Seguidores

TRADUTOR

terça-feira, 31 de julho de 2012

ORAÇÃO PARA REFORMA ÍNTIMA





Senhor dá-me a esperança para vencer minhas ilusões, todas.

Plantai em meu coração a sementeira do amor. E ajuda-me a fazer feliz o maior número da humanidade possível, para ampliar seus dias risonhos e resumir as noites tristonhas.

Transforma meus rivais em companheiros, meus companheiros em amigos e meus amigos em entes queridos.

Não me deixeis ser um cordeiro perante os fortes e nem um leão diante dos fracos.

Dá-me o sabor de saber perdoar e afastai de mim o desejo de vingança.

Senhor iluminai meus olhos para que eu veja os defeitos de minha alma e vendai-os para que eu não comente os defeitos alheios.

Senhor levai de mim a tristeza e não a entregueis a mais ninguém.

Enchei meu coração com a divina fé, para sempre louvar o vosso nome e arrancai de mim o orgulho e a presunção.

Deus fazei de mim um homem realmente justo.

Que assim seja 

AUTORIA : Tânia do blog GUERREIRA DA LUZ & METAMORFOSE DA ALMA (clique e conheça)



terça-feira, 24 de julho de 2012

VIDA E ORAÇÃO DE SANTA DOROTEIA




                  (06 de FEVEREIRO)

Santa Doroteia, conhecida como a santa das flores, foi uma jovem capadócia da Cesareia, nascida no final do século III d.c.

Não se tem comprovado os relatos existentes, sendo a sua história registrada naquela época através de relatos, não sendo encontrada nenhuma prova material.

Muito jovem ofereceu sua virgindade a Deus, ela havia tido seus pais martirizados no anfiteatro, época em que fez um voto de castidade a Cristo. Sendo uma pessoa muito caridosa, em nome de Jesus transformou sua casa numa espécie de igreja, passava os dias em jejuns e orações ,usou sua própria fortuna para ajudar os pobres, era muito querida pelos cristãos e sempre dava apoio a todos para persistirem na fé cristã, dando-lhes força e ânimo para combaterem seus perseguidores.


Muitos iam em busca de conselhos, orientações par a fé e para o seu dia a dia. Sua piedade, educação, humildade e sua postura correta e digna, fazia com que os cristãos gostassem muito dela.

Naquela época, muitos eram os inimigos dos cristãos, assim que o governador do pretório de Cesareia o nobre Fabrício tomou conhecimento da jovem, ordenou que a levassem à sua presença para que ela renegasse a sua fé e fizesse oferendas aos deuses romanos.

Doroteia manteve-se firme em sua fé com muita sabedoria, respondeu a todas as perguntas com sabedoria desarticulando a vontade dos juízes de ridicularizarem a fé cristã.

Fabrício então resolveu colocá-la em uma cela com duas sacerdotisas pagãs, Crista e Calista, que a constância e o amor de Doroteia acabaram por convertê-las, ambas declararam-se cristãs e foram condenadas a morte por Fabricio, que mandou amarrar uma a outra e nelas atearem fogo.

Então, Fabricio a condenou a pena de morte, através da espada, estava presente um pretor de nome Teófilo, que ao escutar que a jovem dizia que iria para o céu onde  era eterna primavera, Teófilo zombou dela e lhe disse “Pois já que vais ao jardim de teu esposo onde a primavera é eterna, envia-me de lá frutos e rosas perfumadas”. De pronto Doroteia prometeu realizar sua vontade.

Antes da espada dobrar sobre sua cabeça, ela rezou e pediu a Deus que realizasse sua promessa.

De súbito, apareceu-lhe um anjo na forma de um jovem rapaz tendo nas mãos uma cesta com três belas maçãs e três belas rosas.

Doroteia pegou um lenço enxugou o suor com ele e o entregou ao jovem dizendo: "Vai e leva a Teófilo e diz que Doroteia, serva de Cristo, lhe envia os frutos e as flores que ele pediu. E diz também que, se ele quiser mais, que vá ter com ela no paraíso".

Dito isso o jovem desapareceu, no mesmo instante que a espada caía sobre Doroteia matando-a, o jovem entregava a Teófilo a cesta com as maçãs e rosas, transmitindo a ele o recado da jovem.  Era inverno e não tinha como ter frutos ou rosas na região, então Teófilo se converteu e pediu perdão a Deus e a Doroteia.
No início todos pensaram que se tratava de mais uma ironia de Teófilo, mas devido à sua insistência, foi denunciado. Fabrício então o convocou para julgamento cobrando sua coerência com as convicções antigas, mas Teófilo afirmou que havia se convertido à fé em Cristo e que não a renegaria jamais. Foi torturado e decapitado, também.

Doroteia foi morta em seis de fevereiro de trezentos e quatro, seus restos mortais acredita-se que seu corpo repousa na igreja que leva seu nome em Roma.

O culto de Santa Doroteia foi muito difundido durante a Idade Média, sendo invocada como um dos "Santos Auxiliadores". Inúmeros artistas inspiraram-se na conversão de Teófilo, retratando em quadros o milagre de Santa Dorotéia, chamada até hoje de a "Santa das flores" e festejada no dia 06 de fevereiro.


ORAÇÃO A SANTA DOROTEIA
PRIMEIRA


Santa Doroteia, a vós me dirijo em nome de Jesus, para que me protejas a fim de que na minha vida, eu saiba semear as flores nascidas do mais puro amor que é o fraternal. Sem o amor puro e seus frutos que são a caridade e a humildade, não conseguirei chegar ao Jardim do Pai, com a Graça de Deus eu vos imploro.

Que assim seja.

SEGUNDA


Santa Doroteia, Serva de Cristo, dirijo-me a vós pedindo vossas orações para que eu me torne uma pessoa mais simples e humilde, sem pretensões e vanglórias, peço-vos para passar por esta vida sempre lembrando a glória da eterna.

Lembre-me, ó santa das flores, de que a nossa vida é passageira como uma rosa, bela num dia e no outro desapareceu.

Retire de mim todo medo, encha-me de amor à vida, faça-me agir com grandeza, nobreza e naturalidade em tudo.

Rodei-me de proteção e bons amigos e boas companhias, faça com que eu conheça boas pessoas.

Vós que não tivestes medo do martírio por amor a Jesus, ensine-me a viver com intensidade cada momento sem medo e a ser ousado e confiante em mim mesmo e em Deus.

Que assim seja.



Fontes:



http://rezairezairezai.blogspot.com.br/

quinta-feira, 12 de julho de 2012

VIDA E ORAÇÃO DE SANTO ESTEVÃO





Impossível falar de Estêvão sem falar de Paulo (Saulo), suas vidas estão entrelaçadas.

Estevão antes de tornar-se cristão, chamava-se Jesiel.  Ele tinha uma irmã de nome Abigail e seu pai Jochedeb, a mãe já havia falecido. Pois bem, seu pai Jochebed, estava revoltado com os romanos, porque apanhava sempre nas ruas de Corinto, se cumprimentava os soldados apanhava e se não  cumprimentava da mesma forma apanhava. Além disso, o questor do império Licínio Minucio havia ordenado  confiscar os bens de Jochebed, dando apenas três dias para desocupar as terras. Nervoso, sem rumo, deixou-se invadir pelo ódio e ateou fogo na casa de Licínio Minúcio. O que fez que não só ele fosse preso como também seus dois filhos. Jesiel apanhou muito na prisão e depois foi colocado como escravo para trabalhar nas embarcações de navios. Abigail só saiu da prisão quando ganhou a liberdade, indo morar na casa de Ruth e Zacarias que estava de mudança para Jerusalém. O pai morrera na prisão.

Jesiel acabou adoecendo gravemente em um navio, quando este estava próximo de um porto, colocaram-no em um barco, que navegou sem rumo. Quando ele acordou, estava no meio do mato, com um homem que tentava roubar o dinheiro que estava em seu bolso. Um político de bom coração preocupado com a sorte do escravo, colocara algum dinheiro em seu bolso. Agradecido a Deus por estar vivo,ofereceu ao homem o dinheiro, pedindo ao mesmo que o ajudasse a chegar a algum lugar. 

Naqueles primeiros anos, após a morte e ressuscitação de JESUS, os apóstolos, tendo Pedro como seu líder, haviam fundado a Igreja do Caminho e foi para a Casa do Caminho que ele foi levado, de lá para um barracão em Jerusalém que pertencia a Igreja do Caminho, lá foi cuidado por Pedro e Thiago. A febre voltara e em seus delírios rezava os salmos de David, assim que melhorou Pedro o batizou com o nome de Estêvão, passou a estudar os ensinamentos de Jesus tornando-se orador e ajudando Pedro a cuidar dos enfermos.

Saulo de Tarso apaixonou-se por Abigail, este perseguia os cristãos e ela procurava ajuda para encontrar o irmão Jesiel. Saulo tomou posse como juiz no lugar de Gamalieu que se aposentou, um de seus primeiros atos foi prender Estêvão, julgá-lo e condená-lo a morte por apedrejamento.

Faltava poucos dias para o casamento de Saulo e Abigail, quando ele a convidou para assistir a morte de um cristão. Ela não quis assistir virando o rosto, mas quando olhou o suplício havia terminado e quem estava morrendo era seu irmão Jesiel que havia sido apedrejado.
Eles não mais se casaram, contudo mais tarde Abigail perdoou Saulo.

Nos capítulos, seis e sete dos Atos dos Apóstolos encontramos vasto relato sobre o martírio de Estêvão, que é um dos sete primeiros Diáconos nomeados e ordenados pelos apóstolos. Santo Estevão é chamado de Protomártir, ele foi o primeiro mártir da igreja do Caminho.
 O seu martírio ocorreu entre os anos 33dc e 36dc.

Abaixo pequeno relato:

"Estêvão, porém, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Levantaram-se então alguns da sinagoga, chamados dos Libertos e dos Cirenenses e dos Alexandrinos, e dos da Cicília e da Ásia e começaram a discutir com Estêvão, e não puderam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. Subornaram então alguns homens que disseram: 'Ouvimo-lo proferir palavras blasfematórias contra Moisés e contra Deus'. E amotinaram o povo e os Anciãos e Escribas e apoderaram-se dele e conduziram-no ao Sinédrio; e apresentaram falsas testemunhas que disseram: 'Este homem não cessa de proferir palavras contra o Lugar Santo e contra a Lei; pois, ouvimo-lo dizer que Jesus, o Nazareno, destruirá este Lugar e mudará os usos que Moisés nos legou'. E todos os que estavam sentados no Sinédrio, tendo fixado os olhares sobre ele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo".

Num longo discurso, antes de seu martírio, Estêvão evoca a história do povo de Israel, terminando com esta veemente apóstrofe:
"'Homens de cerviz dura, incircuncisos de coração e de ouvidos, resistis sempre ao Espírito Santo, vós sois como os vossos pais. Qual dos profetas não perseguiram os vossos pais, e mataram os que prediziam a vinda do Justo que vós agora traístes e assassinastes? Vós que recebestes a Lei promulgada pelo ministério dos anjos e não a guardastes'. Ao ouvirem estas palavras, exasperaram-se nos seus corações e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, cheio do Espírito Santo, tendo os olhos fixos no céu, viu a glória de Deus e Jesus que estava à direita de Deus e disse: 'Vejo os céus abertos e o Filho do homem que está à direita de Deus'. E levantando um grande clamor, fecharam os olhos e, em conjunto, lançaram-se contra ele. E lançaram-no fora da cidade e apedrejaram-no. E as testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um jovem, chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão que invocava Deus e dizia: 'Senhor Jesus, recebe o meu espírito'. Depois, tendo posto os joelhos em terra, gritou em voz alta: 'Senhor, não lhes contes este pecado'. Dizendo isto, entregou-se ao Pai. 
Foi enterrado como um homem devoto e sua tumba foi esquecida até ser descoberta por Lucian e uma igreja foi construída perto em Damasco, em sua homenagem pela imperatriz Eudóxia (455-460).

Também é conhecido como Esteve em Calatão, como Estefan em Variante e Stephen em Inglês.


1) ORAÇÃO TRADICIONAL
           
Ó Glorioso Santo Estêvão, primeiro Mártir da Igreja, que ao defenderes a divindade de Cristo perante os doutores judeus que O haviam crucificado, e por estares repleto de Espírito Santo, olhando para o céu, viste a glória de Deus e Jesus de pé à sua direita, e disseste: “Eu vejo os céus abertos e o Filho de pé, à direita de Deus”, indignando os judeus que te ouviam e que aos gritos precipitaram-se contra ti, e te apedrejaram até a morte, enquanto fazias esta invocação: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”, para em seguida, com muito amor, clamares em alta voz: “Senhor, não lhes leve em conta este pecado”, por teus merecimentos, ó Santo Mártir, intercede por nós junto a Deus, para que nos conceda a constância na fé e no amor ao próximo, até nosso último instante de vida. Santo Estêvão, rogai por nós! Pai Nosso... / Ave Maria... / Glória ao Pai...


2) PODEROSA ORAÇÃO DA “PALMA DA VITÓRIA” DE SANTO ESTÊVÃO
(Rezar todos os dias da semana)

Ó Deus, pelos méritos de Santo Estêvão, eu vos peço proteção contra meus inimigos e aqueles que me querem “apedrejar” com a inveja, a maledicência, as fofocas, o ciúmes, as calúnias, a falta de perdão e tantos outros males. Rogo-vos para que vossa mão poderosa me guie em todos os momentos de minha vida. Amém.
Santo Estêvão, rogai por nós.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

HISTÓRIA DE NOSSA SENHORA MENINA





A imagem de Nossa Senhora Menina foi modelada em cera em 1735 pela Irmã Isabella Chiara Fornari (1697-1744), em Todi, Itália. Em 1738 essa imagem foi comprada pelo Bispo de Milão, Alberico Simonetta.
Mais ou menos um ano após a sua morte, a imagem foi para as irmãs capuchinhas do Monastério de Santa Maria dos Anjos. As freiras desse convento passaram então a venerar Nossa Senhora Menina porque elas se dedicavam à educação de jovens. Logo essas irmãs tornaram-se devotas fervorosas do mistério da Natividade de Maria. Durante a supressão das congregações religiosas (nos anos 1800), a imagem de Maria Menina ficou sob a custódia da irmã Bárbara Viazzoli, que foi a última freira capuchinha a guardar essa imagem.

 Logo depois de sua morte, a imagem foi dada ao pároco da Igreja de São Marcos, Frei Luigi Bosisio,  que, por sua vez, confiou a imagem à Madre Superiora Teresa Bosio das Irmãs de Caridade do Hospital Ciceri, em 1842.

Em 24 de abril de 1876, a imagem de cera foi trazida para o lugar onde está até hoje, na Maternidade das Irmãs de Caridade, em Milão. Durante todo esse tempo a devoção a Nossa Senhora Menina ficou limitada às freiras e noviças daquela comunidade.

A imagem era usualmente exposta no Noviciado e somente ia para a capela no dia da Natividade de Maria, dia 8 de Setembro e também durante as Oitavas (um período de oito dias que incluía o dia da festa seguido de mais sete dias).

No entanto, o tempo e as festas deixaram marcas na imagem de cera. A face se tornou descolorida e amarelada, sem vida. A imagem foi então removida do Noviciado e passou a ser guardada numa grande cômoda.

Todo ano alguém a retirava dali e a levava até a capela, mas somente no dia da Natividade de Maria e nas Oitavas. A partir de 9 de setembro de 1884 Nossa Senhora Menina começou a recompensar seus devotos.

A Irmã Giuseppa Woinovich ficou entrevada e sentia dores terríveis devido à paralisia de seus braços e pernas. Em 8 de setembro ela implorou à Madre Superiora que trouxesse a imagem de Nossa Senhora Menina para a enfermaria para que ela pudesse passar a noite. Na manhã seguinte, a Madre Superiora teve a ideia de levar a todas as outras doentes da enfermaria aquela velha e maltratada imagem para que todas pudessem venerá-la.

Naquela enfermaria havia uma noviça muito devota chamada Giulia Macario, que não podia andar devido a uma grave doença. Fervorosamente ela tomou a imagem em seus braços e pediu a Maria Menina a graça de ter sua saúde de volta. Imediatamente ela foi curada.

