Seguidores

TRADUTOR

sábado, 27 de setembro de 2008

ORAÇÃO AO GLORIOSO SÃO JORGE



(23 DE ABRIL)

ORAÇÃO AO GLORIOSO SÃO JORGE

Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge.

Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem, nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal.

Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se quebrem sem ao meu corpo, amarrar.

São Jorge, cavaleiro corajoso, intrépido e vencedor abra os meus caminhos.

Que Assim Seja.

(rezar 1 Pai Nosso,1 Ave Maria e 1 Glória ao Pai)

VIDA DE SÃO JORGE

Naquele tempo, sendo imperador Diocleciano e Maximiano, o governador Daciano desencadeou uma terrível perseguição contra a igreja, com tanta sanha que foram martirizados cerca de 17.000 cristãos e muitos outros foram perseguidos, e outros vencidos pelas torturas, consentindo em renegar a sua fé e a oferecer sacrifícios aos ídolos romanos.

A tradição diz que São Jorge  renunciou a carreira de militar e distribuiu seus bens entre os pobres e vestindo-se como se  vestiam na época os cristãos, foi a rua e passou a repetir frases como "Os deuses pagãos são demônios e o único autentico Deus é Cristo".

O governador ao inteirar-se do fato, chamou a Jorge e perguntou: "Com que direito chamas os nossos deuses de demônios? Que queres tu? E de onde es tu? E em nome de quem está dizendo isto”?

São Jorge respondeu: "Sou da Capadócia, pertenço a uma família de nobres e sou militar, e com a ajuda de Cristo conquistei as terras da Palestina, mas renunciei a posse de tudo que me foi dado e aos meus títulos e cargos que possuía, para sem honras e riquezas servir a Deus".

O governador tentou convencê-lo a renunciar a sua fé, mas não conseguindo ordenou os seguintes tormentos:
O ataram a um cavalo, rasgaram suas carnes com garfos de ferro e cobriram com sal todo o seu corpo chagado.

Depois de ser assim torturado durante todo um dia, ao chegar à noite, o Senhor Deus rodeado de uma vivíssima claridade, o consolou com doces palavras e o deixou tão confortável que São Jorge parecia que não tinha sido torturado.

Em vista de que com ameaças e torturas não conseguia nada, o governador Daciano mudou de tática e o tentou com fortunas e promessas de recompensas.

Jorge sorrindo respondeu: "Porque em vez de me torturar não me disseste estas coisas no inicio? Aqui me tens disposto a fazer o que me propõe”!

Daciano não se deu conta da tática de São Jorge, e mandou publicar um pregão, convocando o público a assistir aos sacrifícios que São Jorge por fim, iria oferecer aos ídolos romanos. Mandou o governador que a cidade fosse enfeitada. No dia previsto para o grande acontecimento, a multidão curiosa e com grande expectativa, lotou o templo no qual São Jorge iria adorar publicamente os deuses romanos.

Na hora marcada, São Jorge entrou no recinto, ajoelhou e pediu ao Senhor Deus para converter o povo dentro do templo, e pediu que o Senhor se dignasse destruir as estátuas dos ídolos e o templo, de maneira a não ficar nenhum vestígio delas. Acabando sua oração desceu dos céus uma rajada de fogo que reduziu a cinzas, todas as imagens do templo e os sacerdotes pagãos que promoviam as idolatrias. Logo que o público presente correu para fora, São Jorge saiu mansamente e de novo fez suas preces. Depois de alguns segundos a terra se abriu, e engoliu todo o templo e se fechou de novo, não ficando o menor vestígio de sua existência.

Daciano, inteirado do ocorrido, fez comparecer São Jorge e disse: "És o mais abominável dos homens. Como é possível tamanha malícia a ponto de cometeres um crime tão horrível”?

Ao que São Jorge respondeu calmamente: "Meu rei, não me julgues apressadamente e severamente, venha comigo e verás como oferecerei os sacrifícios"!

Daciano respondeu: “Não me enganarás de novo. Você quer que a terra me trague e também as imagens dos meus deuses".

São Jorge então disse: “Imbecil miserável! Como pode adorar a esses deuses que não podem nem ajudar a eles mesmos”?

A esse diálogo assistia Alexandra, a esposa de Daciano presa de indignação disse que São Jorge tinha razão e que queria também ser cristã.

Daciano furioso mandou que a pendurassem pelos cabelos em uma viga e que a açoitassem sem piedade, até a morte.

E Alexandra perguntou a São Jorge: "Vou morrer e não sou batizada".

São Jorge respondeu batizando-a e usando para isto o sangue dela derramado em vez de água e disse ainda: "O sangue que está derramando, está te batizando e vale uma coroa de gloria e com o Senhor Jesus Cristo terás tudo”. Em seguida Alexandra expirou santamente.

Daciano enfurecido mandou que arrastassem a São Jorge pela cidade até o local onde seria decapitado.
O santo antes de morrer, rogou ainda ao Senhor que atendesse aos rogos de todos que pedissem por sua intercessão e mediação.

Apesar da popularidade de São Jorge, se conhecem poucos fatos de sua vida e as noticias que se tem se baseiam em lendas e tradições que se passaram de boca em boca através dos anos. Não obstante todos os escritores e historiadores concordam que foi um soldado romano, nasceu na Capadócia (Turquia) e morreu em princípios do século IV, provavelmente na cidade de Lydda, atualmente Lod em Israel.


A Lenda do dragão.

A lenda do Dragão, a mais difundia e na qual o santo está a cavalo e luta contra um monstruoso animal que vivia em um lago, a aterrorizar a toda a população de Lydda. Do dito animal saia um odor forte que contaminava a todos e o monstro exigia o sacrifício de uma pessoa viva para não se aproximar da cidade. Mas um dia quando o dragão estava para comer a filha do rei, apareceu Jorge e com a ajuda de Cristo matou o monstro que seria na verdade o demônio. Assim ele é considerado o santo padroeiro dos namorados (hoje nos países de língua inglesa é São Valentino e no Brasil é Santo Antônio de Pádua, mas nos outros países latinos da Europa o padroeiro dos enamorados ainda é São Jorge).

Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Compadeceu-se do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.

Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.

Sua festa é celebrada no dia 23 de abril.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO