldado o denunciou.

Maximiano sentiu-se traído por Sebastião e rapidamente o chamou e exigiu que renunciasse ao cristianismo.

Ante tal situação, Sebastião comunicou ao imperador que não queria renunciar as suas crenças cristãs e o imperador ordenou a sua morte. Mas Maximiano ordenou a sua morte de maneira a mais desumana. Ordenou que seus melhores arqueiros o flechassem! Os arqueiros o desnudaram, levaram-no ao estádio de Palatino, o ataram a um poste e lançaram nele uma chuva de flechas e o abandonaram para sangrar até a morte.

Irene, uma mulher cristã, providencial, que apreciava os conselhos de Sebastião, junto com um grupo de amigos, foi ao local onde estava o santo, e com assombro, comprovaram que o mesmo ainda estava vivo.

O desamarraram e Irene o escondeu em sua própria casa e curou as suas feridas.

Passado um tempo, nosso querido santo, já curado, quis continuar seu processo de evangelização e em vez de se esconder, com valentia apresentou-se de novo a Maximiano, o qual ficou assombrado.

Maximiano não deu ouvidos aos pedidos de Sebastião para que deixasse de perseguir aos cristãos e ordenou a seus soldados que o açoitassem até a morte.

Outra versão conta que ele foi morto a pauladas e boladas de chumbo em 303DC e o Imperador ordenou que ele fosse jogado em um fossa de modo que os cristãos não o encontrassem.

Mas mais tarde Sebastião apareceu para uma cristã chamada Lucina e disse a ela: "em certo poço você me encontrará pendurado por um gancho e você deve me enterrar nas catacumbas dos apóstolos".

Na mesma noite ela e seus servos fizeram o que Sebastião ordenou.

Alguns autores dizem que Lucina o enterrou no jardim de sua casa que ficava situado na Via Ápia onde está hoje sua Basílica.

Ele foi martirizado no ano de 287 DC. 
Mais tarde a Igreja construiu na parte posterior da catacumba um templo em honra do santo: A Basílica de São Sebastião que lá existe até hoje e recebe grande romaria dos seus devotos. Existe ainda uma capela em Palatino em homenagem a São Sebastião. Em baixo uma foto de uma pintura (Museu de Pushkin) mostrando Irene curando as feridas de São Sebastião.
A Irene que cuidou de São Sebastião, é a Santa Irene cuja festa é celebrada no dia 30 de março.

Sua festa é celebrada no dia 20 de janeiro.

Um comentário:

  1. "É coisa difícil renovar o que é antigo, dar responsabilidade ao que é novo, beleza ao que é obsoleto, luz ao que é escuro, graça ao que é desdenhado, confiança ao que é duvidoso." (Plínio, o velho)

    Mas nada tornar-se-á impossível,
    quando perseveramos em renovação...

    Feliz Páscoa!

    Bjs

    Livinha

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO