Seguidores

TRADUTOR

domingo, 1 de setembro de 2013

VIDA E ORAÇÃO DE SANTA PATRÍCIA


25-08


Santa Patrícia nasceu em Constantinopla no início do século Vll. Filha de família nobre, seu pai era Constante ll, imperador de Constantinopla e descendente de Constantino, o grande. Constantino fora o imperador que decretou o Cristianismo como religião oficial do Império Romano.

Desde sua infância Santa Patrícia foi educada por uma empregada de nome Aglaia, que era muito cristã. Muito cedo fez voto de virgindade. Seu pai, porém, sem saber das intenções da filha, arranjou-lhe casamento com um nobre, como era costume na época.
Quando Patrícia explicou a seu pai suas intenções, este, de imediato, não aceitou. Por isso, Patrícia fugiu com Agláia e mais algumas amigas que compartilhavam o mesmo ideal, pois seu pai queria que ela casasse de qualquer maneira. Ao fugir, Patrícia levou parte de seus bens. Ela foi para as ilhas gregas e depois para Nápoles na Itália.

Patrícia gostou muito de Nápoles e indicou o local onde gostaria de ser sepultada: diante do Mosteiro das irmãs basilianas, dedicado aos santos Nicandro e Marciano. Foi em Nápoles que passou a ajudar as igrejas da cidade com seus bens.
A ajuda vinha em forma de dinheiro e decoração das igrejas não só com ornamentos dignos, como também com utensílios essenciais para as celebrações litúrgicas. Além disso, Santa Patrícia dava dinheiro para os conventos que ajudavam os pobres e conseguiu várias relíquias de santos mártires para que fossem colocadas nos altares das igrejas.

Temendo alguma perseguição por parte de seu pai, Patrícia foi para Roma, pedir proteção ao Papa Libério. Porém ele soube que seu pai, na verdade, tinha compreendido sua escolha e estava conformado. Então, lá mesmo, ela recebeu dele o véu, símbolo de consagração a Deus.

Sabendo que seu pai estava conformado com sua escolha, Santa Patrícia volta para sua terra natal. Ela voltou com Agláia e suas amigas com algumas finalidades: rever seu pai e se reconciliar com ele e sua família.
Em segundo Lugar, Patrícia foi renunciar oficialmente à sua herança e à coroa e distribuir seus bens aos pobres. Depois, Patrícia pretendia ir a Jerusalém para uma peregrinação à Terra Santa.

Santa Patrícia conseguiu atingir parte de seus objetivos: reconciliou-se com seu pai e distribuiu seus bens aos pobres. Porém, na ida para Jerusalém, o navio se desviou por causa de ventos contrários e foi se arrebentar no litoral de Nápoles, sendo que seus restos foram parar na ilha de Megaride, também conhecida como Castel dell'Ovo, onde havia um pequeno convento. Ali, Patrícia foi socorrida e acolhida pelas irmãs. Mas ela estava muito ferida por causa do naufrágio.

Santa Patrícia faleceu pouco tempo depois no convento Megaride, por causa dos ferimentos. Aglaia, organizou o funeral com a participação de muita gente, inclusive o Bispo e o Duque da cidade.
Conta-se que o carro puxado por bois que levava o corpo de Santa Patrícia, sem ninguém comandar, parou diante do Mosteiro das irmãs Basilianas, exatamente no lugar em que ela queria ser sepultada e onde estão suas relíquias. O convento posteriormente foi chamado de Convento das Irmãs Patricianas.

O povo de Nápolis passou a difundir o seu culto e ela se tornou a co-padroeira da cidade, junto com o padroeiro São Genaro. Ela foi canonizada em 1625. Anos depois, seus restos mortais foram transferidos para a capela do Mosteiro de São Gregório Armênio. Seu culto é celebrado no dia 25 de agosto.


Oração a Santa Patrícia


Santa Patrícia, que renunciaste
à coroa, à nobreza e ao poder e nos mostras com teu exemplo que tudo neste mundo é passageiro, ensina-nos a enxergar essa verdade todos os dias de nossa vida. Ajude-nos no ideal de seguir Jesus radicalmente, no desapego dos bens materiais e na ajuda aos mais necessitados. Santa Patrícia, rogai por nós.

Que assim seja.  


FONTE :www.cruzterrasanta.com.br