Seguidores

TRADUTOR

domingo, 26 de junho de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SÃO JOÃO BATISTA DE LA SALLE

SÃO JOÃO BATISTA DE LA SALLE

(7 de ABRIL)

ORAÇÃO A SÃO JOÃO BATISTA DE LA SALLE (1)

Ó Deus, que escolhestes São João Batista de La Salle para a educação cristã dos jovens, suscitai na vossa Igreja Educadores que se consagrem inteiramente a formação humana e cristã da juventude.

Que Assim Seja.

ORAÇÃO A SÃO JOÃO BATISTA DE LA SALLE (2)

Ó Deus que concedestes inumeráveis Graças ao Vosso filho, São João de La Salle, inspirando-o no desenvolvimento do ensino e aprendizagem, concedei-me também a mim, por sua intercessão, ser sempre feliz nos meus estudos e aprendizado.
Por Cristo Nosso Senhor.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO JOÃO BATISTA DE LA SALLE


Nasceu no Castelo de Salles em Thoresn em 30 de abril de 1651 e morreu em Lyon em sete de Abril de 1719.
Beatificado no mesmo ano e formalmente indicado Doutor da Igreja em 1877.

Educador e fundador do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs, nascido em Reims, França, o mais velho dos filhos de uma nobre família, João dedicava desde a idade de 11 anos a vida religiosa e foi ordenado com 24 anos.

Em Reims ele participou na fundação de duas escolas e cresceu consternado com o destino dos filhos das famílias pobres. Como ele estava convencido que a vida espiritual deveria ser cultivada em primeiro lugar pelos professores, ele formou um associação de professores dedicada a aprender a ensinar. O seu primeiro esforço falhou, mas sua segunda tentativa foi um sucesso. Em 1623 ele deu toda o sua fortuna, e se dedicou totalmente a treinar jovens para o seu serviço. Isto marcou a fundação dos Irmãos das Escolas Cristãs. Ele proibiu padres e sacerdotes de entrarem na sua congregação e escreveu a Regra da Fundação em 1625 em Paris. Os métodos de João Batista de la Salle revolucionaram as técnicas de ensino do seu tempo, incluindo o uso do vernáculo em vez do Latin e ficou largamente conhecido em toda a Europa.

Ele instituiu o processo de dividir o estudo em anos e os estudantes em classes. Também criou a primeira escola para ensinar e treinar professores.
Ele foi indicado Arcebispo coadjutor de Genebra, Suíça e aceitou, mas estava seriamente doente e quase morreu. Finalmente se recuperou e viajou até Roma onde foi examinado pelo Cardeal Baronius, São Roberto Belarmino, Cardeal Frederico Borromeu, primo de São Borromeu. Eles propuseram a João Batista, trinta e cinco obtusas questões de teologia e ele respondeu com a maior clareza e simplicidade, surpreendendo a todos, e sua indicação foi confirmada por toda a banca examinadora, o que é até hoje, uma raridade.

Como Arcebispo em Genebra, ele seguia uma estrita regra de vida e cumpria os seus deveres episcopais com generosidade e energia. Levantava às 4 da manhã e estudava as escrituras, visitava os pobres da Diocese e em Annecy dava lições às crianças.

Ele era extremamente influente e fundou a "Ordem das Irmãs Visitantes" em 1610. Até aquela época as irmãs levavam uma vida contemplativa e de orações e ele queria formar um grupo de freiras que se engajasse nos trabalhos de caridade, educação e outros trabalhos comunitários e era contrário a tradicional idéia de que elas deveriam ficar enclausuradas, mas essas idéias já estavam muito incrustadas na mente das pessoas e era muito difícil de mudar.

Nota: Em 1622 São Vicente de Paula conseguiu mudar esta limitação nas suas "Irmãs de Caridade", acabando com a obrigatoriedade do uso do habito e dos votos perpétuos.

Ele permaneceu ativo até 1717 quando renunciou, por causa de sua saúde e veio a falecer em Saint-Yon em 1719.
Seu corpo foi trasladado em 1937 para um santuário em Roma. Após sua morte vários milagres se seguiram e quando seu caixão foi aberto para ser trasladado, seu corpo estava incorrupto e uma suave fragrância exalava do mesmo, espalhando o perfume por todo o convento.

Canonizado em 1900, ele foi indicado em 1950, como o padroeiro dos professores pelo Papa Pio XII. Foi indicado também patrono dos escritores e jornalistas devido ao seu trabalho em:

"A Controvérsia" onde "sempre argumenta com vigor, mas com moderação e caridade”.(palavras de Pio XII ao confirmar a sua indicação).

Sua "Congregação Irmãos Cristãos" (CIC) é a maior congregação religiosa de leigos do mundo e não deve ser confundida com a Congregação dos Cristãos Irmãos (CCI) fundada na Irlanda, em 1802, pelo Beato Edmundo Ignatius Rice.
Tão grande era o seu cuidado para com as pessoas que alguns dos seus devotos fizeram de seus ensinamentos um livro chamado "Tratado do Amor de Deus".
Seus mais importantes escritos são:
1)Introdução a uma vida de devoto, para as suas Irmãs Visitantes.

2)Philothea O amor a Deus
Ele insiste na necessidade da pobreza, mas dizia:
"Se você é realmente pobre, cara Philothea, para o bem de Deus faça da virtude uma necessidade e valorize esta sua preciosa jóia da pobreza porque o seu lustro não será descoberto neste mundo, mas brilhará no outro”.

3) “Tratado do amor a Deus"
No qual ele se dirige a um fictício "Timotimus" para contrabalançar o fato dos homens não lerem conselhos dados as mulheres e assim ele muitas vezes não se referia ao sexo, mas ao espírito humano.
Antes que um estar sempre fazendo jejum, muito defendido na época por vários, como Benedito e Macarius, ele recomendava:
"Coma o que estiver a sua frente. É minha opinião que o corpo deve estar forte para que o espírito pense e vença. É virtude comer, sem escolher o que tem diante de você na mesa, o que se apresentar, seja mais ou menos agradável ao seu paladar, MAS sempre escolha o pior em vez do melhor, para que aprenda a viver com austeridade, mas bem alimentado e com resignação, pois você renunciou ao melhor do seu paladar, e uma pequena mortificação foi feita, MAS  isto não pode e nem deve ser interpretado como uma competição entre nós e nem uma disputa para não dar problemas a ninguém, e nem ao seu corpo".

4)Falando da santidade em “Introdução", ele dizia:
É um erro dizer que a devoção é incompatível com a vida de um soldado, ou de um viajante, ou de um comerciante, ou de um príncipe, ou de uma mulher casada. É verdade minha cara Philotea que a devoção puramente contemplativa, monástica e religiosa, não poderá ser exercida nessas profissões, mas várias outras devoções próprias para conduzir a perfeição, no estado secular, podem ser exercidas .
Ele acrescenta ainda:
“A contemplação é ainda mais necessário ao leigo do que ao religioso, onde a clausura tende a ser um escudo para dissipar a vida, e as atividades sociais. Os pássaros, para onde voam sempre encontram o ar que necessitam, assim nós para onde formos, sempre encontraremos o nosso Deus presente".
Na arte litúrgica da Igreja ele é mostrado: 1)como um bispo, calvo e uma barba longa; 2)As vezes segurando um coroa de espinhos e uma cruz de gloria sobre ele; 3)ainda segurando um retrato da Virgem; 4)segurando um pouco de terra em suas mãos.

Sua festa é celebrada no dia 7 de abril.

Fonte: Site Cadê Meu Santo.

sábado, 25 de junho de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SANTA LUZIA

SANTA LUZIA

(13 de DEZEMBRO)

ORAÇÃO A SANTA LUZIA

Ó Santa Luzia preferistes deixar que os vossos olhos fossem vazados e arrancados antes de negar a fé e conspurcar vossa alma; e Deus com um milagre extraordinário, vos devolveu outros dois olhos sãos e perfeitos para recompensar vossa virtude e vossa fé, e vos constituiu protetora contra as doenças dos olhos, eu recorro a vós para que protejais minhas vistas e cureis a doença de meus olhos.

Ó Santa Luzia, conservai a luz dos meus olhos para que eu possa ver as belezas da criação, o brilho do sol, o colorido das flores, o sorriso das crianças.

Conservai também os olhos de minha alma, a fé, pela qual eu posso conhecer o meu Deus, compreender os seus ensinamentos, reconhecer o seu amor para comigo e nunca errar o caminho que me conduzirá onde vós, Santa Luzia, vos encontrais, em companhia dos Anjos e Santos.

Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé.

Que Assim Seja.

VIDA DE SANTA LUZIA

Somente em 1894 o martírio da jovem Luzia, também chamada Lúcia, foi devidamente confirmado, quando se descobriu uma inscrição escrita em grego antigo sobre o seu sepulcro, em Siracusa, Nápoles. A inscrição trazia o nome da mártir e confirmava a tradição oral cristã sobre sua morte no início do século IV.

Mas a devoção à santa, cujo próprio nome está ligado à visão ("Luzia" deriva de "luz"), já era exaltada desde o século V. Além disso, o papa Gregório Magno, passado mais um século, a incluiu com todo respeito para ser citada no cânone da missa. Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.

Diz a antiga tradição oral que essa proteção, pedida a santa Luzia, se deve ao fato de que ela teria arrancado os próprios olhos, entregando-os ao carrasco, preferindo isso a renegar a fé em Cristo. A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra "A Divina Comédia", que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.

Luzia pertencia a uma rica família napolitana de Siracusa. Sua mãe, Eutíquia, ao ficar viúva, prometeu dar a filha como esposa a um jovem da Corte local. Mas a moça havia feito voto de virgindade eterna e pediu que o matrimônio fosse adiado. Isso aconteceu porque uma terrível doença acometeu sua mãe. Luzia, então, conseguiu convencer Eutíquia a segui-la em peregrinação até o túmulo de santa Águeda ou Ágata. A mulher voltou curada da viagem e permitiu que a filha mantivesse sua castidade. Além disso, também consentiu que dividisse seu dote milionário com os pobres, como era seu desejo.

Entretanto quem não se conformou foi o ex-noivo. Cancelado o casamento, foi denunciar Luzia como cristã ao governador romano. Era o período da perseguição religiosa imposta pelo cruel imperador Diocleciano; assim, a jovem foi levada a julgamento. Como dava extrema importância à virgindade, o governante mandou que a carregassem à força a um prostíbulo, para servir à prostituição. Conta a tradição que, embora Luzia não movesse um dedo, nem dez homens juntos conseguiram levantá-la do chão. Foi, então, condenada a morrer ali mesmo. Os carrascos jogaram sobre seu corpo resina e azeite ferventes, mas ela continuava viva. Somente um golpe de espada em sua garganta conseguiu tirar-lhe a vida. Era o ano 304.

