Seguidores

TRADUTOR

segunda-feira, 30 de abril de 2012

BONDADE


BONDADE

Senhor, vimos pedir-Te a paz, a sabedoria e a bondade. Queremos olhar o mundo com os olhos cheios de amor. Queremos ser pacientes e compassivos.
Queremos ver Teus filhos como Tu mesmo os vês.
E por isto, não queremos ver senão o bem em todos.
Senhor fecha nossos olhos a toda maldade.
Guarda a nossa língua de toda calúnia.
Que nossas palavras sejam só de bênçãos.
Que sejamos tão bondosos e alegres que todos os que se aproximarem de nós sintam a Tua presença.
Reveste-nos de Tua beleza Senhor, e que, no decurso de nossa vida, nós Te revelemos a todos os nossos irmãos.

Que Assim Seja.

domingo, 29 de abril de 2012

AGRADECIMENTO AO SENHOR


AGRADECIMENTO AO SENHOR



Agradeço pela noite, pelo dia, pela madrugada fria, mas sábia e cheia de paz, pelo enternecimento e ternura, pelo tempo de aconchego, partilha e segredo, pela lembrança e a lágrima, saudade e esperança.

Pela amizade, amor, sonhos, projetos e realizações, pela acolhida, carinho, silêncio, prece e Palavra!

De todos os que caminham conosco para teus braços de Pai-Mãe, aqui e no além!

Que Assim Seja.

sábado, 28 de abril de 2012

VIDA DE SANTA JULIANA DE CORNILLON


SANTA JULIANA DE CORNILLON

(06 de ABRIL)

VIDA DE SANTA JULIANA DE CORNILLON

Também conhecida como Santa Juliana de Liége.

Santa Juliana nasceu no ano de 1193, numa aldeia denominada Retinne, situada próxima à cidade de Liége, na Bélgica.   Conviveu pouco tempo com os pais, pois ficou órfã com apenas cinco anos de idade.  Em decorrência disso, Juliana e sua irmã Agnes, foram confiadas aos cuidados das irmãs agostinianas em Monte Cornillon, onde receberam esmerada educação e viveram piedosamente.  Quando completou 14 anos de Idade, ingressou definitivamente na comunidade das irmãs agostinianas.

Desde a mais tenra infância, sempre nutriu muito amor, possuindo em grau elevadíssimo, admirável devoção ao Sacramento da Eucaristia. Deus a preparava e lhe infundia grandes conhecimentos, além do que se tornaria ela um instrumento em Suas mãos para a missão de difundir o valor da Sagrada Eucaristia.

Um dia, no ano de 1208, Juliana quando em oração, teve a visão de um astro, semelhante à lua cheia brilhante, mas com uma pequena incisão preta.  Temendo estar sendo vítima de uma ilusão maligna, suplicou ardorosamente ao Divino Mestre que lhe esclarecesse tais visões, as quais passaram a se repetir, consecutivamente, todos os dias. Somente após dois anos foi que Nosso Senhor revelou-lhe o significado: “A lua representa a Igreja e suas festas, e a incisura significa a falta da solenidade, cuja instituição eu desejo, para despertar a fé dos povos e para o bem espiritual dos Meus eleitos. Quero que uma festa especial seja estabelecida em honra ao Sacramento do Meu Corpo e do Meu Sangue”.

Persuadida a realizar a vontade de Deus, porém, no momento em que julgou apropriado, Juliana indicou às  autoridades religiosas a missão que havia recebido.  Comunicou as aparições a Dom Roberto de Thorote, o então bispo de Liége e ao douto Dominico Hugh;  também comunicou o fato ao bispo dominicano Jacques de Pantaleón que viria, mais tarde, a ser eleito Papa (Urbano IV).

Em 1246, Dom Roberto concedeu aprovação junto ao seu escritório e em 1246, convocou um sínodo, onde requisitou que todos seus padres, religiosos e leigos. Disse que a festa do Santíssimo Sacramento seria comemorada na quinta-feira seguinte à festa da Santíssima Trindade.  Mas, em 16 de outubro daquele mesmo ano, o bispo veio a falecer e não pode ver cumpridas suas ordens.

Muitos religiosos, porém, que há tempos haviam se unido em forte oposição à instituição da festa, ficaram aliviados com a morte do bispo Roberto; afirmavam eles que a narrativa de Juliana era fruto da sua imaginação; mediante diversas articulações e mentiras, instigaram a população local e perseguiram implacavelmente a religiosa, que foi mandada para um lugar chamado Namur, por ordem de seu Superior Geral Roger, que também alimentava muitas desconfianças sobre as declarações de Juliana.  Mais tarde o Superior perdeu sua posição e Juliana teve autorização para retornar ao mosteiro de Cornillon.  No ano seguinte, porém, Roger  foi novamente designado a dirigir o mosteiro, tendo Santa Juliana sido enviada novamente para Namur.

Apesar destas articulações, o Cardeal Cher, que era dominicano, decidiu instituir alguns anos depois em toda a diocese, a nova festa dedicada ao Corpo de Deus.   A primeira delas foi celebrada na igreja de São Martinho, em Liége. O próprio cardeal foi quem conduziu a celebração, num grande cerimonial, cujos ritos canônicos acabaram sendo adotados posteriormente por modelo, em toda a Igreja universal.

Santa Juliana estava repleta de alegria, ao ver sua visão feita real. Estava ansiosa para ver a festa em honra ao Santíssimo Sacramento ser estendida a toda a Igreja,  mas não viveu o suficiente para  isso. Passou os últimos anos numa vida solitária e morreu em Fosses, no dia 05 de abril de 1258.

No ano de 1261, o referido bispo Jacques de Pantaleón veio a assumir o governo da Igreja, sob o nome de Urbano IV. Foi ele que, como mencionado, havia pessoalmente recebido o relato das visões de Santa Juliana, quando era bispo.   Sucede que, no segundo ano de seu pontificado, junto à localidade de Bolsena, ao Norte de Roma, ocorreu um grande milagre eucarístico: Um sacerdote que celebrava a Santa Missa, duvidou da presença real de Cristo na Eucaristia e no momento de partir o Pão, viu dele  sair sangue, que em seguida foi empapando o corporal. A veneranda relíquia foi levada em procissão a Orvieto em 1264. Hoje se conservam os corporais, o cálice e a patena, bem como a pedra do altar em Bolsena, manchada com o Sangue de Cristo.  O Santo Padre, então, determinou que a festa do Corpo de Cristo fosse estendida a toda a Igreja Universal, através da bula “Transiturus”, de 08 de setembro de 1264, fixando-a para depois da oitava de Pentecostes.  Foi nesta época que o Papa Urbano IV encarregou um ofício, designando São Boaventura e São Tomás de Aquino para elaborarem o hino oficial dedicado ao Santíssimo Sacramento (Tantum Ergo Sacramentum).  Os hinos seriam por eles apresentados, para que fosse feita a escolha definitiva.  No dia indicado, na presença do Pontífice, quando se começou a entoar a música com a letra de São Tomás de Aquino, São Boaventura maravilhado, tomou nas mãos seus apontamentos e os foi rasgando em pedaços.

Reflexões

Santa Juliana enfrentou diversos obstáculos para ver instituída a Solenidade de Corpus Christi. Foi colocada às mais duras provas, não só pela perseguição perpetrada pelos membros da comunidade leiga, mas também do clero e da sua própria organização religiosa.  Deus permitiu que tal testemunho chegasse aos ouvidos do então bispo diocesano, que viria a se tornar o Papa Urbano IV.  No curso deste pontificado, Deus fez impulsionar de forma extraordinária a devoção ao Corpo de Cristo, através do milagre eucarístico de Bolsena. O Papa Urbano IV, então, obteve a definitiva confirmação da versão de Santa Juliana, que narrou o pedido de Jesus pela instituição da solenidade. Estendeu, assim, por decreto, a comemoração da festa a toda a Igreja.

Durante o curso da história, Deus concedeu uma infinidade de graças e milagres extraordinários a fim de reavivar a fé nos homens. O milagre, para o católico, representa um meio e não um fim absoluto para que possa crer na Palavra de Deus. A origem da fé não está nos milagres, pois para os corações endurecidos, nos diz Jesus, ainda que ressuscitasse um morto, não acreditariam.  Mas para quem crê, os milagres são manifestações gloriosas, que renovam as forças daqueles que buscam a verdade, a perfeição cristã. Peçamos ao Senhor, sobretudo, que nos conceda um coração de carne, e que nos aperfeiçoe cada vez mais no caminho da fé.

Fonte: Site Pagina Oriente.

terça-feira, 24 de abril de 2012

VIDA DE SANTO ALEIXO


SANTO ALEIXO

(17 de JULHO)

VIDA DE SANTO ALEIXO

Conhecido também como Santo Aléxis.

Aleixo, filho único do senador Eufemiano, era italiano, nasceu em Roma, no ano de 350. Herdeiro de uma considerável fortuna, cresceu dentro da religião cristã. Desde a infância era famoso por sua natural caridade, possuindo todas as graças e virtudes. Os pais, como era costume na época, cuidaram do seu enlace com uma jovem de excelente família cristã e ele acabou se casando.

Porém, na noite de núpcias sem consumar a união, e após conversar com a esposa, abandonou tudo para se aproximar de Deus. Como peregrino, vagou de cidade em cidade até chegar em Edessa, na Síria, onde ficou por algum tempo. Vivia como um piedoso mendigo ao lado da Basílica do Apóstolo Tomé, repartindo com os pobres as esmolas que recebia. Diversos prodígios aconteciam com a sua presença, passou a ser chamado de "o homem de Deus" e venerado por sua santidade. Mas, teve de abandonar a cidade, porque desejava continuar no anonimato.

Retornou para a vida de peregrino. Sofreu tanto que ficou transfigurado. Quando chegou em Roma foi para a casa do pai e disse: "Tende compaixão deste pobre de Jesus Cristo e permita-me ficar em algum canto do palácio". Não tendo reconhecido o próprio filho, ele o acolheu e mandou que o levasse para cuidar da cocheira dos animais. Viveu assim durante dezessete anos, na cocheira do seu próprio palácio, sendo maltratado pelos seus próprios criados e sem ser identificado pelos pais.

Morreu em 17 de julho e foi colocado num cemitério comum para criados. Porém, antes de morrer, entregou um pergaminho ao criado que o socorreu, na qual revelava sua identidade. Os pais quando souberam, levaram o caso ao conhecimento do Bispo, que autorizou sua exumação. Aleixo foi levado então para um túmulo construído na propriedade do senador. A fama de sua história e de "homem de Deus" se espalhou entre os cristãos romanos e orientais, difundindo rapidamente o seu culto.

Segundo uma antiga tradição romana, a casa do senador ficava no Monte Aventino. Em 1217, durante a construção da igreja dedicada à Santo Bonifácio, neste local as relíquias de Santo Aleixo foram encontradas. Por este motivo, o Papa Honório III decidiu que ela seria dedicada a Santo Aleixo. Outro grande devoto deste Santo, foi o Bispo Sérgio de Damasco, que viveu em Roma no final do século X. Ele acabou fundando o Mosteiro de Santo Aleixo, destinado aos monges gregos.

No século XV, os Irmãos de Santo Aleixo o elegeram como patrono. Em 1817, a Congregação dos Sagrados Corações de Jesus e Maria o nomeou seu segundo patrono, como exemplo de paciência, humildade e de caridade a ser seguido. A Igreja manteve o dia de sua festa no dia 17 de julho, como sempre foi celebrada pela antiga tradição cristã.

Fonte: Site Portal Angels.

NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS


NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS

APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS

No Brasil, temos alguns relatos de aparições da Santíssima Virgem que receberam autorização explícita do Bispo Local para a divulgação, o chamado "imprimatur". Um desses casos aconteceu em Campinas-SP, a partir do ano de 1930. O imprimatur foi concedido pelo Bispo D. Francisco de Campos Barreto.

Foi no Instituto das Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, fundado pelo próprio Dom Francisco de Campos Barreto, Bispo de Campinas, que viveu a Irmã Amália de Jesus Flagelado, agraciada com o fenômeno dos sagrados estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Ela fez parte das oito primeiras irmãs e foi co-fundadora do Instituto, fazendo seus votos perpétuos em 8 de dezembro de 1931.

Em 1929, a esposa de um parente da Madre Fundadora da congregação adoeceu gravemente, e vários médicos declararam não haver mais possibilidade de cura. Com lágrimas nos olhos, o marido lamentou: “O que será das minhas crianças pequenas”?

Neste momento, Irmã Amália sentiu uma forte moção que a chamava para junto do Sacrário. Foi então para a capela, ajoelhou-se com os braços estendidos e orou a Nosso Senhor: “Se existir alguma possibilidade de salvar à esposa de T., eu estou pronta para oferecer minha vida pela mãe de família. O que o Senhor quer que eu faça”?

Escutou em seguida a voz de Nosso Senhor, que dizia: "Se deseja obter esta graça, peça-a a Mim pelos merecimentos das Lágrimas de Minha Mãe”.

Irmã Amália perguntou: “Como devo eu rezar?” Então Jesus ensinou-lhe as seguintes orações:

"Meu Jesus, ouvi os nossos rogos pelas Lágrimas de Vossa Mãe Santíssima. Vede, ó Jesus, que são as Lágrimas d'Aquela que mais Vos amou na terra, e que mais Vos ama nos céus."

Nosso Senhor lhe disse ainda:

“Minha filha, o que os homens Me pedem pelas lágrimas de Minha Mãe, Eu amorosamente concedo. Mais tarde, Minha Mãe entregará este tesouro para o nosso querido Instituto, como um sinal de Sua Misericórdia.”

ROSÁRIO DAS LÁGRIMAS

No dia 8 de março de 1930, Irmã Amália teve uma aparição da Santíssima Virgem, que se mostrou com uma túnica violeta, um manto azul e um véu branco que cobria Seu peito e ombros. Segurava em Suas Mãos um branco rosário brilhante, que lhe entregou dizendo:

“Este é o rosário de Minhas lágrimas, que foi prometido pelo Meu Filho ao nosso querido Instituto como uma parte de seu legado. Ele também já lhe deu as orações. Meu Filho quer Me honrar especialmente com essas invocações e, além disso, Ele concederá todos os favores que forem pedidos pelos merecimentos de Minhas lágrimas. Este rosário alcançará a conversão de muitos pecadores, especialmente dos possuídos pelo demônio”.

“Uma especial graça está reservada para o Instituto de Jesus Crucificado, principalmente a conversão de vários membros de uma parte dissidente da Igreja. Por meio deste rosário o demônio será derrotado e o poder do inferno destruído. Arme-se para a grande batalha."

O Rosário das Lágrimas, ensinado pela Santíssima Virgem à Irmã Amália, tem 49 pequenas contas brancas divididas em sete partes. É semelhante ao Rosário das Sete Dores de Maria e tem, no lugar da Cruz, a medalha de Nossa Senhora das Lágrimas. É rezado da seguinte forma:

Oração Inicial: "Eis-nos aos Vossos pés, ó dulcíssimo Jesus Crucificado, para Vos oferecer as Lágrimas d'Aquela que, com tanto amor, Vos acompanhou no caminho doloroso do calvário. Fazei, ó bom Mestre, que nós saibamos aproveitar a lição que elas nos dão para que, realizando a Vossa Santíssima Vontade na terra, possamos um dia, nos céus, Vos louvar por toda a eternidade. Amém”.

Nas contas maiores: "Vede, ó Jesus, que são as lágrimas d'Aquela que mais Vos amou na terra. E que mais Vos ama nos céus”.

Nas contas menores: "Meu Jesus, ouvi os nossos rogos. Pelas lágrimas de Vossa Mãe Santíssima”.

No final da Coroa: "Vede, ó Jesus, que são as lágrimas d'Aquela que mais Vos amou na terra... E que mais Vos ama nos céus”. (três vezes)

Oração Final: Virgem Santíssima e Mãe das Dores, nós Vos pedimos que junteis os Vossos pedidos aos nossos, a fim de que Jesus, Vosso divino Filho, a quem nos dirigimos, em nome das Vossas Lágrimas de Mãe, ouça as nossas preces e nos conceda, com as graças que desejamos, a coroa eterna. Amém.

MENSAGENS

Dentre as outras mensagens recebidas por Irmã Amália, a Santíssima Virgem revelou a ela:

“Missionária que Me vês, já entendeste o significado das cores que uso quando Me apresento a ti? Quando estiveres diante de uma imagem minha, relembra o que agora vou te explicar”.

“Por que uso um manto azul? Para que te lembres do céu, quando estiveres exausta pelos trabalhos e carregada com a cruz das tribulações. O meu manto te lembre de que o céu te dará felicidade indizível e alegria eterna e isto deve dar coragem à tua alma e paz a teu coração, para continuar a luta até o fim”!

“Desejar o céu, amada minha, é uma doce consolação, pois a alma foi criada para gozar desta felicidade, e deve lembrar-se dela e desejá-la. Deus criou o céu para seus filhos e porque não hão de pensar nele? Mas o que é este céu? Este céu é Deus mesmo, portanto desejá-lo é desejar a Deus”.

“Desejando dar-te coragem, apresentei-Me a ti revestida de azul. Assim, quando Me contemplares, lembra-te do céu que encontrarás depois deste peregrinar”.

“Não sejas egoísta, quando trouxeres alguma pessoa aos pés de minha imagem, conta-lhe o que te contei, para que todos tenham a mesma consolação. Ao Me fitarem conta-lhes que Eu sou Mãe de todos os homens, dos mais pobrezinhos e até dos criminosos. Todos têm direito de Me chamar de Mãe, porque por todos os homens Jesus expirou na cruz”.

“Alma missionária, não te esqueças do significado do manto azul de tua Mãe lacrimosa. Aprende e transmite a todos os homens de boa vontade”.

”Missionária, vou explicar-te porque Me apresentei com o véu branco, envolvendo-Me o peito e cobrindo-Me a cabeça. Branco significa pureza e, sendo Eu a branca flor da Santíssima Trindade, não podia deixar de Me apresentar sem esta alvura”.

“A pureza transforma o homem em anjo e esta virtude é tão querida de Deus. Jesus chamou aos puros de bem-aventurados. Por ser pura Deus Me escolheu como Mãe de Jesus, por ser puro escolheu José como Pai adotivo, João por ser puro reclinou sua cabeça no peito sagrado de Jesus”!

“A Santíssima Trindade quis assim Me apresentar a este Instituto, revestida com o véu da pureza, virtude e qualidade de Deus, porque Nele tudo é puro”.

“Apresentei-Me não somente com a cabeça coberta de branco, mas, também o peito. Isto porque aí reside o coração, do qual nascem as paixões desordenadas! Portanto, teu coração deve estar sempre envolvido desta brancura celeste, que te dará a felicidade de ser morada da Santíssima Trindade”.

“Grava bem na tua alma estas lições, porque elas te servirão de luz e força para poder subir o Calvário e chegar à porta da Jerusalém celeste nos meus braços de Mãe”.

“Filha, vou falar-te sobre o terço que trazia nas minhas mãos. Chamei-o de Coroa das Lágrimas. Quando aos meus pés vieres, vendo em minhas mãos esta coroa, lembra-te que ela significa misericórdia, amor e dor”!

“Eu sou a Mãe da divina misericórdia! Choro diante do meu Filho os pecados de todos os homens e sempre estou intercedendo diante do trono do Altíssimo pelos pobres pecadores. Quando um pecador for rebelde não querendo te ouvir, vem aos meus pés e pede pelas minhas lágrimas benditas. Se ele for alma de boa vontade, alcançarás de Deus a graça desta alma não se perder”.

“A minha coroa das Lágrimas também deve lembrar-te o meu grande amor pelos pecadores. Sendo Mãe de todos os homens e vendo muitos se perderem, chorei por aqueles que, endurecidos, correm o risco de se precipitarem no inferno”.

“Por que lhe dei este nome de coroa? Porque minhas lágrimas foram coroadas por meu Divino Filho; elas são benditas e muitas gerações as exaltarão pelos benefícios recebidos por seu intermédio. Meu Filho coroou-as com tantos privilégios! Jesus deu estas pérolas preciosas a este Instituto para que elas façam parte de seu patrimônio”.

“A coroa de minhas abençoadas lágrimas significa que tua Mãe te ama. Usa de todos os seus privilégios, desde que recorras com confiança e amor”.

“Alma querida, aproveita destas lições e medita no significado de Nossa Senhora das Lágrimas. Eu com todo o amor digo: sou a Mãe das missionárias”!

“Vou explicar-te o motivo porque aqui Me apresentei com os meus olhos abaixados. Pintores inspirados Me gravaram nas telas, volvendo os meus olhares para o alto, quando desejaram cantar as glórias de minha Imaculada Conceição”.

“O que significará, porém, os meus olhares inclinados para baixo nesta aparição, em que vos entreguei minhas lágrimas benditas? Significam a minha compaixão sobre a humanidade, pois Eu desci do céu para trazer um alívio a seus males. Os meus olhos sempre estarão voltados para suas penas e aflições, toda vez que pedirem ao meu Filho pelas Lágrimas que derramei. E aos pés de minha imagem, veem que os fito com olhares de compaixão e de carinho”.

“Por isso os meus olhos inclinados, quando entreguei a minha Coroa, são os faróis para todos os meus filhos que quiserem honrar-me em minhas Lágrimas. Onde se rezar a Coroa de minhas Lágrimas, estarão os meus olhos, para lhes mostrar amor e afeição”.

“Onde se recitar com amor estas jaculatórias de minha Coroa, ali estarei como Mãe solícita, a lhes apontar os erros, convidar à virtude e a indicar o Coração de meu Filho amado. Onde for introduzida e reinar esta imagem, os meus olhares cobrirão a todos de grandes graças, dando-lhes já nesta vida experimentar minha proteção consoladora”.

“Vê, como na aparição, em que ofereci o meu tesouro, tudo tem significado. A inclinação de meus olhos representa bem a minha compaixão pelos filhos da terra, que sempre convido a buscar minhas Lágrimas, porque elas vos preparam para receber muitas graças”.

“Os meus olhos inclinados são um convite constante aos meus filhos, a suavíssima melodia que convida os pecadores e os converte para o Coração de Jesus Crucificado. Aí tens a explicação: nesta aparição inclinei meus olhos sobre a humanidade, pois desejo que ela se converta e se salva atraída pelos meus olhares. Sou Mãe complacente, doce e cheia de misericórdia”.

NOSSO SENHOR ACRESCENTOU

“Quando Maria desceu do Céu e veio até vós, trazia em seus lábios um doce sorriso, pela imensa alegria de poder presentear os homens com tão precioso tesouro”!

“O sorriso é sempre o transbordamento de alegria e paz, por isso, Maria quis trazê-lo em seus lábios para mostrar o que tantas almas experimentarão ao rezar essas súplicas tão comoventes. Eis porque a sua imagem deve trazer um doce sorriso, que será o bálsamo às chagas da pobre humanidade. Entrego-te no dia de hoje este sorriso bendito de nossa Mãe Lacrimosa”.

“Mãe Lacrimosa com sorriso? Sim, lacrimosa porque um dia chorou de dor e de amor, mas que, feliz, entrega como fruto destas duas causas sublimes, o seu sorriso”!

“Recebei, portanto, o sorriso de Maria como patrimônio da amada geração! O sorriso de Maria, que é mais doce que o mel, constituirá mais uma rede, que apanhará as almas que desejarem a santidade. Ele fascinará milhares e milhares de almas”!

“Recebei, filhas, os sorrisos de Maria! Que eles sejam uma realidade em vossos lábios, para que, à imitação de Maria, possais mostrar aos homens que vos sentis felizes em poder trabalhar por amor. As almas ficarão seduzidas, porque o sorriso de Maria a todos seduz”!

“Que este presente de imenso valor seja aproveitado e que o sorriso de nossa Mãe Lacrimosa não seja esquecido pela nossa geração”.

Em outra ocasião, Nosso Senhor lhe disse:

“Filha, vou hoje falar-te das Lágrimas de minha Mãe. Durante vinte séculos elas ficaram guardadas no meu Divino Coração para agora as entregar! Com esta entrega Eu te constituo apóstola de Nossa Senhora das Lágrimas e sei que estás pronta a dar a vida pela difusão de tão santa devoção”!

“Ser missionária das Lágrimas de minha Mãe é dar-Me imensas consolações! Dei valor infinito a essas Lágrimas e, com elas, os que se propuserem propagá-las terão a felicidade de roubar pecadores do maligno, cujo ódio há de colocar muitos obstáculos para que elas não sejam conhecidas”.

“O mundo tem necessidade de misericórdia! E para recebê-la não há dádiva mais preciosa do que as Lágrimas de minha Mãe! Se as lágrimas de uma mãe comovem o coração de um filho rebelde, como não se há de comover o Meu Coração, que tanto ama esta Mãe”?

“Este tesouro magnífico, guardado vinte séculos, está em tuas mãos para com ele salvar muitas almas das garras infernais! Quando as almas generosas dizem: “Meu Jesus, pelas Lágrimas de vossa Mãe Santíssima”, o Meu Coração se abre e faz jorrar sobre aquelas almas as torrentes de minha misericórdia”!

“Todos os que se propuserem propagar as Lágrimas de Minha Mãe, no Céu receberão uma alegria toda especial e louvarão as horas que passaram a divulgá-las”.

“Todos os sacerdotes que difundirem o poder das Lágrimas de Maria, terão seus trabalhos produzindo frutos de vida eterna e grandes coisas farão por Meu Amor”.

“A difusão desta riqueza das Lágrimas de minha Mãe é de muita importância para o Meu Coração porque vai Me dar milhões e milhões de almas”!

“Teu Jesus Crucificado, que em tuas mãos depositou tão sagrado e poderoso tesouro, do qual deves ser apóstola incansável e ser capaz de dar a vida por ele”.

“Felizes os que difundirem as Lágrimas de Maria”!

No dia 04 de Abril de 1931, a Santíssima Virgem disse à Irmã Amália:

“Almas queridas, como Deus é bom! Ele jamais desampara aqueles que por seu amor se sacrificam. Vede a vossa Mãe Dolorosa sustentada pelo apóstolo amado, depois da Paixão, na minha soledade. Que dedicação a de João para comigo! Ele fez tudo para confortar-Me em minha imensa dor”!

“Dizia-Me: Maria, não chores, vê que agora eu sou teu filho, lembra-te das palavras de Jesus: “Mulher, eis aí teu filho”, “filho eis aí tua Mãe”. Agora eu sou teu, tu és minha! Hei de fazer o teu Filho conhecido. Sabes, Mãe, quando na noite da ceia, coloquei minha cabeça no peito de Jesus, que horizontes se desvendaram! Que maravilha quando este Coração for verdadeiramente conhecido”!

“Fala-Me, João, do Coração de meu Filho, quando reclinaste a cabeça no seu peito. Como todas as mães, gosto de ouvir falar bem de meu Filho”!

“Mãe querida, não tenho palavras para descrever-te o Coração de Jesus! Tu, melhor do que eu, conheces os Seus segredos”!

“Sim, João, na verdade Eu conheço tudo. Porém nesta hora de dor, prefiro que fales deste Coração querido”!

“Quando, como apóstolo e filho agradecido, pressenti que um dos nossos O ia trair, percebi que o Mestre estava com o Coração dilacerado pela ingratidão. Sem demora abracei-O com tanto amor. Como Ele foi amável; não me afastou, ao contrário, deu-me ocasião de encostar minha cabeça em Seu peito! Sabes o que aconteceu? Jesus abriu-me Seu Coração e vi como será Seu reinado! Que prodígios, Mãe querida! Quantas almas conquistadas! Que belo reinado, Mãe querida, quando este Coração for bem conhecido no seu infinito amor”!

“Fala, meu filho, o que vistes mais”?

“Vi o Coração de teu adorado Filho, com Sua mansidão divina, arrebatar o mundo das garras infernais, quando parecer aos homens que tudo está perdido! Eu O vi a espalhar chamas sobre os corações de boa vontade e a difundir neles o amor generoso que aceita sacrifícios para salvar muitas almas para o céu”.

“Vi mais: vi aproveitado o Seu sangue derramado na Paixão. Jesus não sofreu em vão, vi milhões e milhões de corações a receberem este sangue divino e a se purificarem com ele! Mais ainda, Mãe querida, vi que este Coração vai ser nosso alimento e o de todas as almas até o fim dos séculos. Não ficamos órfãos, Jesus ficou conosco! Pude ver como Ele vai ser o nosso sustento com a Sua própria carne, alma e divindade. Eu, Mãe querida, posso te dar Jesus. Tu poderás receber o Corpo Santíssimo de Jesus, vivo, porque Jesus nos deu estes poderes na última ceia! Como és feliz, Maria, vais receber de novo o Amado de tua alma, tão realmente como quando o vias com teus olhos! Agora não chores mais, não estás sozinha, podes alegrar-te”!

“Fala-Me mais, meu filho, fala-Me da bondade de Jesus. Dize-Me, o que descobriste a este respeito”?

“Mãe querida, como? Que língua poderá falar da bondade e misericórdia do Coração de teu Filho amado”?

“Ó, não há língua humana que possa contar o quanto o Coração de Jesus é bom! Mas ao menos fala-Me o quanto tu podes”.

“Mãe querida, vi milhões e milhões de almas fascinadas pela doçura e bondade de Seu amável Coração; e, nesta escola de mansidão, vi milhões de virgens se prepararem para espalhar seu reinado sobre a face da terra, isto para os últimos tempos”!

“Vi a misericórdia deste Coração sempre a perdoar! Vi tantos pecadores perdoados, tantos aflitos consolados, tantos infelizes confortados! Vi tantas almas generosas a aproveitar da doçura deste Coração e, depois, transmiti-la para consolar os desprotegidos, os órfãos, as viúvas. Enfim, Mãe amável, vi a face da terra renovada. O temor não reinará mais sobre a terra! Os tremendos castigos não mais visitarão os filhos de Adão, porque o teu amado Filho, novo Adão, trouxe à terra a misericórdia! E Tu, Mãe querida, serás a distribuidora desta mesma misericórdia que reinará de hoje em diante”.

“Vê, Mãe bendita, como somos felizes por Jesus ter morrido na Cruz”!

“Filhas amadas, eis o que João Me falou; tudo isto Eu já o sabia, pois quem mais do que Eu conhecia o Coração de meu Filho? Foi para mostrar-vos minha grande dor que tudo isso vos contei. Vede como o bom Deus Me deixou sofrer tanto, porém Ele que não desampara ninguém deu-Me João, como anjo consolador”.

“Agora, almas queridas, não quereis vós ser para mim o que João foi? Também hoje gosto que Me falem da bondade e misericórdia de meu Filho e que dela falem a todos! Primeiramente comigo, como fez João e, então, Eu vos ensinarei como Ele é amável e cheio de misericórdia! Eu tenho necessidade de vós para que faleis de Jesus e O façais conhecido. Se vos sentirdes sem coragem, vinde a Mim e vos introduzirei no Seu amorosíssimo Coração”.

“Pela imensa dor em Minha solidão, Eu vos peço: difundi a bondade de Jesus aos vossos irmãos. Sede meus anjos aqui na terra como João o foi, dando aos homens o Coração de meu Filho”.

“Vos abençoa, na Sua soledade, Maria, Mãe das Lágrimas”.

Nosso Senhor e a Virgem Santíssima deixaram ainda outras mensagens à Irmã Amália, que posteriormente foram editadas.

APROVAÇÃO DOS BISPOS

O Bispo Dom Francisco de Campos Barreto assegurou que não somente no Brasil, mas também em outros países, inumeráveis conversões ocorreram por meio do uso da medalha de Nossa Senhora das Lágrimas, a qual foi revelada à Irmã Amália em aparição no dia 8 de abril de 1930.

O imprimatur à devoção foi concedido por Dom Francisco de Campos Barreto em oito de Março de 1932. A devoção recebeu posteriormente o imprimatur de Dom Michel Gallager (Detroit, vinte e dois de Março de 1935), Dom Stephanus Episcupus (Januri, treze de Julho de 1935) e Dom P. Augustinus (Battenhause, vinte e dois  de Fevereiro de 1996).

A profundidade desta devoção não deixa dúvidas do mar de graças que ela pode propiciar, à medida que ela for conhecida e divulgada!

Fonte: Site Reino da Virgem.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS (1)

Meu Jesus, ouvi os nossos rogos pelas Lágrimas de Vossa Mãe Santíssima.
Vede, ó Jesus, que são as Lágrimas d'Aquela que mais Vos amou na terra, e que mais Vos ama nos céus.

Que Assim Seja.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS (2)

Eis-nos aos Vossos pés, ó dulcíssimo Jesus Crucificado, para Vos oferecer as Lágrimas d'Aquela que, com tanto amor, Vos acompanhou no caminho doloroso do calvário. Fazei, ó bom Mestre, que nós saibamos aproveitar a lição que elas nos dão para que, realizando a Vossa Santíssima Vontade na terra, possamos um dia, nos céus, Vos louvar por toda a eternidade.

Que Assim Seja.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DAS LÁGRIMAS (3)

Oh! Mãe de Jesus e Mãe nossa cheia de piedade, quantas lágrimas derramaste no curso de tua vida.
Vós que sois Mãe, compreendes perfeitamente a angústia de meu Coração que ainda se sente indigno de tua misericórdia, me impele a recorrer a teu Coração de Mãe com confiança de Filho.
Vosso Coração sempre rico em misericórdia nos foi aberto como uma nova fonte de graças nestes tempos de tantas misérias.
Do profundo de minha baixeza elevo a ti minha voz.
Oh! Mãe bondosa, a ti recorro, Mãe cheia de piedade, e imploro o bálsamo consolador de tuas lágrimas e de tuas graças sobre meu Coração acabrunhado pela dor.
Vosso pranto materno me dá a esperança de que me hás de escutar benignamente.
Oh! Coração de Maria, obtende-me de Jesus aquela fortaleza com que suportaste as grandes penas de vossa vida a fim de que cumpra sempre, com resignação cristã e ainda que em meio a dor, a vontade divina.
Obtende-me, Oh! doce Mãe, que cresça minha esperança, e se é conforme a vontade divina, obtende-me também, por tuas lágrimas imaculadas, a graça que com tanta fé e viva esperança te peço agora….
Oh! Virgem das Lágrimas, vida, doçura e esperança minha, em ti ponho hoje e para sempre toda minha confiança.
Coração Imaculado e dolorido de Maria, tem compaixão de mim.

Que Assim Seja.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

ORAÇÃO PARA CURA DA DEPRESSÃO


ORAÇÃO PARA CURA DA DEPRESSÃO


Amado Senhor, às vezes sinto-me tão deprimido que não consigo nem rezar.
Por favor, liberta-me deste cativeiro.
Eu Te agradeço, Senhor, Pelo Teu poder libertador e, no poderoso nome de Jesus, expulso de mim o maligno: espírito de depressão, de ódio, de medo, de auto piedade, de opressão, de culpa, de falta de perdão e qualquer outra força negativa que tenha investido contra mim.
E os amarro e expulso em nome de Jesus.
Senhor, arrebenta todas as cadeias que me prendem.
Jesus, peço-Te que voltes comigo até o momento em que esta depressão me atacou e me libertes das raízes deste mal.
Cura todas as minhas lembranças dolorosas.
Enche-me com o Teu amor, a Tua paz, a Tua alegria.
Peço-Te que restaures em mim a alegria da minha salvação.
Senhor Jesus, permite que a alegria jorre como um rio das profundezas do meu ser.
Eu Te amo, Jesus, eu Te louvo.
Traze ao meu pensamento todas as coisas pelas quais posso agradecer-Te.
Senhor ajuda-me a alcançar-Te e a tocar-Te; a manter meus olhos postos em Ti e não nos problemas.
Eu Te agradeço Senhor, por me guiares até a saída do vale.
Em nome de Jesus eu suplico.