Após esse milagre a imagem foi guardada no quarto da Madre Superiora. Em 18 de outubro de 1884 vestiram a imagem de Maria Menina e a colocaram num lindo berço. Ela foi solenemente carregada e colocada entre dois candelabros, num quarto que ficou sendo sua capela provisória. Ali as Irmãs podiam parar para rezar assentadas no único banco que havia no aposento.

Nos meses seguintes outras duas Irmãs foram miraculosamente curadas pela intercessão de Nossa Senhora Menina. Muitas graças e milagres aconteceram pela devoção de Maria Menina.

Em 16 de janeiro de 1885, as Irmãs começaram a testemunhar uma incrível transformação. Daquela imagem de cera amarelada, cinzenta e sem vida começou a surgir cor e vivacidade e a imagem passou a ser tão linda quanto o rosto de um bebê.

Em 8 de setembro de 1888, a Madre Superiora Clementina Lachman levou Maria Menina para sua nova capela. Em 31 de Maio de 1904, a imagem foi solenemente coroada pelo Cardeal Ferrari e em setembro de 1909 o Papa Pio X concedeu indulgência plenária para visitas às capelas das Irmãs de Caridade a todo dia 8 de setembro. Nos anos subsequentes uma corrente de fraternidade em honra a Maria Menina e a “Liga da Inocência” foram criadas.

Passou a ser costume dar de presente uma pequena imagem de Nossa Senhora Menina aos casais recém-casados. A devoção a Maria Menina se espalhou a partir de Milão para toda a Itália. Durante a segunda guerra mundial, em 24 de outubro de 1942 o convento foi atingido por bombas.

Em fevereiro de 1942, levaram a imagem para um lugar seguro, na Via Maggianico. Durante os dias 15 e 16 de agosto de 1943, devido aos constantes bombardeios, o santuário e o convento ficaram em ruínas. No entanto, a destruição do santuário não deteve as freiras e as pessoas em Milão e foi feita a celebração da festa da Natividade de Nossa Senhora.

Em 4 de setembro de 1945, Nossa Senhora Menina retornou a Milão. Depois do terceiro dia de celebração em sua honra ela foi provisoriamente instalada em uma capela próxima ao convento.

Em 18 de novembro de 1953, ela foi levada ao novo santuário e, no dia 21, o novo santuário foi consagrado pelo Cardeal Schuster.

A cada ano na festa da Natividade de Nossa Senhora as Irmãs tocam pequenos chumaços de algodão na imagem de Nossa Senhora Menina. Esses chumaços são entre os devotos como relíquias. Doce Ventre de Ana que guardou o Coração da Mãe de Deus.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA MENINA


PRIMEIRA ORAÇÃO

Maria, beleza Infantil, Coração de Criança,
Alma Delicada que todos os anjos veneram.
Sede a minha inspiração, Menina Pura de Deus
Sede a minha força, Encanto do Espírito Santo
Sede para mim a Luz que me leva ao céu
Maria, menina, ensina-me a amar a Deus como tu o amaste
Desde a mais tenra idade
Orgulho do Filho de Deus,
Rogai por mim e obtenha de Deus a pureza de criança para a minha alma.
Amém.

SEGUNDA ORAÇÃO

Dulcíssima Menina Maria, que destinada a ser Mãe de Deus, passaste a ser também nossa augusta soberana e Mãe amadíssima, pelas graças prodigiosas que realizastes no meio de nós, ouvi, piedosa, as nossas humildes súplicas.
Nas necessidades que de todos os lados nos oprimem, e especialmente nesta presente tribulação, nós nos confiamos de todo a Vós.

Ó Santa Menina, em virtude dos privilégios concedidos unicamente a Vós e pelos méritos que adquiristes, mostrai-Vos ainda hoje piedosa para conosco.

 Mostrai que a fonte dos tesouros espirituais e dos contínuos bens que dispensais é inesgotável, porque limitado é também o poder que exerceis junto do Coração paternal de Deus.

Pela imensa profusão de graças com que o Altíssimo Vos enriqueceu, desde o primeiro momento da vossa Conceição Imaculada, dignai-Vos conceder-nos, ó Celestial Menina, a nossa petição, e louvaremos eternamente a bondade do vosso Imaculado Coração. Amém.

Fonte: Luzeiro