Para proteger as relíquias de santa Luzia dos invasores árabes muçulmanos, em 1039, um general bizantino as enviou para Constantinopla, atual território da Turquia. Elas voltaram ao Ocidente por obra de um rico veneziano, seu devoto, que pagou aos soldados da cruzada de 1204 para trazerem sua urna funerária. Santa Luzia é celebrada no dia 13 de dezembro e seu corpo está guardado na Catedral de Veneza, embora algumas pequenas relíquias tenham seguido para a igreja de Siracusa, que a venera no mês de maio também.

Fonte: Site Quiosque Azul

quinta-feira, 23 de junho de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SANTA JOSEFINA BAKHITA

SANTA JOSEFINA BAKHITA

(8 de FEVEREIRO)

ORAÇÃO A SANTA JOSEFINA BAKHITA

Ó Santa Josefina Bakhita, que, desde menina, foste enriquecida por Deus com tantos dons e a Ele correspondeste com todo o amor, olha por nós.

Intercede junto ao Senhor para que cresçamos no Seu amor e no amor a todas as criaturas humanas, sem distinção de idade, de raça, de cor ou de situação social.

Que pratiquemos sempre, como tu, as virtudes da fé, da esperança, da caridade, da humildade, da castidade e da obediência.

Pede, agora, ao Pai do Céu, oh Bakhita, as graças que mais preciso, especialmente (pedido).

Que Assim Seja.

VIDA DE SANTA JOSEFINA BAKHITA

Bakhita nasceu no Sudão, África, em 1869. Este nome, que significa "afortunada", não recebeu de seus pais ao nascer, lhe foi imposto por seus raptores. Esta flor africana conheceu as humilhações, os sofrimentos físicos e morais da escravidão, sendo vendida e comprada várias vezes. A terrível experiência e o susto, provado naquele dia, causaram profundos danos em sua memória, inclusive o esquecimento do próprio nome.

Na capital do Sudão, Bakhita foi finalmente comprada por um cônsul italiano, que depois a levou consigo para a Itália. Durante a viagem, ele a entregou para viver com a família de um amigo, que residia em Veneza, e cuja esposa, havia se afeiçoado à ela. Depois, com o nascimento da filha do casal, Bakhita se tornou sua babá e amiga.

Os negócios desta família, na África, exigiam que retornassem. Mas, aconselhado pelo administrador, o casal confiou as duas, às irmãs da congregação de Santa Madalena de Canossa, em Schio, também em Veneza. Alí, Bakhita, conheceu o Evangelho. Era 1890 e ela tinha vinte e um anos quando foi batizada recebendo o nome de Josefina.

Após algum tempo, quando vieram buscá-las, Bakhita ficou. Queria se tornar uma irmã canossiana, para servir a Deus que lhe havia dado tantas provas do seu amor. Depois de sentir muita clareza do chamado para a vida religiosa, em 1896, Josefina Bakhita se consagrou para sempre a Deus, que ela chamava com carinho "o meu Patrão!".

Por mais de cinqüenta anos, esta humilde Filha da Caridade, se dedicou às diversas ocupações na congregação, sendo chamada por todos de "Irmã Morena". Ela foi cozinheira, responsável do guarda-roupa, bordadeira, sacristã e porteira. As irmãs a estimavam pela generosidade, bondade e pelo seu profundo desejo de tornar Jesus conhecido. "Sedes boas, amem a Deus, rezai por aqueles que não O conhecem. Se soubésseis que grande graça é conhecer a Deus!".

A sua humildade, a sua simplicidade e o seu constante sorriso, conquistaram o coração de toda população. Com a idade, chegou a doença longa e dolorosa. Ela continuou a oferecer o seu testemunho de fé, expressando com estas simples palavras, escondidas detrás de um sorriso, a odisséia da sua vida: "Vou devagar, passo a passo, porque levo duas grandes malas: numa vão os meus pecados, e na outra, muito mais pesada, os méritos infinitos de Jesus. Quando chegar ao céu abrirei as malas e direi a Deus: Pai eterno, agora podes julgar. E a São Pedro: fecha a porta, porque fico".

Na agonia reviveu os terríveis anos de escravidão e foi a Santa Virgem que a libertou dos sofrimentos. As suas últimas palavras foram: "Nossa Senhora!". Irmã Josefina Bakhita faleceu no dia 8 de fevereiro de 1947, na congregação em Schio, Itália. Muitos foram os milagres alcançados por sua intercessão. Em 1992, foi beatificada pelo Papa João Paulo II e elevada à honra dos altares em 2000, pelo mesmo Sumo Pontífice. O dia para o culto de "Santa Irmã Morena" foi determinado o mesmo de sua morte.

Fonte: Site Quiosque Azul.

sábado, 18 de junho de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SÃO GENNARO

SÃO GENNARO

(19 de SETEMBRO)

ORAÇÃO A SÃO GENNARO

Oh! Gennaro atleta da fé de Jesus Cristo, patrono da católica Nápoles, volta o teu olhar benigno para nós, e digna-te a acolher os votos que com plena fé no teu poderoso patrocínio depositamos hoje aos teus pés.

Quantas vezes acorreste solícito em ajuda dos teus concidadãos, às vezes desviando o caminho da lava exterminadora do Vesúvio e, às vezes, prodigiosamente nos libertando da peste, dos terremotos, da fome e de tantos outros castigos divinos os quais lançavam o medo em nosso meio!

O perene milagre da liquefação do teu sangue é sinal seguro e mais que eloquente de que vives em meio a nós, conheces as nossas necessidades e nos protege de uma maneira assaz singular.

Ora! Ora por nós que a ti recorremos, seguros de sermos atendidos; e liberta-nos de tantos males, que de toda parte nos oprimem.

Salva a tua Nápoles da incredulidade invasora, e faz com que aquela fé, pela qual generosamente sacrificaste a tua vida, renda sempre em nosso meio, frutos de santas obras.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO GENNARO

Foi bispo e mártir e em alguns locais é chamado de Gennaro, é muito popular devido a que o seu sangue se liquefaz sempre na data de sua festa, 19 de setembro.

Gennaro era bispo de Benevento, Itália e foi decapitado supostamente com Festus seu diácono, Desiderius, um conferencista e Sócius e Próculus, ambos diáconos e dois leigos Eutyches e Acutius.

Eles foram presos quando visitavam Sossus, um cristão e prisioneiro em Poszzuoli.

São Gennaro foi martirizado para renegar a sua fé e oferecer sacrifícios aos deuses romanos e como não cedesse, foi atirado as feras famintas, mas as feras deitaram a seus pés.

O procônsul encarregado do martírio furioso mandou que o decapitassem em 304DC.

Nenhuma explicação jamais foi dada para o fato do seu sangue guardado em Nápoles se liquefaça todos os anos no dia de sua festa um evento que acontece já por varias centenas de anos e celebrado pelos seus devotos.

Ele é venerado em Nápoles, cidade de seu nascimento.

É padroeiro de Nápoles, dos bancos de sangue e protetor dos doadores de sangue e invocado  durante as erupções vulcânicas.

Sua festa á celebrada no dia 19 de setembro.

Fonte: Site Cadê Meu Santo.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ORAÇÃO PARA DESPRENDIMENTO

ORAÇÃO PARA DESPRENDIMENTO

 Senhor,
Quando eu tiver fome, dai-me alguém que necessita de comida;
Quando tiver sede, dai-me alguém que precise de água;
Quando tiver frio, dai-me alguém que necessite de calor;
Quando tiver um aborrecimento,
dai-me alguém que necessite de consolo;
Quando minha cruz parecer pesada,
dai-me compartilhar a cruz do outro;
Quando não tiver tempo,
dai-me alguém que precise de alguns dos meus minutos;
Quando sofrer humilhação, dai-me ocasião para elogiar alguém;
Quando estiver desanimada,
dai-me alguém para lhe dar novo ânimo;
Quando sentir necessidade da compreensão dos outros, dai-me alguém que necessite da minha;
Quando sentir necessidade de que cuidem de mim,
dai-me alguém que eu tinha de atender;
Quando pensar em mim mesmo,
voltai minha atenção para outra pessoa;
Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje.
Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, e dai-lhes, graças ao nosso amor compassivo, a paz e alegria.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

ORAÇÃO PARA CURA INTERIOR

ORAÇÃO PARA CURA INTERIOR
Senhor, livrai-me de toda amargura e sentimento de rejeição que trago comigo.

Curai-me, Senhor.

Tocai meu coração com Vossa mão Misericordiosa e curai-o, Senhor.
Sei que tais sentimentos de angústia não vem de Vós: vem do inimigo que tenta me fazer infeliz, desanimada(o), porque me escolheste, assim como Vos escolhi, para servir e amar.

Enviai-me, pois, Vossos santos anjos, para me libertar de toda angústia e sentimento de rejeição, assim como os enviastes, para libertar da prisão a Vossos apóstolos que, embora injustamente castigados, Vos louvavam e cantavam com alegria e destemor.

Fazei-me também, assim, sempre alegre e grata (o), obstante as dificuldades de cada dia.

domingo, 12 de junho de 2011

VIDA E ORAÇÃO A SÃO CAETANO

SÃO CAETANO

(7 DE AGOSTO)

ORAÇÃO A SÃO CAETANO

Ó São Caetano, que conhecestes a fraqueza da Igreja principalmente em seus membros mais responsáveis, e que trabalhastes pela reforma da vida e dos costumes dos cristãos, olhai com muito amor e compaixão para as nossas famílias e comunidades.

Lançai vossa mão poderosa a fim de que reine entre nós o espírito de fé, de amor e de justiça, segundo a vontade de Cristo.

Fazei que cada um de nós assuma suas obrigações, pois, Cristo espera de cada um de seus seguidores, a fidelidade, o serviço e a dedicação em favor dos irmãos.

Que Assim Seja.

VIDA DE SÃO CAETANO

Caetano nasceu em Vicência, na Itália, em outubro de 1480. Filho do conde Gaspar de Thiene e de Maria do Porto, desde muito jovem mostrava grande preocupação e zelo pelos pobres, abrindo asilos para os idosos e muitos hospitais para os doentes, especialmente para os incuráveis.

Estudou em Pádua, onde se diplomou nas matérias jurídicas, aos vinte e quatro anos de idade. Dedicava-se ao estado eclesiástico, mas sem ordenar-se, por considerar-se indigno. Nesse meio tempo, fundou, na propriedade da família, em Rampazzo, uma igreja dedicada a Santa Maria Madalena, que ainda hoje é a paróquia desta localidade.

Em 1506, estava em Roma, exercendo a função de secretário particular do papa Júlio II. Na qualidade de escritor das cartas apostólicas, fez contato e conviveu com cardeais famosos, aprendendo muito com todos eles. Mas a principal virtude que Caetano cultivava era a humildade para observar muito bem antes de reprovar o mal alheio. Para melhor compreender, basta lembrar que ele viveu no período do esplendor renascentista, no qual o próprio Vaticano não primava pelo exemplo de moralidade e nem brilhava pela santidade dos costumes.

Assim sendo, como homem inteligente e preparado, não se retirou para um ermo; ao contrário, encorajou-se para uma ação reformadora, começando por si mesmo. Costumava dizer que "Cristo espera e ninguém se mexe". Participou do movimento laical Oratório do Divino Amor, que procurava estudar e praticar as Sagradas Escrituras. Só então, depois de muita reflexão, decidiu-se pela ordenação sacerdotal, em 1516.

Tinha trinta e seis anos de idade quando celebrou sua primeira missa na basílica de Santa Maria Maior. Nesta ocasião, ele mesmo relatou depois, Nossa Senhora apareceu-lhe e colocou-lhe nos braços o Menino Jesus. Foi para Veneza em 1520, onde colaborou na fundação do hospital dos incuráveis. Três anos depois, incansável, voltou para Roma, onde, na companhia dos companheiros do Oratório - Bonifácio Colli, Paulo Consiglieri e João Pedro Carafa, bispo de Chiete -, fundou a Ordem dos Teatinos Regulares, que tinha como objetivo a renovação do clero.

Quando o papa Clemente VII aprovou a congregação, Caetano renunciou a todos os seus bens para dedicar-se única e exclusivamente à vida comum. O mesmo ocorreu com o bispo Carafa, que abdicou também da sua vida episcopal. Anos mais tarde, ele veio a tornar-se o papa Paulo IV, um dos grandes reformadores da Igreja.

A nova congregação começou somente com os quatro, depois passaram para doze e esse número aumentou bastante em pouco tempo. São os primeiros clérigos regulares. Não são monges, pois são de vida ativa, porém vivendo em obediência: sob uma regra de vida comum, como religiosos, cujos membros renunciam a todos os seus bens terrenos, devendo viver de seu trabalho apostólico e de ofertas espontâneas dadas pelos fiéis, contando, apenas, com a Providência divina. Carafa foi o primeiro superior geral, embora a idéia da fundação fosse de Caetano de Thiene, que, na sua humildade, sempre se manteve de lado.

Caetano morreu de fadiga, após uma vida de muito trabalho e sofrimento, aos sessenta e seis anos de idade, em Nápoles, no dia 7 de agosto de 1547. Foi canonizado em 1671. O seu corpo é venerado no dia de sua morte, na belíssima basílica de São Paulo Maior, mas que é chamada por todos os fieis e peregrinos de basílica de São Caetano, localizada na praça principal da cidade.

Sua festa é celebrada no dia 7 de agosto.

Fonte: Site Quiosque Azul.

VIDA E ORAÇÃO A SANTA GENOVEVA

SANTA GENOVEVA

(3 DE JANEIRO)

ORAÇÃO A SANTA GENOVEVA

Deus nosso Pai, por intercessão de Santa Genoveva, afastai de nós a peste, a fome, as guerras.
Saibamos defender nossa dignidade de cidadãos livres e de filhos de Deus, que nos chamou a viver na paz e na justiça, deixando de lado interesses mesquinhos e individualistas.
Dai-nos, Senhor, a coragem e a abnegação de Santa Genoveva que soube praticar o Evangelho, servindo aos irmãos, e que obteve na oração forças para debelar o perigo da opressão e o desespero da fome.
Jamais nos falte a vossa proteção e auxílio nas dificuldades pelas quais passamos.
Que Assim Seja.

VIDA DE SANTA GENOVEVA

A França não deu ao mundo somente Santa Joana D'Arc como exemplo de mulher santa por interferir na política dos homens. Presenteou a Humanidade também com Santa Genoveva. Embora não se atirasse à guerra como Joana D'Arc, Santa Genoveva fez da atividade política e social uma obrigação tão importante quanto a oração e o jejum. Se Joana é invocada como guerreira, Genoveva se faz protetora nas horas de calamidade e perseguição.

Nasceu em Nanterre, perto de Paris, no ano 422, de família muito humilde e modesta, época em que a Inglaterra ainda era dominada pelo paganismo, exigindo da Igreja uma postura de evangelização naquele importante país. Assim, tinha Genoveva cerca de 6 anos (alguns escritos falam em 8) quando uma missão católica passou por sua cidade a caminho da Bretanha, liderada por dois bispos. Um deles profetizou que a menina seria um prodígio cristão - e não errou.

Já aos 15 anos Genoveva fez voto de castidade, participando ainda de uma irmandade que, embora não se retirasse para os conventos, atuava religiosa e socialmente a partir de suas próprias casas. Sua história como protetora da França tem dois episódios significativos e sempre citados: a resistência aos hunos e o auxílio dos moradores do campo à cidade que vivia na penúria.
Quando Átila, "o flagelo de Deus", liderou os hunos na invasão a Paris, a população decidiu abandonar a cidade. Santa Genoveva os convenceu a ficar, pois deviam confiar em Deus que impediria a destruição da metrópole. Embora quase fosse linchada pelos mais temerosos, sua convicção contagiou e o povo ficou. Átila não só não invadiu Paris como pouco tempo depois foi obrigado a recuar e abandonar outras cidades conquistadas.

Mais tarde, quando a cidade mergulhava na fome e na escassez, Genoveva exortou a população agrícola a socorrer os moradores urbanos, salvando milhares da morte. Por isso é invocada sempre que a capital francesa passa por calamidades e não tem recusado proteção, segundo seus devotos.

Sua atuação na política também livrou muitos da cadeia e da perseguição, pois interferia frequentemente junto ao Rei Clóvis, conseguindo anistia aos prisioneiros políticos. Morreu por volta do ano 502, depois de ter convencido o rei a construir a famosa igreja dedicada a São Pedro e São Paulo. Durante a revolução francesa a abadia construída sobre seu túmulo, e que abrigava suas relíquias, foi saqueada pelos jacobinos, mas seu culto continuou e perdura até hoje na Igreja de Santo Estevão do Monte.

 Sua festa é celebrada no dia 3 de janeiro.

Fonte: Site Quiosque Azul.

sábado, 11 de junho de 2011

NOSSA SENHORA DA CABEÇA

NOSSA SENHORA DA CABEÇA


HISTÓRIA DA APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA DA CABEÇA

O Município de Perdizes está situado no Alto Paranaíba, possui 2.457,60 Km² de extensão territorial e uma população, de mais de 13.000 habitantes, apurada pelo último censo. A base econômica do município é a agropecuária. A sede do município é servida por rodovias asfaltadas e possui boa infra-estrutura. É comarca desde 1987.

A população, em sua maioria católica, tem como Padroeira NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, a Igreja Matriz que leva o seu nome, foi edificada cerca de 1830 e a Paróquia foi criada em 1880, pertencendo então ao Bispado de Goiás. Desde 1948, os devotos de Nossa Senhora veneram também a Ela, sob o título de Nossa Senhora da Cabeça.

Hoje, a Paróquia pertence à Diocese de Patos de Minas e a comunidade realiza festa em louvor a Nossa Senhora da Cabeça no último domingo do mês de julho, com a participação de milhares de fiéis vindos em romarias de todos os municípios vizinhos e varias regiões do País.

UMA HISTÓRIA MARAVILHOSA

Reproduzimos aqui a história da origem da devoção a NOSSA SENHORA DA CABEÇA, segundo o Manual do devoto, escrito por uma Confraria de Nossa Senhora da Cabeça da Catedral do Rio de Janeiro, edificada em 1910.

Eis o resumo das notas do Manual: NUESTRA SENORA DA CABEÇA possui uma história maravilhosa, que teve seu início no ano de 1227, nos contrafortes da SERRA MORENA, ANDALUZIA, região espanhola, onde fica situada a cidade de ANDUJAR, a 18 km do pico denominado CABEÇA. As terras ao lado da montanha eram utilizadas como pasto, sobretudo para criação de carneiros, vigiados por pastores. Gente simples, pobre e religiosa. Dentre eles, JOÃO ALONSO RIVAS, natural de Granada, filho de cristãos cativos e fugitivos da tirania dos mouros, dos Árabes. Durante a fuga, João Rivas perdeu um braço.

João era muito piedoso e muito devoto da Virgem Maria, a quem dedicava suas orações, enquanto apascentava suas ovelhas. Por várias vezes, parecendo vir do alto da montanha, ele ouvia um toque de campainha. Pensava: “deve ser pura imaginação, coisa de um viver solitário, nestas terras altas”.

Numa noite, 12 de agosto de 1227, o pastor João Rivas, ouvindo mais distantemente o som da campainha, seus olhos depararam com um brilhante luzeiro no alto do Monte Cabeça. Ele, sem dúvidas nem medo, partiu em direção ao Célebre pico. Chegando lá, ouviu o toque da campainha saindo da gruta, de onde saíam também, raios luminosos. Entrando na caverna viu, sobre as pedras, uma belíssima Imagem de Nossa Senhora, e a campainha que presa a um galho, ao lado da Virgem, continuava a bater. Voltando ao normal, João dirigiu-se à Mãe de Deus e perguntou: “fostes vós, ó minha Mãe, que pelo vosso influxo me atraístes à Vossa presença, para divulgar os Vossos desígnios? Se assim é, dizei-me o que devo fazer e a Vossa vontade será cumprida”. E uma voz dulcíssima, que parecia vir do céu, falou-lhe assim: “Não temas, servo de Deus. Vai à cidade de Andujar e dizei a quantos encontrares que chegou o tempo de cumprir a vontade de Deus, fazendo construir neste lugar, um templo, onde hão de operar os prodígios em favor dos que acreditarem”. João prometeu à Virgem Mãe de Deus, fazer tudo quanto Ela ordenara. Temendo que os habitantes de Andujar achassem que ele fosse um louco visionário ou impostor, recebeu de Nossa Senhora o SINAL: “Vai cristão venturoso! O testemunho de suas palavras será o teu braço perdido que eu te restituo”. João Rivas viu seu braço direito perfeitamente são. Ao clarear do dia João Rivas, tendo à frente o Vigário e outras autoridades, foram ao Monte Cabeça, levaram a Imagem em triunfo para Andujar e foi aclamada Padroeira sob a invocação de NOSSA SENHORA DA CABEÇA.