Que Assim Seja.

ABANDONO EM DEUS



Meu Pai, entrego-me a Vós.
Fazei de mim o que for do Vosso agrado.
O que quiserdes fazer de mim, eu Vos agradeço.
Estou pronto para tudo, aceito tudo, que Vossa vontade se realize em mim e em todas as Vossas criaturas.
Não desejo outra coisa, meu Deus!
Deponho minha alma em Vossas mãos.
A Vós ela pertence, meu Deus, pois sois o meu Criador, a Vós me entrego, com todo amor do meu coração porque Vos amo e para mim é uma necessidade de amor dar-me, entregar-me em Vossas mãos, sem medida, com uma confiança infinita, pois sois meu Pai.

Que Assim Seja.

domingo, 22 de abril de 2012

VIDA E ORAÇÃO A SANTA JEANNE FRANCISCA DE CHANTAL


SANTA JEANNE FRANCISCA DE CHANTAL

(10 de DEZEMBRO)

VIDA DE SANTA JEANNE FRANCISCA DE CHANTAL

Conhecida também como Joana de Chantal, Jane Frances de Chantal, Jane Frances Fremiot de Chantal e Joanne Frances de Chantal.

Jeanne-Françoise Fremiot de Chantal nasceu em 28 de janeiro de 1572 em Dijon, Burgundy, França e reunia todos os requisitos para ser uma santa. Aos cinco anos ela discutia com um herege sobre Jesus Cristo e Sua real presença na Eucaristia. Era filha do presidente do Parlamento de Burgundy e quando fez 20 anos foi dada em casamento (como era costume da época) ao Barão de Chantal em 1592. Mãe de quatro filhos ficou viúva aos 28 anos, quando o barão morreu em um acidente de caça.

Tomando um voto pessoal de castidade ela passava o seu tempo em orações e teve uma visão do homem que no futuro seria o seu diretor espiritual.

Na Páscoa de 1604 ela ficou conhecendo São Francisco de Salles e o reconheceu com sendo o homem de sua visão. Ela tornou-se estudante e amiga de São Francisco e os dois se corresponderam durante anos.

No Domingo da Trindade, seis de junho de 1610 ela fundou a Ordem da Visitação de Nossa Senhora em Annecy, França. A ordem era destinada a viúvas e mulheres leigas. Ela fundou 69 conventos. As Freiras da Visitação, como eram chamadas, hoje vivem uma vida contemplativa, ajudam mulheres pobres e doentes, viúvas e ainda administram algumas escolas para jovens. Ela passou o resto de sua vida supervisionando a Ordem.

Faleceu em 13 de dezembro de 1641 no Convento em Moulins, França e suas relíquias estão em Annecy, Savoy. Foi beatificada em 21 de novembro de 1751 pelo Papa Benedito XIV, e canonizada em 16 de julho de 1767. É padroeira das viúvas e dos pais separados de seus filhos.

Sua festa é celebrada no dia 10 de dezembro.

Nos Estados Unidos sua festa é celebrada no dia 18 de agosto, e na França no dia 12 de dezembro.

Fonte: Site Católicos do Brasil.

ORAÇÃO A SANTA JEANNE FRANCISCA DE CHANTAL

Pelos méritos de Santa Joana Francisca de Chantal, eu Vos peço Senhor, por minhas necessidades materiais, emocionais e espirituais.

Dai-me a graça de sempre encontrar o consolo que preciso através da oração, meditação bíblica e da adoração ao Santíssimo Sacramento.

Que Assim Seja.

sábado, 21 de abril de 2012

VIDA E ORAÇÃO A SANTO ALBINO


SANTO ALBINO

(01 de MARÇO)

VIDA DE SANTO ALBINO

Albino nasceu no ano 469, no seio de uma família cristã, que se encontrava em ascensão social e financeiramente, também pertencia à nobreza de Vannes, sua cidade natal, na Bretanha.

Era uma criança reservada, inteligente, pia e generosa. Ao atingir a adolescência manifestou a vocação pela vida religiosa. Por volta dos vinte anos ordenou-se monge e cinco anos depois era escolhido, pela sua comunidade, o abade do mosteiro de Tintilante, também conhecido como de Nossa Senhora de Nantili, próximo de Samour.

Durante mais vinte e cinco anos exerceu seu ministério, mantendo-se fiel aos preceitos da Igreja, trabalhando para manter a integridade dos Sacramentos e das tradições cristãs. Nesse período, todas as suas qualidades humanas e espirituais afloraram, deixando visível uma pessoa especial que caminhava na retidão da santidade. Fez-se o pai e irmão dos pobres, dos humildes, dos perseguidos e dos prisioneiros. Tanto que foi eleito, para ocupar o posto de bispo de Angers, pelo clero e pela população, num gesto que demonstrou todo amor e estima do seu imenso rebanho.

Nesse posto trabalhou incansavelmente pela moralização dos costumes, contra os casamentos incestuosos que se tornavam comuns naquela época, quando os ricos da corte tomavam como esposas as próprias irmãs ou filhas. Para isso convocou os concílios regionais de Orleans em 538 e 541, participando em ambos ativamente, arriscando a própria vida. Mas com o apoio da Santa Sé adquiriu novo fôlego para prosseguir na difícil e perigosa campanha de moralização cristã. Depois no de 549, se fez representar pelo seu discípulo e sucessor, o abade Sapaudo.

A tradição lhe atribui algumas situações prodigiosas e cobertas pela graça da Divina Providência, como a abertura das portas da prisão, a libertação dos encarcerados e muitos outros divulgados entre os fieis devotos.

Albino morreu no primeiro dia de março de 550 e foi sepultado na igreja de São Pedro em Angers. Devido o seu culto intenso já em 556 foi dedicada a ele uma igreja, na qual construíram uma cripta para onde seu corpo foi transladado. Ao lado dessa igreja foi criado um mosteiro beneditino, cujo primeiro abade foi seu discípulo Sapaudo.