Daí em diante foi multiplicando-se os milagres operados por Deus, pela intercessão da Padroeira. Dentre os muitos milagres realizados, teve grande repercussão o que se deu em favor de um nobre senhor condenado à morte (cortar a cabeça), o qual fez voto de ir, se a Virgem o salvasse, depositar uma cabeça de cera aos pés da Sagrada Imagem. Além de fazer o milagre pedido, na hora da execução da pena de morte, a multidão em delírio, viu chegar o mensageiro do rei trazendo a graça ao condenado: “A Virgem o libertou!” O feliz agraciado cumpriu seu voto e é em recordação de tão extraordinário acontecimento que a partir daí , nos Santuários dedicados à Nossa Senhora da Cabeça, a Imagem dela é representada trazendo na mão direita, uma cabeça ( confere: Manual de Nossa Senhora da Cabeça, pág. 10ss. Rio-1910).

No BRASIL, desde 1910, NOSSA SENHORA DA CABEÇA é venerada na Catedral do Rio de Janeiro.

Do Rio de Janeiro, Ela saiu para chegar a Perdizes:

Em 1948, o lojista Sr. Aristonides Afonso do Prado e sua esposa D. Maria Luiza, perdizenses, trouxeram do Rio de Janeiro, esta IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA CABEÇA, para nossa cidade de Perdizes, e juntamente com o Vigário, o Revmº. Pe. Henrique Oliver fizeram a primeira festa em novembro de 1948, distribuindo a Oração da Novena. O motivo de tudo isso foi uma grave doença que padecia o Sr. Aristonides e da qual foi curado, totalmente, em razão da promessa feita a NOSSA SENHORA DA CABEÇA.

Em 1966, assume a direção da Paróquia o Revmº Pe. Calimério Afonso Nunes, que deu continuidade à realização da Festa e procurou incentivar a devoção, vendo nela o melhor caminho de levar os fiéis até Jesus e seu Evangelho. Ele fixou todas as Quartas-feiras, às 19:00, MISSA E NOVENA PERPÉTUA, em favor dos doentes, e Nossa Senhora tem concedido muitas graças de curas de males físicos e espirituais.

O testemunho de todas estas graças se manifesta, nos mais variados objetos (cabeças de cera, fotos, cabelo, etc.), que são depositados no seu altar, e também nas cartas que chegam de todas as partes do Brasil, até onde chega o conhecimento desta devoção.

Hoje, com o objetivo de melhor atender aos devotos e romeiros que visitam a Imagem de Nossa Senhora da Cabeça, durante todo o ano, foram instituídos outros horários, com celebração Eucarística, novena e benção especial para os doentes. Esses horários são: quartas-feiras às 19:00 horas e domingos às 09:00 horas na Igreja Matriz e aos domingos às 17:00 na Construção do Santuário.

SANTUÁRIO DIOCESANO DE NOSSA SENHORA DA CABEÇA

Como nossa Igreja Matriz, se tornou pequena para acolher tantos devotos, sobretudo nas festas ( mais de 20.000 romeiros, na última festa), estamos construindo um Santuário, no Bairro Ferreirinha, na parte mais alta da cidade, em terreno espaçoso, doado pelo SENHOR JOSE AUGUSTO COELHO e sua família. Com a aprovação do Sr. Bispo Dom João Bosco Oliver de Faria e de todo o clero da Diocese de Patos de Minas, foi elaborada planta do Santuário de Nossa Senhora da Cabeça. Uma construção moderna, tendo Igreja espaçosa para acolher cerca de 1000 pessoas assentadas, várias sacristias, sala de Ministros da Eucaristia, espaço para Coral, Capela do Santíssimo, Copa, escritório, sala para confissões, etc. Na parte de baixo possui sala de Milagres, refeitório, banheiros, sala para Catequese, livraria, salão do peregrino, etc. Ampla passarela para visitação à Imagem, com escada contendo degraus conforme os cinco Mistérios do Terço.

Estamos com a ajuda de Deus, de Nossa Senhora e também a cooperação generosa dos milhares de devotos que todos os anos visitam a imagem de Nossa Senhora e aqui deixam sua colaboração, prosseguindo a construção deste Santuário que visa receber e alojar os devotos e romeiros da melhor forma possível.

É graças a você devoto de Nossa Senhora, que o sonho da comunidade de Perdizes de dar a Nossa Senhora da Cabeça, um santuário digno D´Ela, está se realizando. Não deixe de visitá-lo. Continue a colaborar conosco nesta obra e com certeza Maria nossa boa Mãe, estará retribuindo-lhe com copiosas bênçãos de saúde, paz e prosperidade.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA CABEÇA (1)

Em nome do Pai Altíssimo e de Nosso Sr. Jesus Cristo eu me ajoelho a vossos pés minha amada mãe Nossa Senhora das Cabeças, e vos peço humildemente que olheis por mim, não permitindo que as forças do mal dominem a minha mente, que tendo-a como minha protetora jamais me afaste dos sagrados ensinamentos de Nosso Senhor, que a minha mente reconheça os meus erros e expulse de mim todo sentimento maligno que trago em minha alma e que porventura possam querer dominar-me.
Especialmente hoje venho até vós para vos implorar uma graça, (fala-se o pedido) se for permitido pelo Pai Todo Poderoso, peço a Vossa Senhora que me auxilie para que eu possa ter a minha graça realizada.
Se assim não for peço a Vós que me ajude a manter a minha mente no bem para que possa encontrar outro caminho.
Que eu tenha sempre em minha mente o equilíbrio entre o racional e o emocional, e que minha fé se fortaleça sempre.
Desta forma este seu (sua) filho (a) vos saúda e vos agradece por tanto amparo que me tens dado, sei que jamais me abandonarás.
Que eu me torne digno de tanta benevolência, Graças a Deus, a Nosso Senhor Jesus Cristo e a Nossa Senhora da Cabeça.