Contudo, as relíquias do bispo Albino encontraram o repouso definitivo na catedral de São Germano em Paris, no ano 1126, quando o seu culto já atingira, além da França e Itália, também a Alemanha, Inglaterra, Polônia e vários países do Oriente.

Com justiça, Albino foi considerado um dos santos mais populares da Idade Média, que atingiu a Modernidade através da vigorosa devoção dos fiéis, reflexo de seu exemplo de moralizador. A festa litúrgica de Santo Albino é comemorada no dia de sua morte.

Fonte: Site http://www.diocesedeanapolis.org.br.

ORAÇÃO A SANTO ALBINO

Senhor, por intercessão de Santo Albino, pedimos o verdadeiro zelo apostólico, principalmente em favor dos injustiçados e dos irmãos mais sofridos.
Dai-nos a graça de expressar nossa fé em obras.

Que Assim Seja.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

NOSSA SENHORA DA DEFESA


NOSSA SENHORA DA DEFESA

Durante o inverno, no ano de 1410, na época das imigrações, um exército de godos invadiu a bacia de Ampezzano, na Itália.

Os habitantes se reuniram para se defender. Como se sentiram sem defesa, e eram homens tementes a Deus, invocaram Nossa Senhora e Ela apareceu num trono sobre nuvens com uma espada na mão.

Quando os inimigos estavam prontos para atacar, Nossa Senhora desceu sobre aquele lugar.

As nuvens debaixo de seus pés causaram uma escuridão tão grande que os inimigos não se reconheciam e se confundiam, entrando em luta contra si mesmos, até se destruírem.

Nossa Senhora, entre outros títulos gloriosos é venerada como "Nostra Signora Della Difesa", na catedral de Ozieri em Sassari, na ilha da Sardenha-Itália.

ORAÇÃO E NOVENA A NOSSA SENHORA DA DEFESA

ORAÇÃO

Nossa Senhora da Defesa, virgem poderosa, recorro a Vossa proteção contra todos os assaltos do inimigo, pois Vós sois o terror das forças malignas.
Eu seguro no Vosso manto santo e me refugio debaixo dele para estar guardado, seguro e protegido de todo mal.
Mãe Santíssima, Refúgio dos pecadores, Vós recebestes de Deus o poder para esmagar a cabeça da serpente infernal e com a espada levantada afugentar os demônios que querem acorrentar os filhos de Deus.
Curvado sobre o peso dos meus pecados venho pedir a Vossa proteção hoje e em cada dia da minha vida, para que vivendo na luz do vosso filho, Nosso Senhor Jesus Cristo eu possa depois desta caminhada terrena, entrar na pátria celeste.

Que Assim Seja.

NOVENA

Primeiro Dia.

Defesa contra assaltos e sequestros.

Santíssima Virgem Maria, que aparecestes de maneira milagrosa com a espada na mão, para defender os moradores de Ampezzano, nós vos suplicamos que venhais com vossa espada, nos defender dos assaltantes e sequestradores, por todos os caminhos por onde nós andamos e dai-nos a graça de vivermos a palavra de Deus.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Segundo Dia.

Defesa contra a violência.

Virgem Poderosa, nossa Mãe Celeste, nós vos pedimos, defendei-nos contra todo tipo de violência que possa nos atingir, atingir a nossa casa, a nossa família e dai-nos a graça de vivermos em caridade.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Terceiro Dia.

Defesa contra as drogas.

Nossa Senhora da Defesa, Vós sois a defensora da juventude.
Por isso, nós vos pedimos que defendais nossos jovens contra o terror das drogas que estão destruindo lares, famílias e vidas, que são preciosas para a construção de um mundo melhor e dai-nos a graça de vivermos na esperança.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Quarto Dia.

Defesa contra o desemprego, fome e miséria.

Nossa Senhora, Mãe dos aflitos, socorrei-nos e defendei-nos contra o desemprego, contra a fome e a miséria nestes tempos tão difíceis e dai-nos a graça de vivermos cada dia na força do amor e do perdão.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Quinto Dia.

Defesa contra a incredulidade, indiferença e infidelidade.

Nossa Senhora, refúgio dos pecadores, muitas vezes nos deixamos levar pela dúvida e nos enveredamos por caminhos que nos trazem sofrimentos e desilusões.
A Vós recorremos para pedir a Vossa defesa contra toda incredulidade, indiferença e infidelidade que vier de encontro a nós e dai-nos a graça de perseverarmos nesta igreja Católica Apostólica Romana onde nascemos e cuja fé queremos sempre professar.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Sexto Dia.

Defesa contra as enfermidades do corpo, da mente e do espírito.

Nossa Senhora da Defesa, saúde dos enfermos, nós nos colocamos aos Vossos pés para pedir vossa defesa contra todos os males do corpo, males da mente e males do espírito.
Pedimos a graça de vivermos confiantes na ação de Deus em nossas vidas.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Sétimo Dia.

Defesa contra o trio maléfico.

Nossa Senhora da Defesa, Mãe de Deus e nossa Mãe, quantas vezes neste caminhar da vida terrena, nos sentimos atribulados por tantos problemas que chegam até nós por causa de forças negativas e malignas.
Suplicamos vossa defesa contra toda inveja, vaidade e ódio que vier de encontro a nós, nossa casa, nosso trabalho e nossa família.
Dai-nos a graça da fidelidade a Deus.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Oitavo Dia.

Defesa contra as catástrofes.

Virgem Poderosa, nós nos colocamos na vossa presença para implorar vossa defesa contra as catástrofes que possam se abater sobre nós.
Contamos com vossa defesa e proteção para nós, nossa cidade, nosso pais, para o mundo inteiro e dai-nos a graça de aceitarmos a vontade de Deus em todas as situações.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.

Nono Dia.

Defesa contra as guerras.

Nossa Senhora da Defesa, Rainha da Paz, humildemente vimos hoje clamar vosso auxilio para que venhais em nossa defesa contra a guerra e destruição que ameaça a humanidade e pedimos a graça de vivermos na união e na paz.

Que Assim Seja.

Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, um Glória ao Pai, uma Salve Rainha e a oração de Nossa Senhora da Defesa.