Que assim seja.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DA CABEÇA (2)

 Eis-me aqui, prostrado aos vossos pés, ó mãe do céu e Senhora Nossa! Tocai o meu coração a fim que deteste sempre o pecado e ame a vida austera e cristã que exigis dos vossos devotos.
Tende piedade das minhas misérias espirituais!
E, ó Mãe terníssima, não vos esqueçais também das misérias que afligem o meu corpo e enchem de amargura a minha vida terrena.
Dai-me saúde e forças para vencer todas as dificuldades que me opõe o mundo.
Não permitais que a minha pobre cabeça seja atormentada por males que me perturbem a tranqüilidade da vida.
Pelos merecimentos de vosso divino Filho, Jesus Cristo, e pelo amor que a ele consagrais, alcançai-me a graça que agora vos peço (pedido).
Aí tendes, ó Mãe poderosa, a minha humilde súplica.
Se quiserdes, ela será atendida.
Nossa Senhora da Cabeça, rogai por nós.

Que Assim Seja.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

ORAÇÃO PARA AMOR PERDIDO

ORAR PELO AMOR

Senhor, às vezes sinto vontade de desistir de tudo: tudo me parece sem valor, não consigo progredir, não vejo com otimismo meu futuro.
Quantas decepções tive e quanto meu coração se encontra machucado.
Acreditei no amor de quem me dizia amar e vi meu castelo desabar em fartas ruínas.
Acreditei na felicidade e me deparei com uma imensa dor.
Acreditei na amizade e quanto fui decepcionada (o).
Por estas razões, Senhor, estou diante de Vós, pedindo-Vos que eu volte a acreditar que uma dia possa ser feliz.
Sinto um imenso medo em sofrer de novo e acredito que já não teria estrutura alguma, frente a uma nova decepção.
Embora sabendo que nas amargas horas consigo avaliar melhor a vida e minhas atitudes, sinto-me triste.
Fazei, Senhor, que eu consiga sonhar um novo sonho e que se torne real como tanto desejo.
Curai as chagas de meu coração que tanto padece de solidão e angústia.
Trazei-me de volta a alegria de amar, viver, recomeçar.
Colocai em minha alma de volta a esperança, a paz, a alegria, a fortaleza de quem sabe que o sol brilha todos os dias, mas a cada manhã, de forma diferente.
Diante das noites escuras, eu me lembre que quanto mais é escura a noite, melhor posso ver as estrelas.
Tornai-me tudo novo, Senhor.
Eliminai de mim tudo o que maltrata minha alma e colocai no lugar, santos e firmes alicerces que me levem a nunca desistir de ser feliz.
Concedei-me Vossa constante proteção.
Sendo Rei e meu Pai, estendei Vossas mãos generosas para esta (e) vossa (o) serva (o) e filha (o), que tanto Vos ama.

Que Assim Seja.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

ORAÇÃO COMBUSTÍVEL DA ALMA

JESUS

Diz-se que oração é o combustível da alma.
Nossa fé é revigorada através da oração, além de ser nossa ligação com Deus.
Orar significa dialogar com o Deus.
O próprio Jesus, em Seu testemunho de vida, ensina-nos a orar sempre e em todas as circunstâncias: antes de iniciar os trabalhos diários, antes de algum projeto, nas alegrias e tristezas, nas vitórias e derrotas.
A oração nos mantém em sintonia com Deus.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

SENHOR MEUS OLHOS EM TI

IGREJA DE PIRACURUCA
Toda noite, Senhor, com os olhos cheios de sorrisos, ergo meu coração rezando...
E por que conservo meus olhos em ti?
Porque, em momentos de aflição, tuas mãos seguram as minhas e juntas guiam-me em rumos mais amenos.
Porque, todos os dias, à primeira luz da manhã, meu corpo nutrido de esperança, recorda de tua imagem que me velou o sono e me disse docemente: “Estou aqui, filha!”
Porque, num silêncio da alma, meu peito conhece teu amor cada vez mais e para sempre.
Meu peito que andou em folhas secas, entre pedras, sozinho, perguntando por paz. Espinhos feriram-me o vestido, sangraram-me os pés... Até que meus olhos descobriram teu amor. E Tu voltaste teus olhos para os meus.
E conservo os olhos em ti, porque te amo Senhor!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

ORAÇÃO PODEROSA DA SANTA CRUZ

ORAÇÃO PODEROSA DA SANTA CRUZ

Deus todo poderoso,
que sofrestes a morte sobre a madeira sagrada,
por todos os nossos pecados, sede comigo.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
compadecei-vos de mim.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
não me entregue à vontade dos meus inimigos que
me andam espiando e me amaldiçoando.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
sede a minha esperança.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
afastai de mim todas as armas cortantes.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
derramai em mim todo bem.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
desviai de mim todo o mal.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
fazei com que eu siga o caminho da Salvação.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
livrai-me dos acidentes temporais e corporais.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
vós adoro para sempre.

Santa Cruz de Jesus Cristo,
fazei com que os espíritos malignos,
invisíveis e infalíveis se afastem de mim.

Conduzi-me Jesus à vida eterna.

Por todos e em todos os séculos dos séculos.

AMÉM.

Oração enviada pelo Cientista Herbert Alexandre Galdino Pereira, postada em seu site, conforme o mostra o link abaixo.